Reconhecer e traduzir traços de Sêneca em Shakespeare

Renata Cazarini de Freitas, José Eduardo dos Santos Lohner

Resumo


O filósofo Sêneca (c.4 a.C.-65 d.C.) é autor de oito tragédias latinas às quais se atribui, regra geral, elevado grau de “influência” na literatura dramática produzida na Inglaterra da virada do século XVI para o XVII. Sem recorrer ao usual método de localizar citações ou equivalências textuais, propõe-se aqui reconhecer os traços da elocução senequiana em Shakespeare a partir da identificação de dispositivos da retórica antiga e de suas correspondências em cenas específicas de Richard III, Hamlet e The Tempest. A tradução dessas peças a partir do latim ou do inglês deve refletir o domínio e a intenção dos autores no uso de tais expedientes retóricos.


Palavras-chave


Tradução; Retórica; Shakespeare; Sêneca; Latim

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2014v1n33p97



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.