Death by Water: confluências entre Mário Faustino e T. S. Eliot

Autores

  • Dayana Crystina Barbosa de Almeida Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA)
  • Izabela Guimarães Guerra Leal Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2015v35nesp1p173

Palavras-chave:

Mário Faustino, T. S. Eliot, Tradução

Resumo

Mário Faustino, além de poeta, foi também tradutor, exercendo essa atividade em diferentes momentos de sua carreira e, por meio de suas traduções, dialogou com diversos autores, tornando-os parte de sua obra. Assim, a partir da comparação entres os poemas “Nam Sibyllam” e “Death by water”, este artigo busca mostrar como Faustino deu origem a um novo poema a partir da obra de Eliot. 

Biografia do Autor

Dayana Crystina Barbosa de Almeida, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA)

Possui graduação em Letras Licenciatura Habilitação em Língua Inglesa e mestrado em Letras Estudos Literários ambos pela Universidade Federal do Pará. Doutoranda em Letras Estudos Literários pela Universidade Federal do Pará. Atualmente é professora Assistente do Instituto de Letras, Linguística e Artes da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA). Marabá, Pará, Brasil. E-mail: almeidadcb@gmail.com

Izabela Guimarães Guerra Leal, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Psicologia e mestrado em Literatura Portuguesa (PUC - Rio). Doutorou-se em Literatura Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 2008. Atualmente é professora Adjunta da Faculdade de Letras (UFPA) e do Programa de Pós-Graduação em Letras (UFPA). Belém, Pará, Brasil. E-mail: izabelaleal@gmail.com

Downloads

Publicado

2015-01-26