A interpretação simultânea no contexto político

Flávia Medeiros Alvaro Machado, Heloisa Pedroso Moraes Feltes

Resumo


Este artigo tem como foco as práticas interpretativas simultâneas e as possibilidades semântico-pragmáticas relacionadas às escolhas linguísticas (lexemáticas) dos discursos na ordem política das Casas Legislativas em que atuam o tradutor-intérprete de Libras e Português (TILSP). Uma análise ilustrativa é realizada a partir de um corpus constituído de transcrições, da fala de um parlamentar e da interpretação simultânea pelo TILSP em uma Sessão Ordinária da Tribuna Livre da Câmara Municipal de Pelotas, Rio Grande do Sul. Para isso, utilizou-se o software ELAN. Analisam-se as escolhas linguísticas do TILSP, no ato interpretativo, de expressões e terminologias no contexto político. O objetivo foi o de discutir algumas competências e habilidades que o TILSP deve desenvolver para a prática nesse contexto específico (e.g. HURTADO ALBIR, 1999).


Palavras-chave


Contexto Político;Interpretação Simultânea;Competência Tradutória

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALVES, Fábio. Ritmo cognitivo, meta-reflexão e experiência: parâmetros de análise processual no desempenho de tradutores novatos e experientes. In: PAGANO, Adriana; MAGALHÃES, Célia;ALVES, Fabio (Orgs.). Competência em tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005. p. 109-153.

ARROJO, Rosemary. Oficina da tradução: a teoria na prática. 5. Ed. São Paulo: Ática, 2007.

BARBOSA, Diego M.. Omissões na interpretação simultânea de conferência: língua portuguesa – língua brasileira de sinais. Mestrado Estudos da Tradução (Dissertação de Mestrado). Florianópolis. PGET/UFSC. 2014.

BASSNETT, Susan. Estudos da tradução. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2015.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2015.

DASCAL, Marcelo. Interpretação e compreensão. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2006.

DELBECQUE, N. Linguística cognitiva: compreender como funciona a linguagem. Lisboa: Instituto Piaget, 2008.

ECO, Umberto. Quase a mesma coisa: experiências de tradução. Tradução de Eliana Aguiar. Rio de

Janeiro: BestBolso, 2011.

EVANS, Vyvyan. How words mean: Lexical concepts, cognitive models and meaning construction. New York: Oxford University Press, 2009.

HURTADO ALBIR, Amparo. Enseñar a traducir: metodologia em La formación de traductores e intérpretes. Col. Investigación didáctica, Madrid: Edelsa. Grupo Didascalia S.A, 1999.

HURTADO ALBIR, Amparo. A aquisição da competência tradutória: Aspectos teóricos e didáticos. In: PAGANO, Adriana; MAGALHÃES, Célia; ALVES, Fabio (Orgs.). Competência em tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005. p. 19-57.

JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. 8. Ed. São Paulo: Cultrix, 1975

LACERDA, Cristina B. F.. Intérprete de Libras: em atuação na educação infantil e ensino fundamental. 2. Ed.. Porto Alegre: Mediação, 2010.

MACHADO, Flávia M. A. Interpretação e Tradução de Libras/Português/Libras dos Conceitos Abstratos CRÌTICO e AUTONOMIA. (Dissertação de Mestrado). Caxias do Sul - RS. UCS/PPGLET, 2012.

NASCIMENTO, Marcus Vinícius Batista. Interpretação da língua brasileira de sinais a partir do gênero jornalístico televisivo: elementos verbo-visuais na produção de sentidos. (Dissertação de Mestrado). São Paulo – SP. LAEL/PUC-SP, 2011.

OUSTINOFF, Michaël. Tradução: história, teorias e métodos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

QUADROS, Ronice Müller de. O tradutor e intérprete de língua de sinais brasileira e língua portuguesa. Secretaria de Educação Especial; Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos. Brasília: MEC, 2002.

QUADROS, R. M. de; PIZZIO, A. L. Língua Brasileira de Sinais IV. Curso de graduação de Letras Libras. CCE/UFSC, 2009.

SACKS, Oliver. Vendo vozes: uma jornada pelo mundo dos surdos. Rio de Janeiro, Imago Editora, 2002.

SILVA, Augusto S. da.. O mundo dos sentidos em português: polissemia, semântica e cognição. Coimbra: Almedina, 2006.

SILVA, Augusto S. da. O Sentido múltiplo: polissemia, semântica e cognição. In.: FELTES, Heloísa Pedroso de Moraes. Produção de Sentidos: estudos transdisciplinares. São Paulo: Annablume; POA: Nova Prova; Caxias do Sul: Educs, 2003. p. 91-115.

SILVA, Augusto S. da. Polissemia e contexto: o problema duro da diferenciação de sentidos. IN.: Estudos Linguísticos/Linguistic Studies. 5. Ed. Colibri/CLUNL. Lisboa, 2010. p. 353-367.

RÓNAI, Paulo. Escola de tradutores. Rio de Janeiro: Educom, 1976.

RÓNAI, Paulo. A tradução vivida. Rio de Janeiro: Educom, 1976.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2015v35nesp2p236



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.