A tradução como um ‘acordo dialógico’: uma perspectiva bakhtiniana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n3p549

Palavras-chave:

Tradução, Mikhail Bakhtin, Acordo dialógico, Alteridade, Monologismo, Enunciados, Inacabamento

Resumo

A teoria dialógica de Mikhail Bakhtin (1895-1975) oferece um potencial em aberto para uma tradutibilidade criativa de culturas. Ao capacitar o tradutor a incorporar os traços culturais da cultura-fonte e da cultura-alvo, o dialogismo provê uma saída ao dilema entre lealdade e liberdade que incomoda os estudos da tradução há anos. Uma teoria bakhtiniana da tradução entrelaça os “fios dialógicos vivos” entre cultura-fonte e cultura-alvo, a fim de criar um ambiente de abertura. Este artigo explora os vários significados do termo “diálogo” e busca mostrar a significação e as implicações da compreensão da tradução como uma interanimação no sentido bakhtiniano.

Biografia do Autor

Orison Marden Bandeira de Melo Jr., Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte

Professor adjunto do Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas  (DLLEM) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem (PPgEL/UFRN). Possui doutorado pelo Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC-SP).

Referências

BAKHTIN, M. Problems of Dostoevsky’s Poetics. Edited and translated by Caryl Emerson. Minneapolis, MN: University of Minnesota Press, 1984. (Theory and History of Literature, n. 8).

BAKHTIN, M. Discourse in the Novel. In: BAKHTIN, M. The Dialogic Imagination: Four Essays by M. M. Bakhtin. Translated by Caryl Emerson and Michael Holquist. Austin, TX: University of Texas Press, 1981. p. 259-422. (University of Texas Press Slavic Series, No. 1).

BAKHTIN, M. Speech Genres and Other Late Essays. Edited by Caryl Emerson and Michael Holquist and translated by Vern W. McGee. Austin, TX: University of Texas Press, 1986.

BASSNETT, S. Translation Studies. 3.ed. London; New York: Routledge, 2002.

GUTT, E-A. Translation as Interlingual Interpretive Use. In: VENUTI, L. (Ed). The Translation Studies Reader. London; New York: Routledge, 2000. pp. 376-396.

HOLQUIST, M. Dialogism: Bakhtin and his World. London; New York: Routledge, 1990.

KEITH, H. Translating Camp Talk: Gay Identities and Cultural Transfer. In: VENUTI, L. (Ed). The Translation Studies Reader. London; New York: Routledge, 2000. p.446-467.

KRISTEVA, J. Desire in Language: A Semiotic Approach to Literature and Art. Edited by Leon S. Roudiez and translated by Thomas Gora, Alice Jardine and Leon S. Roudiez. Oxford: Basil Blackwell, 1980.

MORSON, G.; EMERSON, C. (Ed.). Rethinking Bakhtin: Extensions and Challenges. Illinois: North Western University Press, 1989.

MORSON, G.; EMERSON, C. Mikhail Bakhtin: Creation of a Prosaics. Stanford: Stanford University Press, 2001.

STEINER, G. After Babel: Aspects of Language and Translation. Oxford: Oxford University Press, 1977.

SHEPHERD, D. Bakhtin and the Reader. In: HIRSCHKOP, K.; SHEPHERD D. Bakhtin and Cultural Theory. Manchester; New York: Manchester University Press, 1989. p.91-108.

Downloads

Publicado

2018-09-12

Edição

Seção

Artigos traduzidos