Entre letramentos e a construção de identidades: o texto literário amapaense nas aulas de língua portuguesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2020v21n2p134

Palavras-chave:

Literatura Amapaense, Letramento Literário, Letramento Crítico, Identidade

Resumo

Neste trabalho buscou-se, como objetivo geral, analisar como os professores inserem os textos da literatura amapaense nas aulas de língua portuguesa e, de modo específico, entender o que os professores pensam acerca do ensino da leitura literária, compreendendo como tais textos são explorados nas escolas, além disso, discutir como a literatura amapaense pode favorecer à (re)construção e a negociação das identidades dos alunos. Para tanto, foram mobilizados conhecimentos da literatura, como o letramento literário e a formação de leitores literários, discutido, respectivamente, a partir de Cosson (2016) e Rouxel (2013); bem como também nos valemos da Linguística Aplicada quanto ao letramento crítico e multiletramentos – segundo Cassany (2005), Matos e Valério (2010) e Cope e Kalantzis (2009) – e a (re)construção das identidades por meio da língua, de acordo com Maristella-de-Andrade e Figueiredo (2013), Rajagopalan (2009) e Norton (2013). Esta pesquisa é, portanto, qualitativo-interpretativista, sendo realizada em cinco escolas (A, B, C, D e E) por meio de entrevistas com cinco professores e da aplicação de questionários semiabertos aos responsáveis pelas bibliotecas e salas de leitura, todos pertencentes às escolas pesquisadas. Assim, diante dos dados que dispomos, avaliamos que ainda falta compreender e, consequentemente, trabalhar a leitura (incluindo a literária) e a produção escrita como práticas sociais que permeiam as atividades humanas, devendo oportunizar aos alunos práticas de ensino que os possibilitem pensar seus espaços locais por meio da leitura crítica, também de textos da literatura amapaense, e de modo a (re)construírem suas identidades.

Biografia do Autor

Lílian Latties, Universidade do Estado do Amapá (UEAP)

Doutoranda em Língua e Cultura pela UFBA, Mestra em Linguística Aplicada pela Unisinos. Professora Assistente na Universidade do Estado do Amapá (UEAP).

Referências

BANNELL, Ralph Ings et al. Educação no século XXI: cognição, tecnologias e aprendizagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

BAPTISTA, Lívia Márcia Tiba Rádis. Traçando caminhos: letramento, letramento crítico e ensino de espanhol. In: BARROS, Cristiano Silva de e COSTA, Elizimar Goettenauer de Marins (Coord.). Espanhol: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010 (Coleção Explorando o Ensino). p. 119-130. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/abril-2011-pdf/7836-2011-espanhol-capa-pdf/file. Acesso em: 11 jan. 2020.

BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Zahar, 2005.

BORTOLANZA, Ana Maria Esteves. A leitura literária na escola: desafio para a formação de professores. Horizontes-revista de educação. v. 2, n. 3, p. 35-48, 2014. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/horizontes/article/view/3047. Acesso em: 11 jan. 2020.

CANTO, Fernando Pimentel. O Bálsamo: e outros contos insanos. Editora Universitária UFPA, 1995.

CANTO, Fernando Pimentel. O marabaixo através da história. Editora Printgraf, 2017.

CARVALHO, Maria Ester Pena. As aventuras do professor Pierre na terra tucuju. Ilustração Abmael Pantoja. 1.ed. Paraty – RJ.

CASSANY, Daniel. Literacidad crítica: leer y escribir la ideología. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Daniel_Cassany/publication/251839730_Literacidad_critica_leer_y_escribir_la_ideologia/links/0046352ca74ca3a32c000000.pdf. Acesso em: 11 jan. 2020.

CHAER, Galdino; DINIZ, Rafael Rosa Pereira; RIBEIRO, Elisa Antônia. A técnica do questionário na pesquisa educacional. Revista Evidência, v. 7, n. 7, p. 251- 266, 2011. Disponível em: https://www.uniaraxa.edu.br/ojs/index.php/evidencia/article/view/201/187. Acesso em: 11 jan. 2020.

CHIZZOTTI, Antonio. A pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais: evolução e desafios. Revista portuguesa de educação, v. 16, n. 2, p. 221-236, 2003. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/374/37416210.pdf. Acesso em: 11 jan. 2020.

COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. Multialfabetización: nuevas alfabetizaciones, nuevas formas de aprendizaje. p. 53-92, 2010. Disponível em: https://luisavarela.webnode.es/_files/200000147-49d3c4a4bb/Multialfabetizaci%C3%B3n%2C%20nuevas%20alfabetizaciones%2C%20nuevas%20formas%20de%20aprendizaje.pdf. Acesso em: 11 jan. 2020.

COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. Editora Contexto, 2016.

FIGUEREDO, Carla Janaína; MASTRELLA-DE-ANDRADE, Maria R. Apresentação. In. _______ (Orgs). Ensino de línguas na contemporaneidade: práticas de construção de identidades. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários para a prática educativa. 57° Ed. Rio de Janeiro/ São Paulo: Paz e Terra, 2018.

HOPPE, Marcia Cristina. A formação de professores: o letramento crítico na sala de aula e as práticas sociais. UniLetras, v. 36, n. 2, p. 201-209, 2014. Disponível em: https://revistas.apps.uepg.br/index.php/uniletras/article/view/6530. Acesso em: 11 jan. 2020.

MARTINS, Ivanda. A literatura no ensino médio: quais os desafios do professor? In: BUNZEN, Clecio; MENDONÇA, Márcia. Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo, Parábola Editorial, 2006, p. 83-102.

MATTOS, Andréa Machado de Almeida; VALÉRIO, Modesto Kátia. Letramento crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, n. 1, p. 135-158, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbla/v10n1/08.pdf. Acesso em: 11 jan. 2020.

NORTON, Bonny. Identidade, letramento e ensino de línguas em diferentes partes do mundo. In: FIGUEIREDO, Carla Janaína; MASTRELLA-DE-ANDRADE, Mariana. R. (orgs.). Ensino de línguas na contemporaneidade: práticas de construção de identidades. Campinas: Pontes Editores, 2013, v. 32, p. 89-108.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e a questão ética. São Paulo, Parábola Editorial, 2009.

ROJO, Roxane et al. Escola conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013.

ROUXEL, Annie. Aspectos Metodológicos do Ensino da Literatura. In. DALVI; Maria Amélia; REZENDE, Neide Luzia de; FALEIROS-JOVER, Rita (orgs.). Leitura de Literatura na Escola. São Paulo, Parábola, 2013, p. 17 – 33.

ROUXEL, Annie. Apropriação singular das obras e cultura literária. In. ROUXEL, Annie; LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia de. (orgs.). Leitura Subjetiva e Ensino de Literatura. São Paulo, Alameda, 2013, p. 165-189.

SANTOS, Rodolfo Rodrigues Pereira dos; IFA, Sérgio. O letramento crítico e o ensino de inglês: reflexões sobre a prática do professor em formação continuada. The Especialist, v. 34, n. 1, 2013. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/esp/article/view/19231/1431. Acesso em: 11 jan. 2020.

SANTOS, Rodrigo Alves dos. Formação de professores de língua portuguesa para o trabalho com a leitura literária no ensino médio: um objeto de pesquisa a ser explorado. Disponível em: https://ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/vertentes/v.%2019%20n.%202/Rodrigo_Santos.pdf. Acesso em: 11 jan. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-10