Experimentando a docência com bebês no estágio supervisionado: organizando espaços, brincadeiras e interações

Eloisa Acires Candal Rocha, Lívia Rezende Girardi, Márcia Buss Simão

Resumo


O presente texto, tem como objetivo apresentar reflexões acerca da experiência no Estágio Supervisionado em Educação Infantil no Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Santa Catarina. O estágio foi desenvolvido em uma creche da Rede Municipal de Florianópolis, situada no Morro da Penitenciária, no grupo um (G1), sendo constituído por 15 bebês, nove meninas e seis meninos na faixa etária de oito meses a um ano e três meses. As proposições na docência compartilhada tiveram como eixo central a organização dos espaços e tempos como elementos que pudessem contribuir na constituição do eu e reconhecimento do outro através das interações e brincadeiras. Inicialmente apresenta-se a concepção de criança e infância que permeou a prática docente no estágio da Educação Infantil, posteriormente abordar-se a importância de se ter um olhar atento e sensível para perceber o que os bebês indicam para realizar as proposições. Por fim, são apresentadas reflexões acerca das proposições realizadas a respeito da organização dos espaços e tempos como elementos que contribuem para ampliação das interações e dos repertórios de brincadeiras dos bebês.


Palavras-chave


Educação; Creche; Pré-escola; Prática pedagógica; Formação de educadores

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO, Kátia Adair. O Espaço da Creche: Que lugar é este? Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, 2003. Disponível em: http://www.ced.ufsc.br/~nee0a6/katia.pdf. Acesso em: 10/07/2013.

COUTINHO, Ângela Scalabrin. A ação social dos bebês: um estudo etnográfico no contexto da creche. Tese Doutorado em Estudos da Criança, Área Sociologia da Infância. Braga: Universidade do Minho, 2010.

COUTINHO, Ângela Maria Scalabrin. As crianças no interior da creche: a educação e o cuidado nos momentos de sono, higiene e alimentação. 2002.164f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2002. Disponível em: http://www.ced.ufsc.br/~nee0a6/angela.pdf. Acesso em: 10/07/2013

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Resolução 05/2009 - Câmara da Educação Básica. Brasília, 2009. Disponível: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12992:diretrizes-para-a-educacao-basica&catid=323

FORNEIRO, Lina Iglesias. A organização dos espaços na educação infantil. In: ZABALZA, Miguel. Qualidade em educação infantil. Tradução Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: Artmed, 1998. (Cap. 11, p. 229-281).

OSTETTO, Luciana Esmeralda (org.). Encontros e encantamentos da educação infantil: Partilhando experiências de estágios. Campinas, SP: Papirus, 2000.

ROCHA, Eloísa A. C. SME, 2000. Diretrizes educacionais pedagógicas para educação infantil. Prefeitura Municipal de Florianópolis. Secretaria Municipal de Educação. Florianópolis: Prelo Gráfica e Editora Ltda, 2010.

ROCHA, Eloísa A. C. OSTETTO, Luciana Esmeralda. O estágio na formação universitária de professores de Educação Infantil. In: SEARA, Izabel Christine et al. (Orgs.). Práticas pedagógicas e estágios: diálogos com a cultura escolar. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2008, p. 103-116.

SCHMITT, Rosinete V. O encontro com bebês e entre bebês: uma análise do entrelaçamento das relações. In: ROCHA, Eloisa Acires Candal e KRAMER, Sônia. Educação Infantil: enfoque em diálogo. Campinas:Papirus. pp.17-35, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2014n30p90

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.