A inclusão na educação infantil de Vitória: contribuições da educação física

Alexandre Freitas Marchiori, Carla de Almeida Aguiar França

Resumo


O artigo objetiva compreender as possibilidades de uma prática compartilhada e desenvolver proposições que contribuíssem com os processos de inclusão na Educação Infantil. Os sujeitos são professores que atuam no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) de Vitória e duas crianças com necessidades educativas especiais (NEE). O referencial teórico-metodológico fundamenta-se na perspectiva histórico cultural (VYGOTSKY;, 2007; WALLON;, 2010). A perspectiva de professor reflexivo (NÓVOA, 2001) e as concepções metodológicas dos estudos nos/dos/com os cotidianos orienta a produção desse artigo. As fontes foram os registros fotográficos e filmagens das práticas pedagógicas em 2014 e relatórios avaliativos de dois alunos com NEE. A oferta da educação física no currículo da educação infantil amplia as possibilidades do trabalho colaborativo e potencializam as práticas da educação inclusiva.


Palavras-chave


Educação Infantil; Educação Física; Inclusão; Mediação

Texto completo:

PDF

Referências


KOHAN, Walter. O. Infância, estrangeiridade e ignorância: ensaios de filosofia e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SALLES, Fátima; FARIA, Vitória. Currículo na educação infantil: diálogo com os demais elementos da Proposta Pedagógica. São Paulo: Ática, 2012.

VICTOR, Sônia L. As produções acadêmicas em educação especial na Educação Infantil: análise da formação de professores. Revista de Ciências Humanas (Frederico Westphalen. Impresso), v. 13, p. 79-97, 2012.

VIGOTSKI, Lev S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores; organizadores Michael Cole... [et al.]. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

WALLON, Henri. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2015n31p292

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.