Reflexões sobre as Rodas de Conversa na Educação Infantil

Vanessa Alves Vargas

Resumo


O presente artigo apresenta reflexões sobre as rodas de conversa na Educação Infantil e busca compreender por meio de uma pesquisa de cunho qualitativo, desenvolvida a partir da análise de entrevistas semi-estruturadas, qual o sentido que três professoras da Educação Infantil da E.M.E.F Cidade do Rio Grande – CAIC/FURG atribuem às rodas de conversa e o que elas dizem sobre esse elemento do cotidiano da Educação Infantil. Num primeiro momento, dialogo sobre a construção da ideia de infância e algumas problematizações acerca das infâncias contemporâneas. Em seguida discorro sobre as rodas de conversa, trazendo alguns estudos de pesquisadores que analisam tal temática. Para posteriormente apresentar a análise da pesquisa realizada.  Assim, constata-se que a roda de conversa é um elemento imprescindível que deve ser explorado pelos professores, pela sua relevância e contribuições que proporciona às crianças e ao fazer docente. Um espaço cheio de vida, de compartilhar saberes, emoções, de aprender a conversar, respeitar o outro, planejar, avaliar.  Além disso, constitui-se um alicerce para a construção do novo e um espaço que também revela as pluralidades infantis.


Palavras-chave


Pré-escola; Prática pedagógica; Rotina escolar

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÈS, Philippe. A História Social da Infância e da Família. Rio de Janeiro: Zahar, 1981

ARROYO, Miguel Gonzales. O significado da Infância. In: Simpósio Nacional de Educação Infantil. Brasília, 1994.

ARROYO, Miguel. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. 8ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Culturas e processos de socialização das crianças pequenas. Pátio – Educação Infantil. Ano V n° 15, 6-9, NOV 2007/FEV2008.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; HORN, Maria da Graça Souza. Projetos Pedagógicos na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Espaço Plural Zygmunt Bauman: Entrevista sobre a Educação. Desafios Pedagógicos e Modernidade Líquida. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 137, p.661-683, maio/ago. 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2001.

BOMBASSARO, Maria Cláudia. A Roda na Educação Infantil: Aprendendo a Roda aprendendo a conversar. 2010. 96f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, nº19, 20-28, Jan/Fev/Mar/Abr, 2002.

BORBA, Angela Meyer. Culturas da infância nos espaços-tempos do brincar: Estratégias de participação e construção da ordem social em um grupo de crianças de 4-6 anos. Momento, Rio Grande, 18: 35-50, 2006/2007.

BOTO, Carlota. capítulo O desencantamento da criança: entre a Renascença e o Século das Luzes. In: FREITAS, Marcos Cezar de; KUHLMANN, Moysés Jr. (orgs.). Os intelectuais da Infância. São Paulo: Cortez, 2002. p.11-60

COHN, Clarice. Antropologia da criança. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.,2005.

CORSINO, Patrícia. (org). Educação infantil: Cotidiano e políticas. Campinas, SP: Autires Associados, 2009. (coleção educação contemporânea)

DELGADO, Ana Cristina Coll e MULLER, Fernanda. Apresentação: Tempos e Espaços das Infâncias. Currículo sem Fronteiras, v.6,n.1,p.5-14,Jan/Jun 2006

DELGADO, Ana Cristina Coll. Infâncias e Crianças: O que nós adultos sabemos sobre elas? Rio Grande do Sul, 2003(mimeo).

DELGADO, Ana Cristina Coll; MOTA, Maria Renata Alonso; ALBUQUERQUE, Simone Santos de; (Orgs). Tempos e lugares das infâncias: educação infantil em debate. Porto Alegre: IPPOA – Instituto Popular Porto Alegre, 2004. 148p.

FLORES, Sabrina Bezerra, Roda de Conversa e resolução de conflitos na Educação Infantil. Disponível em: Acesso em: 18/11/11

FONTES, Rejane de S. A escuta pedagogia à criança hospitalizada: discutindo o papel da educação no hospital. Revista Brasileira de Educação. Nº 29, 119-138, 2005, p.128, Maio/Jun/Jul/Ago, 2005

GONÇALVES, Ana do Carmo Goulart. Contextualização da Infância no Espaço Urbano: os possíveis efeitos da globalização. Momento, Rio Grande, 17: 11-18, 2004/2005.

KOHAN, Walter Omar. Infância. Entre educação e filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

MOTA, Maria Renata Alonso. A cultura Lúdica na Infância. In: DELGADO, Ana Cristina Coll; MOTA, Maria Renata Alonso; ALBUQUERQUE, Simone Santos de; (org). Tempos e lugares das infâncias: educação infantil em debate – Porto Alegre: IPPOA – Instituto Popular Porto Alegre, 2004. 148p.

NAVARRO, M. Carmen Díez. Afetos e emoções no dia-a-dia da educação infantil. Porto Alegre, Artmed, 2004.

NOGUEIRA, Gabriela Medeiros. Crianças construindo a noção de passado e presente através da fotografia. In: DELGADO, Ana Cristina Coll; MOTA, Maria Renata Alonso; ALBUQUERQUE, Simone Santos de; (org). Tempos e lugares das infâncias: educação infantil em debate – Porto Alegre: IPPOA – Instituto Popular Porto Alegre, 2004. 148p.

OSTETTO, Luciana Esmeralda (org.). Encontros e encantamentos na educação infantil: Partilhando experiências de estágios. Campinas, SP: Papirus, 2000. p.175-199.

PAULA, Elaine de. Crianças e Infâncias: Universos a Desvendar. Disponível em: < ced.ufsc.br/~zeroseis/elaine.doc> Acesso em: 18/09/11.

SARMENTO, Manuel Jacinto. As Culturas da Infância nas Encruzilhadas da Segunda Modernidade. In: SARMENTO, Manuel Jacinto, CERISARA, Ana Beatriz. Crianças e Miúdos. Portugal: ASA, 2002.

TFOUNI, Fabio Elias Verdiani e SILVA, Nilce de. A modernidade líquida: o sujeito e a interface com o fantasma. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/pdf/malestar/v8n1/09.pdf > Acesso em: 19/06/2011

Warschauer, Cecília. A roda e o registro: uma parceria entre professor, alunos e conhecimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2016v18n33p122

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.