Participação infantil e debate democrático: aproximações pelo campo da educação infantil

Fabiana Oliveira Canavieira, Maria Carmen Silveira Barbosa

Resumo


Este estudo visa discutir como a temática da Democracia e seus princípios se apresentam no cenário acadêmico e político pedagógico da Educação Infantil a partir do contexto histórico e político-social brasileiro contemporâneo. Trata-se de uma discussão multidisciplinar, que se respalda teoricamente, principalmente, nos escritos de Peter Moss (2009, 2013), Jens Qvortrup (2010), Sarmento, Fernandes e Abrunhosa (2007) e Jan Masschelein e Maarten Simons (2014), para ressignificação das categorias, e para que o debate democrático estabeleça relações com cenário educacional de crianças de 0 a 6 anos de idade, a partir de algumas problematizações. Aborda-se a democratização da e na Educação Infantil, fazendo a diferenciação entre elas. Apontamos possibilidades para que as discussões avancem no sentido de democratizar a democracia com a Educação Infantil, e que essa garanta o protagonismo da participação infantil.


Palavras-chave


Educação infantil; Política educacional; Democracia; Participação infantil

Texto completo:

PDF/A

Referências


AGOSTINHO, Kátia A. Formas de participação das crianças na Educação Infantil. Tese de Doutorado em Estudos da Criança. Braga (Portugal): Universidade do Minho. 2010.

BARBOSA, Mª Carmen S.; DELGADO, Ana Cristina Coll; TOMÁS, Catarina Almeida. Estudos da Infância, Estudos da Criança: Quais campos? Quais questões? Quais métodos? Inter-Ação. Goiânia, v. 41, n. 1, p. 103 – 122, jan/abr, 2016

BARBOSA, Mª Carmen. Mapeando alguns desafios para as políticas públicas de Educação Infantil no Brasil. In: VASQUES, Carla K.; SHILICKMANN, Mª. Sirlene,; CAMPOS, Rosânia (orgs.). Educação e Infância: múltiplos olhares, outras leituras. Ed. Unijuí: Ijuí (SC), 2009. p.169 – 180.

BARNER, B. Understanding agency: social theory and responsible action. London: Sage, 2000.

BENEVIDES, Mª. Victoria de M. A cidadania ativa: referendo, plebiscito e iniciativa popular. 3ª ed. São Paulo: Editora Ática, 2003.

BORDENAVE, Juan E. D. O que é participação. 6ª ed. São Paulo: Editora Brasiliense. 1994.

BOURDIEU, Pierre. Campo Intelectual e Projeto Criador. In: POUILLON. J. (org.) Problemas do Estruturalismo. pp. 17- 38. Rio de Janeiro: Zahar, 1968.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Lei federal de 5/10/1988. Brasília (DF): Senado Federal, 2000.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Lei n.º 8.069 de 13 de julho de 1990.

BRASIL, Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 05 da Câmara de Educação Básica que estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil. Brasília: MEC, 2009.

CAMPOS, Maria Malta. As políticas públicas de educação infantil no contexto da nova legislação educacional brasileira. Educação em Debate, São Paulo, n. 1, p. 21 – 36, 1998.

CANAVIEIRA, Fabiana O. A Educação Infantil no olho do furacão: o movimento político e as contribuições da Sociologia da Infância. Dissertação de Mestrado. Campinas: Faculdade de Educação da UNICAMP, 2010.

COUTINHO, Ângela Maria Scalabrin. A ação social dos bebês: um estudo etnográfico no contexto da creche. Braga (Portugal): Universidade do Minho, 2010.

COUTINHO, Nelson. A democracia como valor universal: notas sobre a questão democrática no Brasil. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1980.

DAVIS, Angela. Mulher, raça e classe. 1ª ed. São Paulo: Bointempo, 2016.

FERNANDES, Natália. Infância, Direitos e Participação: representações, práticas e poderes. Porto/Portugal: Edições Afrontamento, 2009.

FRANZONI, Juliana Ribeiro Alves. Gestão Democrática e práticas participativas na Educação Infantil: um estudo de caso numa creche pública municipal. Dissertação de Mestrado. Florianópolis: UFSC, 2015.

GIDDENS, Anthony. A constituição da sociedade. 2ª Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

GIDDENS, A.; TURNER, Jonathan (orgs.). Teoria Social Hoje. p. 7-47. São Paulo: Editora Unesp, 1999.

HART, R. Participação de Crianças: da indicação falsa até a cidadania. UNICEF, 1992.

LANSDOWN, Gerison. La creación de escuelas centradas en el nino. In: Actas do congresso La participación de niños y adolescentes en el contexto de la Convención sobre los Derechos del Niño: visiones y perspectivas. Bogotá: UNICEF, 1998, p. 59-70.

______. ¿Me haces caso? El derecho de los niños pequeños a participar en las decisiones que los afectan. Cuadernos sobre Desarrollo Infantil Temprano. Nº. 36s. fundacion Bernard Van Leer, La Haya, Paese Bajo, 2005.

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MASSCHELEIN, J.; SIMONS, Maarten. A pedagogia, a democracia, a escola. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

MENDONÇA, Ricardo F. Reconhecimento, desigualdade e capitalismo. In: MIGUEL, Luis Felipe (org.). Desigualdades e Democracia: o debate da teoria política. São Paulo: Editora Unesp, p. 287 – 322, 2016.

MOSS, Peter. Introduzindo a política na creche: a educação infantil como prática democrática. Revista Psicologia. São Paulo: USP, vol.20, no.3, p. 417 – 423, jul./set. 2009.

_____. Portare le Politiche nei servizi educativi: L’educazione nella prima infanzia come pratica di democrazia. 1ª. Bologna (Itália): Grupp Nazionale Nidi e Infanzia, 2013.

ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS. Convenção sobre os Direitos das Crianças. 1989. Disponível em: http://www.onu-brasil.org.br/doc_crianca.php. Acesso em: 08 de fevereiro de 2016.

PIRES, Sergio F. S.; BRANCO, Angela U. Protagonismo infantil: co-construindo significados em meio ás práticas sociais. Paidéia, v. 17, n. 38, 2007, p. 331 – 320.

QVORTRUP, Jens. Infância e Política. Caderno de Pesquisa, v.40, n. 141, p.777 – 792, Set/Dez, 2010.

QVORTRUP. Jens. A dialética entre a proteção e a participação. Revista Currículo sem Fronteiras, v. 15, n.1, p. 11 - 30, jan/abri. 2015.

ROSEMBERG, FÚLVIA. Sísifo e a educação infantil brasileira. Pró-posições, v. 14, nº. 1 (40), 2003, p. 177 – 194.

SARMENTO, Manoel J. Visibilidade Social e Estudos da Infância. In: VASCONCELOS, Vera (org). Infância (in)visível. Araraquara/SP: Junqueira & Marin, 2007, p. 25 -52.

SARMENTO, Manoel J.; ABRUNHOSA, Albertina; FERNANDES, Natália. Participação Infantil na organização escolar. In: QUINTEIRO, Jucirema; CARVALHO, Diana de C (orgs.). Participar, brincar e aprender: os direitos das crianças na escola. Araraquara/SP: Junquera & Marin; Brasília: CAPES, 2007. p. 51- 90.

TOMÁS, Catarina; GAMA, Ana. Cultura de (não) participação das crianças em contexto escolar. Porto (Portugal), 2011. In: Anais. Educação, Território e (Des)igualdades. II Encontro de Sociologia da Educação. Disponível in: http://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/1116/1/Cultura%20de%20(n%C3%A3o)%20participa%C3%A7%C3%A3o%20das%20crian%C3%A7as%20em%20contexto%20escolar.pdf Acesso em: 03.04. 2017.

TREVISAN, Gabriela de Pina. Somos as pessoas que temos de escolher, não são as outras pessoas que escolhem por nós. Infância e cenários de participação: uma análise sociológica dos modos de co-decisão das crianças na escola e na cidade. Tese de Doutoramento. Braga: Universidade do Minho, 2014.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2017v19n36p361

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.