Em nome dos cuidados, da proteção e da educação: infância, corpo, gênero e sexualidade como discursos entre professoras da educação infantil

Raquel Gonçalves Salgado, Paula Fernanda Martins-Garcia

Resumo


Este artigo tem como objetivo compreender os discursos de professoras, de uma instituição de Educação Infantil da rede pública, sobre o corpo da criança, nos modos como estes se entrelaçam com as práticas de educar, cuidar, proteger e como são atravessados por perspectivas de gênero e sexualidade. Como referenciais teóricos, destacam-se os estudos da infância, bem como as análises de Michel Foucault, David Le Breton, Donna Haraway e Judith Butler, que, resguardadas as suas diversidades teóricas, permitem compreender corpo, gênero e sexualidade numa dimensão discursiva. Os discursos das professoras remetem a práticas de cuidar, educar e relações de gênero vividas no cotidiano da instituição, que trazem à tona questões sobre o corpo da criança, em suas mais intensas alteridades em relação ao corpo adulto, civilizado e disciplinado.

Palavras-chave


Infância; Corpo; Gênero; Educação infantil

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara, 1981.

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos Pagu, n. 26, 2006, p. 329-376.

BURMAN, Erica; STACEY, Jackie. The child and childhood in feminist theory. Feminist Theory, vol. 11, n. 3, 2010, p. 227-240.

BUSS-SIMÃO, Márcia; MEDEIROS, Francisco Emílio de; SILVA, Ana Márcia; FILHO, João Josué da Silva. Corpo e infância: natureza e cultura em confronto. Educação em Revista, vol. 26, n. 3, 2010, p. 151-168.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 10. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

FERREIRA, Marcelo Santana. Sobre crianças, sexopolítica e escrita de si. Revista Polis e Psique, vol. 6, n. 1, 2016, p. 51-64.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. 17. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2006.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos V: ética, sexualidade, política. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

HARAWAY, Donna. "Gênero" para um dicionário marxista: a política sexual de uma palavra. Cadernos Pagu, n. 22, 2004, p. 201-246.

HARAWAY, Donna J. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista. In: TADEU, Tomaz (org.). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2016. p. 33-118.

LE BRETON, David. Antropologia do corpo e modernidade. 3. ed. Petróplis, RJ: Vozes, 2013a.

LE BRETON, David. Adeus ao corpo: antropologia e sociedade. 6. ed. Campinas, SP: Papirus, 2013b.

OLIVEIRA, João Manuel. Os feminismos habitam espaços hifenizados – A localização e interseccionalidade dos saberes feministas. Ex aequo, n. 22, 2010, p. 25-39.

PRECIADO, Beatriz. Quem defende a criança queer. Jangada-crítica, literatura, artes, n. 1, Viçosa, 2013, p. 96-99.

VIANNA, Claudia; FINCO, Daniela. Meninas e meninos na Educação Infantil: uma questão de gênero e poder. Cadernos Pagu, n. 33, 2009, p. 265-283.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2018v20n37p112

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.