Reflexões sobre as práticas avaliativas em uma creche no município de Altamira-PA

Irlanda do Socorro de Oliveira Miléo, Léia Gonçalves de Freitas, Cassiane de Nazaré da Silva Oliveira

Resumo


Objetiva este artigo refletir sobre a avaliação na Educação Infantil, bem como identificar como essas avaliações são pensadas e organizadas no contexto do trabalho pedagógico da Creche Sonho Encantado. Neste sentido, problematizamos: como as práticas avaliativas vêm sendo compreendidas e materializadas pelas docentes no processo de ensino e aprendizagem das crianças pequenas? A metodologia envolveu aplicação de entrevista semiestruturada com três professoras e a coordenadora geral de Educação Infantil do Município ora em estudo. A fonte documental foi a ficha de avaliação adotada pela Secretaria Municipal de Educação e utilizadas pelas professoras que, em conjunto com as entrevistas, nos indicaram que essas profissionais detêm conhecimentos sobre a importância da avaliação na Educação Infantil, porém, apresentam posicionamentos e compreensões diferenciadas sobre a existência e preenchimento das fichas avaliativas e do Parecer Individual que orientam a avaliação das aprendizagens infantis; sendo que algumas aprovam e outras defendem a necessidade de ajustes quanto aos aspectos avaliados. 


Palavras-chave


Educação infantil; Práticas avaliativas; Trabalho pedagógico; Aprendizagens das crianças

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANPED. Parecer sobre o documento Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Revista Brasileira de Educação. n. 7, jan/abr. p. 89-96, 1998.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira. Por amor e força: rotinas na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Disponível em: Planalto.gov.br.

BRASIL. Lei nº 9394/96, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: www.planalto.gov.br

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à educação. Brasília: MEC, SEB, 2006a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a educação infantil — volumes 1 e 2. Brasília: MEC, SEB, 2006b.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. (volumes 1, 2, e 3).

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Secretária de Educação Básica — Brasília: MEC, SEB, 2009.

BRASIL. Lei Nº 12.796, de 4 de Abril. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília: MEC, SEB, 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12796.htm.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Contribuições para a Política Nacional: A Avaliação em Educação Infantil a partir da avaliação de contexto. – Curitiba: Imprensa /UFPR — Coordenação Geral de Educação Infantil —MEC/SEB/COEDI, 2015.

CAMPOS, Maria Malta. A Qualidade Da Educação Infantil Brasileira: Alguns Resultados De Pesquisa. In. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 127, jan./abr. 2006.

CERISARA, Ana Beatriz. O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil no Contexto das Reformas. Educação & Sociedade: Revista de Ciência da Educação. Campinas — Vol. 23, n. 80, set., 2002

DIDONET, Vital. Creche: a que veio, para onde vai. In: Educação Infantil: a creche, um bom começo. Em Aberto/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. v 18, n. 73. Brasília, 2001. p.1-28.

DIDONET, Vital. Avaliação na e da Educação Infantil. Disponível em: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/Educacao/Doutrina/Avalia%C3%A7%C3%A3o%20na%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20Infantil%20-%20Vital%20Didonet.doc.

FERREIRA, Marisa de Vasconcelos. Avaliação: Instrumento do professor para aprimorar o trabalho na Educação Infantil. In: Salto para o Futuro – Novas Diretrizes para Educação Infantil. Ano XXIII – boletim 9 – Junho 2013.

FREITAS, Marcos Cesar de; KUHLMANN JR., Moysés. (Org.). Os intelectuais na história da infância. São Paulo: Cortez, 2002.

GONZALEZ-MENA, Janet. O cuidado com bebês e crianças pequenas: um currículo de educação e cuidados baseado em relações qualificadas. 9. ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.

HADJI, Charles. Avaliação Desmistificada. Trad. Patrícia C. Ramos. Porto Alegre: ARTMED Editora, 2001.

HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Educação infantil em tempos de LDB. São Paulo: FCC/DPE, 2003.

HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação na pré-escola: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. Porto Alegre: Mediação, 2000.

HOFFMANN, J. Avaliação e educação infantil: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. Porto Alegre: Mediação, 2012.

KRAMER, Sônia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

KUHLMANN JR. Moysés. Infância e Educação Infantil: uma abordagem histórica. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2001.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da Aprendizagem na Educação Infantil. Interacções, Nº. 32, PP. 191-201, 2014.

MICARELLO. Hilda. Avaliação e transições na educação Infantil. Consulta Pública. Agosto de 2010. Disponível em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:cgGmid_5qnMJ:portal.mec.gov.br/i ndex.php%3FItemid%3D%26gid%3D6671%26option%3Dcom_docman%26task%3Ddoc_d ownload+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&client=firefox-a.

MORENO, Lupion Gilmara. Organização do Trabalho Pedagógico na Instituição de Educação Infantil. In: PASCHOAL, Jaqueline Delgado (Org.). Trabalho Pedagógico na Educação Infantil. Londrina: Humanidades, 2007.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de et al. O trabalho do professor na Educação Infantil. São Paulo: Biruta, 2012.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos. O currículo na educação infantil: o que propõem as Novas diretrizes nacionais? Anais do I Seminário Nacional: Currículo Em Movimento – Perspectivas Atuais Belo Horizonte, novembro de 2010.

OLIVEIRA, Gislene de Campos. Psicomotricidade: educação e reeducação num enfoque psicopedagógico. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SOUZA, Gisele; MORO, Catarina; COUTINHO, Angela Scalabrin (Orgs.). Formação em Rede em Educação Infantil: Avaliação de Contexto. Curitiba: Appris, 2015.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n41p147

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.