Percepção das relações espaciais em crianças da educação pré-escolar

Filipa Balinha, Ema Mamede

Resumo


Este artigo explora o conhecimento de crianças pequenas sobre as relações espaciais. Analisa as relações espaciais de crianças de jardins de infância (3 aos 5 anos, N=15), procurando responder a duas questões: Como as crianças resolvem problemas de percepção das relações espaciais? Que estratégias as crianças usam ao resolver esses problemas? Foram usados métodos qualitativos para descrever as reações das crianças na resolução de problemas de: passagem de imagens em 2 para 3 dimensões, reconhecer partes de um todo e reconhecer a posição dos objetos, construção com blocos, puzzles e identificação de posição. Os resultados sugerem que os problemas de construção com blocos parecem ser os problemas mais difíceis. Até os três anos de idade usaram estratégias bem-sucedidas na solução da percepção de problemas de relações espaciais. Assim, esses problemas podem ser explorados no jardim de infância, como uma maneira de estimular as capacidades de visualização.


Palavras-chave


Educação pré-escolar; Matemática; Relações espaciais; Geometria

Texto completo:

PDF/A (English)

Referências


ALVES, Cristina; GOMES, Alexandra. Uma avaliação diagnóstica sobre a percepção de relações espaciais em crianças dos 3 aos 6 anos. In: ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA (Ed.). Atas do XXIII seminário de investigação em educação matemática. Lisboa, 2011. p. 345-358.

ALVES, Cristina; GOMES, Alexandra. Perceção de relações no espaço por crianças dos 3 aos 7 anos. In: ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA (Ed.). Atas do XXII seminário de investigação em educação matemática. Lisboa, 2012. p. 181-192.

ARCAVI, Abraham. The role of visual representations in the learning of mathematics. Educational studies in mathematics, 3, n. 52, p. 215-241, 2003.

BAROODY, Arthur; CLEMENTS, Douglas; SARAMA, Julie. Teaching and Learning Mathematics in Early Childhood Programs. In: CHRISTOPHER P. BROWN, M. B. M. A. N. F. (Ed.). The Wiley Handbook of Early Childhood Care and Education. First ed.: John Wiley & Sons, Inc., 2019.

BATISTA, Helena Sofia Ferreira. Desenvolvendo capacidades de visualização no 1.º ano do 1.º CEB. 2013. (Master’s thesis ) -, Universidade do Minho Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/28700.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Tradução ALVAREZ, M.;SANTOS, S., et al. Porto: Porto editora, 2010.

CEIA, Mário. Os conceitos de quadrado e retângulo no 1.º ciclo do ensino básico. Aprender, 13, p. 75-79, 1991.

CLEMENTS, Douglas; BATTISTA, Michael. Geometry and spatial reasoning. In: Handbook of research on mathematics teaching and learning. United States of America: National Council of Teachers of Mathematics, 1992.

CLEMENTS, Douglas; SARAMA, Julie. Early childhood mathematics learning. In: LESTER, F. K. (Ed.). Second handbook of research on mathematics teaching and learning. Charlotte: Information Age Publishing, 2007. v. 1.

CLEMENTS, Douglas; SARAMA, Julie. Early childhood teacher education: the case of geometry. Journal of Mathematics Teacher Education, 14, n. 2, p. 133-148, 2011.

CLEMENTS, Douglas.; SUDHA, Swaminathan;SARAMA, Julie. Young children's concepts of shape. Journal for research in mathematics education, 3, n. 2, p. 192-212, 1999.

COHRSSEN, Caroline; QUADROS-WANDER, Ben; PAGE, Jane; KLARIN, Suzana. Between the big trees: A project-based approach to investigating shape and spatial thinking in a kindergarten program. Australasian Journal of Early Childhood, 42, n. 1, p. 94-104, 2017.

DEL GRANDE, John. Spatial Sense. Arithmetic Teacher, 37, n. 6, p. 14-20, 1990.

DENZIN, Norman; LINCOLN, Yvonna; ALEXANDER, Bryant Keith; ATKINSON, Paul. et al. The SAGE handbook of qualitative research. United States of America: Sage Publications, Inc., 2005.

FORTIN, Marie-Fabienne.-F.; COTÊ, José; FILION, Françoise. Fundamentos e etapas do processo de investigação. Loures: Lusodidacta, 2009.

FROSTIG, Marianne. Figuras y formas: nível elemental. Tradução LORENZO, I. Mexico: Editorial Medica Panamericana, 2017.

FROSTIG, Marianne; HORNE, David; MILLER, Ann-Marie. Figuras y formas: guía para el maestro. Madrid: Editorial Medica Panamericana, 1994.

FROSTIG, Marianne; HORNE, David; MILLER, Ann-Marie. Figuras y formas guía para el maestro. Espanha: Editorial Médica Panamericana, 2002.

GOMES, Maria Alexandra. Mat1C: desafio à matemática. Braga: Universidade do Minho - Instituto de Estudos da Criança, 2007.

GORDO, Maria. A visualização espacial e a aprendizagem da matemática. 1993. (Master’s thesis ) -, Universidade Nova de Lisboa Disponível em: https://hdl.handle.net/10362/278.

HOFFER, Alan. Geometry and visualization - Mathematics Resource Project. Palo Alto: Creative Publications, 1977.

JONES, Keith. Issues in the teaching and learning geometry. In: Aspects of Teaching Secondary Mathematics: perspectives on pratice. London: RoutledgeFalmer, 2002. p. 121-139.

MATOS, José Manuel; GORDO, Maria. Visualização espacial: algumas actividades. Educação e Matemática, 2.º trimestre de 1993, n. 26, p. 13-17, 1993.

NATIONAL COUNCIL OF TEACHERS OF MATHEMATICS. Curriculum and Evaluation Standards for School Mathematics. Reston: The Council, 1989.

NATIONAL COUNCIL OF TEACHERS OF MATHEMATICS. Principles and standards for school mathematics. Reston: Key Curriculum Press, 2000.

PONTE, João Pedro; SERRAZINA, Lurdes; GUIMARÃES, Fátima; BREDA, Ana et al. Programa de matemática do ensino básico. Lisboa: Ministério da educação, 2007.

SARAMA, Julie; CLEMENTS, Douglas. Early childhood mathematics education research: learning trajectories for young children. New York: Routledge, 2009.

SILVA, Isabel; MARQUES, Liliana; MATA, Lourdes; ROSA, Manuela. Orientações curriculares para a educação pré-escolar. Lisboa: Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE), 2016. 9727420877.

YIN, Robert. Case study research: design and methods. 4th ed. Thousand Oaks: Sage publications, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n41p204

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.