Educação física na educação infantil: entre a suspeita e o diagnóstico de autismo

Alexandre Freitas Marchiori

Resumo


O presente texto lança luz sobre as práticas avaliativas e pedagógicas que se tem desenvolvido no CMEI Constelação e de que forma a Educação Física tem ajudado as crianças com autismo, e com hipótese de TEA. O objetivo é apresentar essa tensão entre a suspeita e o diagnóstico de autismo, os diálogos com as famílias e os encaminhamentos que ocorreram em 2017 e de que forma a Educação Física tem contribuído com a superação das limitações impostas pelo autismo, mas também, valorizando as potencialidades de cada sujeito. As famílias que aceitaram as indicações de investigar o comportamento de seus filhos/filhas, e acolheram as suspeitas levantadas pelos professores e profissionais envolvidos com a educação das crianças, relataram uma melhora significativa na superação de barreiras impostas pelo transtorno. As intervenções pedagógicas, mesmo na ausência de um diagnóstico precoce, colaboraram para ampliar as capacidades das crianças e reduzir os impactos do TEA nas dimensões comunicativas, sociais e comportamentais.


Palavras-chave


Autismo; Educação infantil; Educação física; Inclusão

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANDRADE, Aline Abreu; COSTA, Ana Paula F. A importância do brincar para o desenvolvimento. (in:) CAMARGOS JUNIOR, Walter (Org.). Intervenção precoce no autismo: guia multidisciplinar de 0 a 4 anos. Belo Horizonte: Artesã, 2017.

AYOUB, Eliana. Reflexões sobre a Educação Física na Educação Infantil. Revista Paulista De Educação Física, (supl.4), 53-60, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF: 2010.

CAMARGOS JUNIOR, Walter (Org.). Intervenção precoce no autismo: guia multidisciplinar de 0 a 4 anos. Belo Horizonte: Artesã, 2017.

GONRING, Adriana; DOTZAUER, Daniela (Orgs). Quem é meu filho? Autismo, Psicanálise e Arte. Vitória: PIPA, 2017.

GADIA, Carlos; BORDINI, Dionízioa; PORTOLESE, Joana. Estratégias de identificação: autismo – como identificar. (In:) Autismo e Realidade. Cartilha autismo e a educação. São Paulo: 2013. Disponível em: http://autismo.institutopensi.org.br/wp-content/uploads/manuais/Cartilha-AR-Out-2013.pdf. Acesso em: 09/12/2017.

GRANDIN, Temple; PENEK, Richard. O cérebro autista: pensando através do espectro. Rio de Janeiro: Record, 2015.

MARTINS, Lígia Martins. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

ORRÚ, Sílvia Ester. Aprendizes com autismo: aprendizagem por eixos de interesse em espaços não excludentes. Petrópolis, RJ: 2016.

THOMPSON, Travis. Conversa franca sobre autismo: guia para pais e cuidadores. Campinas, SP: Papirus, 2014.

VYGOTSKY, Lev S. Pensamento e linguagem. Trad. Jefferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins, 2005.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n41p274

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.