Os desafios da educação dos filhos dos decasséguis no Japão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2021.e73417

Palavras-chave:

Decasségui, Escolarização, Migração, Pertencimento

Resumo

Com a migração dos nipo-brasileiros para o Japão, movimento denominado decasségui, iniciado em meados de 1980, os seus filhos, nascidos naquele país ou no Brasil e que migraram em idade precoce, vivem os desafios da escolarização, a qual pode ocorrer nas escolas públicas japonesas ou em escolas privadas brasileiras no Japão. De acordo com a experiência da escolarização, a aquisição do idioma, os planos de futuro, a constituição identitária e do pertencimento apresentam questões específicas. Este artigo focaliza os dados obtidos de 2012 a 2015, através do desenvolvimento de um projeto em escolas no Japão. Constata-se que o tipo de escola influencia a aquisição do idioma, alterando as possibilidades de acesso ao ensino superior e, em ambos os casos, os jovens se identificam com o Japão. Utilizando a teoria psicanalítica e estudos migratórios, podemos notar que o processo educativo resultará em implicações subjetivas, sociais e identitárias desses jovens.

Biografia do Autor

Mary Yoko Okamoto, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp - Câmpus de Assis.

Professora Assistente Doutora. Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Psicologia Clínica.

Cizina Célia Fernandes Pereira Resstel, Doutora em Psicologia Clínica. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp, Câmpus de Assis.

Psicóloga Clínica.

Juliana Fernanda de Barros, Mestre e doutoranda em Psicologia - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp, Câmpus de Assis.

Docente do curso de psicologia das Faculdade Integradas de Três Lagoas (AEMS).

Referências

AGÊNCIA HARU. Brasileiros no Japão por província. 2018. Disponível em: https://agenciaharu.com.br/brasileiros-no-japao-por-provincia/amp/ Acesso em: 27 jul. 2020.

BELTRÃO, Kaizô Iwakami.; SUGAHARA, Sonoe. Permanentemente temporário: decasséguis brasileiros no Japão. Revista Brasileira de Estudos da População, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 61-85, jan./jun. 2006.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 9.394, 20 de dezembro de 1996.Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 20 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm Acesso em: 03 mar. 2020.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Consulado Geral do Brasil em Nagoya. Escolas brasileiras. Disponível em: http://nagoia.itamaraty.gov.br/pt-br/escolas_homologadas.xml Acesso em: 03 mar. 2020.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Consulado Geral do Brasil em Tóquio. Estatísticas e bibliografia. Disponível em: http://cgtoquio.itamaraty.gov.br/pt-br/estatisticas_e_bibliografia.xml#noticias e pesquisas Acesso em: 11 abr. 2020.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Embaixada do Brasil em Tóquio. Escolas homologadas. Disponível em: http://toquio.itamaraty.gov.br/pt-br/educacao.xml#homologadas. Acesso em: 03 mar. 2020.

CARIGNATO, Taeco Toma. A construção de uma clínica psicanalítica para migrantes. Rev. Inter. Mob. Hum., Brasília, Ano XXI, n. 40, p. 107-129, jan./jun. 2013.

CARIGNATO, Taeco Toma; ROSA, Miriam Debieux; BERTA, Sandra Letícia. Imigrantes, migrantes e refugiados: encontros na radicalidade estrangeira. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana - REMHU, São Paulo, ano XIV, n. 26, p. 83-118, 2006.

CORREA, Olga B. Ruiz. (org.). Os avatares da transmissão psíquica geracional. São Paulo: Escuta, 2000a.

CORREA, Olga B. Ruiz. (org.). O legado familiar: a tecelagem grupal da transmissão psíquica. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2000b.

CORREA, Olga B. Ruiz. (org.). Crises e travessias. Curitiba: KBR, 2015.

COSTA, João Pedro Corrêa. De decasségui a emigrante. Brasília: Fundação Alexandre Gusmão, 2007.

DANTAS, Sylvia Duarte; UENO, Laura; LEIFERT, Gabriela; SUGUIURA, Marcos. Identidade, migração e suas dimensões psicossociais. Brasília: REMHU – Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, Brasília, ano XVIII, n. 34, p. 45-60, 2010.

DIAS, Nilta. Crianças e jovens brasileiros no Japão: educação, cultura e inquietudes. Quaestio - Revista de Estudos em Educação. Sorocaba, SP, v. 19, n. 3, p. 607-629, 2017.

EMBAIXADA DO JAPÃO NO BRASIL. Visto. Disponível em: https://www.br.emb-japan.go.jp/itpr_pt/visto.html Acesso em: 10 mar. 2019.

FERNANDES, Maria Inês Assumpção; GOMES, Isabel Cristina; LEVISKY, Ruth Blay. Diversidade cultural e a noção de “entre dois”. In: RAMOS, Magdalena. (org.). Novas fronteiras da clínica psicanalítica de casal e família. São Paulo: Escuta, 2016.

ISHII, Angelo. Reflexões sobre os 20 anos do movimento “dekassegui” – a perspectiva de um brasileiro radicado no Japão. In: MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. 20 anos dos brasileiros no Japão. Brasília: FUNAG, 2010.

JAPAN. Ministry of Education, Culture, Sports, Science and Technology. Guidebook for starting school: procedures for entering Japanese schools. 2015. Disponível em: https://www.mext.go.jp/component/a_menu/education/micro_detail/__icsFiles/afieldfile/2016/06/24/1358299_01.pdf Acesso em: 17 jul. 2020.

JAPÃO. Ministério da Educação, Ciência e Tecnologia. Guia escolar: Procedimentos para matrícula em escola japonesa. abr. 2005. Disponível em: http://www.curitiba.br.emb-japan.go.jp/files/000122289.pdf. Acesso em: 27 maio 2018.

KAWABE, Ana Laura. Japão registra mais de 220 mil casos de “ijime” nas escolas em um ano. Jornal Alternativa, 2016. Disponível em: https://www.alternativa.co.jp/Noticia/View/62532/Japao-registra-mais-de-220-mil-casos-de-ijime-nas-escolas-em-um ano?fb_comment_id=1110306519083676_1110470762400585&fb_comment_id=1110306519083676_1110470762400585 Acesso em: 10. abr. 2020.

KOJIMA, Yoshimi. O ambiente educacional das crianças brasileiras residentes no Japão e suas implicações. In: VÁRIOS AUTORES. Centenário: contribuição da imigração japonesa para o Brasil moderno e multicultural. 1. ed. São Paulo: Paulo’s Comunicação e Artes Gráficas, 2010. p. 381-385.

KOLTAI, Caterina. Traumas decorrentes dos deslocamentos forçados. Diversitas, São Paulo, n. 1, p. 131-137, mar./set. 2013.

MINEI, Akiko. Organização do Sistema Educacional - Sistema Educacional e Multiculturalidade. Universidade Federal de Mato Grosso. 2018. Disponível em: https://setec.ufmt.br/ri/handle/1/47 Acesso em: 19 jul. 2020.

MIZUKAMI, Mário. Palestra proferida no Simpósio Comemorativo do 5o Aniversário do Centro de Informação e Apoio ao Trabalhador no Exterior – CIATE. In: NINOMIYA, M. (org.). “Dekassegui” - 10 anos de história e suas perspectivas futuras. São Paulo: CIATE e Centro de Estabilização de Emprego nas Indústrias, 1998.

MORIYA, Renato Mikio. Fenômeno Dekassegui: um olhar sobre os adolescentes que ficaram. Londrina: CEFIL, 2000.

NAKAGAWA, Décio. Trabalhadores brasileiros no Japão. In: MORIYA, Renato M. Fenômeno Dekassegui: um olhar sobre os adolescentes que ficaram. Londrina: CEFIL, 2000.

NAKAGAWA, Kyoko Yanagida. Crianças e adolescentes brasileiros no Japão: províncias de Aichi e Shizuoka. 2005. 245f. Tese (Doutorado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

NOZAKI, Izumi. A educação escolar das crianças brasileiras no Japão: os paradoxos da imigração. Toronto: Congresso LASA – Associação de Estudos Latino-Americanos, 2010.

NOZAKI, Izumi. Migração e Educação: a escolarização das crianças brasileiras residentes no Japão. Cadernos de estudos culturais, Campo Grande, MS, v. 1, p. 95-114, 2016.

OKAMOTO, Mary Yoko. Dekassegui e família: encontros e desencontros. 2007. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica) - PUC/SP, São Paulo, 2007.

OKAMOTO, Mary Yoko et al. Manual para o atendimento de brasileiros descendentes de japoneses. Programa de Cooperação Técnica (Local) JICA. Programa de desenvolvimento de apoio psicológico no Estado de São Paulo voltado aos decasséguis e seus descendentes que retornam ao Brasil (2012-2014). Nagoya, Japão: Unesp-Assis/ Brasil, Conselho de Promoção para Convivência Multicultural (Japan) e Japan Internacional Cooperation Agency – JICA, 2015. Disponível em: http://www.pref.aichi.jp/syakaikatsudo/kyogikai/tebiki/nikkeiburajirujinnsitehenotaiounikannsurutebiki.pdf. Acesso em: 30 jul. 2020.

OKAMOTO, Mary Yoko; JUSTO, José Sterza; RESSTEL, Cizina Célia Fernandes Pereira. Imigração e desamparo nos filhos de dekasseguis. REMHU, Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, Brasília, v. 25, n. 50, p. 203-219, ago. 2017.

OLIVEIRA, Adriana Capuano. O direito a ser (e continuar sendo) família no contexto da emigração Brasil – Japão. Desafios e desdobramentos. REMHU – Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, Brasília, ano XVI, n. 31, p. 219- 228, 2008.

PINTO, Ana Estela de Sousa. Crianças diagnosticadas como autistas no Japão preocupam brasileiros. Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 jun. 2017. Mundo. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2017/06/1895771-criancas-diagnosticadas-como-autistas-no-japao-preocupam-brasileiros.shtml Acesso em: 10 mar. 2019.

PINTO, Ana Estela de Sousa. Sai primeiro visto para descendente de japonês de quarta geração. Folha de S. Paulo. São Paulo, 9 nov. 2018. Mundo. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/11/sai-primeiro-visto-para-descendente-japones-de-quarta-geracao.shtml Acesso em: 10 mar. 2019.

RESSTEL, Cizina Célia Fernandes Pereira. Leitura Psicanalítica de experiência de trabalho no Japão com filhos de dekasseguis. 2019. Tese (Doutorado em Psicologia) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Assis, 2019. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/183548 Acesso em: 10 abr. 2020.

SASAKI, Elisa Massae Pinheiro. O jogo da diferença: a experiência identitária no movimento dekassegui. 1998. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 1998.

SASAKI, Elisa Massae. Movimento dekassegui: a experiência migratória e identitária dos brasileiros descendentes de japoneses no Japão. In: REIS, R. R.; SALES, T. (org.). Cenas do Brasil migrante. São Paulo: Boitempo, 1999. p. 243-274.

SASAKI, Elisa. A imigração para o Japão. São Paulo: Revista Estudos Avançados, v. 20, n. 57, 2006.

TANAKA, Edna. A volta dos filhos de dekassegui ao Brasil: escolarização, dificuldades e superação. 2009. 151 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

TOBACE, Ewerthon. Depois de dez anos, brasileiros deixam topo do ranking de criminalidade estrangeira no Japão. BBC Brasil, 2012. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2012/02/120224_brasileiros_crime_japao_mv. Acesso em: 10 abr. 2020.

WEISSMANN, Lisette. Migração/exílio e a perda da língua materna. Cad. Psicanál. (CPRJ), Rio de Janeiro, v. 39, n. 37, p. 185-206, jul./dez. 2017.

YONAHA, Tábata Quintana. A educação de crianças e jovens brasileiros no Japão: características sociológicas do fenômeno decasségui e seus reflexos na educação infanto-juvenil. 2013. 51f. Monografia (Graduação) - Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução, Curso de Letras - Japonês, Brasília, 2013.

Downloads

Publicado

2021-03-12