Um diálogo entre o macro e o micro: o que os números revelam sobre a docência masculina na Educação Infantil e o contexto carioca

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n42p437

Palavras-chave:

Professores homens, Educação Infantil, Dados quantitativos, Rio de Janeiro

Resumo

Apesar de os professores homens na Educação Infantil constituírem uma realidade quase imperceptível, esse número vem crescendo, especialmente com os concursos públicos realizados para esse segmento da Educação Básica. Um exemplo é o Município do Rio de Janeiro que fez, até o presente momento, três concursos específicos para o cargo de Professor de Educação Infantil em 2010, 2012 e 2016. Esses possibilitaram e deram subsídios para mudanças no cenário da docência masculina na Rede Pública de Ensino e para o desenvolvimento de diferentes questionamentos. O texto parte de um levantamento de dados quantitativos sobre a presença de professores homens na Educação Infantil proveniente de um panorama de dados do Censo Escolar de 2007 a 2014. O artigo articula os números, algumas pesquisas acadêmicas e reflexões sobre a realidade encontrada com o objetivo de compreender esse fenômeno e contribuir para a discussão sobre gênero e educação.

Biografia do Autor

Alexandra Coelho Pena, PUC-Rio, Departamento de Educação

Graduada em Psicologia pela USU, Especialista em Educação Infantil pela PUC-Rio, Mestre pelo Instituto de Psicologia da UFRJ e Doutora em Educação pela PUC-Rio. Pós-doutorado no Departamento de Educação da PUC-Rio. Integrante do Grupo de Pesquisa INFOC (Infância, Formação e Cultura) desde 2011. Professora do Departamento de Educação da PUC-Rio. Coordenadora e Professora do Curso de Especialização em Educação Infantil: perspectivas de trabalho em creches e pré-escolas da PUC-Rio. Coordenadora e Professora do Curso de Extensão A Creche e o trabalho cotidiano com crianças de 0 a 3 anos da PUC-Rio. Experiência nas áreas de Estudos da Infância, Educação Infantil, Formação de Professores e Pesquisa.

Rodrigo Ruan Merat Moreno, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e Secretária Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-RJ)

Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC - RJ (2017), atualmente desenvolve pesquisa a cerca das histórias de vida dos Professores Homens que trabalham com Educação Infantil no Município do Rio de Janeiro. Pós-graduado em Educação Infantil (lato sensu) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC – RIO), concluído em 2012/2. Graduado em Pedagogia na Faculdade de Educação na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) no ano de 2011. Desde 2013 é Professor do Município do Rio de Janeiro trabalhando com turmas de Educação Infantil. Atuou com turmas de Educação Infantil no Colégio Pedro II como Professor Substituto (contratado) durante os anos de 2013 e 2014. Trabalhou na Escola Oga Mitá com turmas de Educação Infantil durante o ano de 2010 até 2013. Tem experiência em pesquisa na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de leitores, práticas de leitura na escola e na sociedade, gênero, afetividade e Educação Infantil.

Referências

ALVES, Benedita Francisca. A experiência vivida de professores do sexo masculino na educação infantil: uma questão de gênero? 2012. 115 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Programa de Pós-graduação em Psicologia. Universidade de Fortaleza - UNIFOR, Fortaleza, 2012.

BARBOSA, Ana. Paula Tatagiba. Há guardas nas fronteiras: discursos e relações de poder na resistência ao trabalho masculino na educação da infância. (Rio de Janeiro, 2009-2012). 2013. 275 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Departamento de Serviço Social. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Rio de Janeiro, 2013.

BRANDAO, Zaia. A dialética micro/macro na Sociologia da Educação. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 113, p. 153-165, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Diretoria de Estatísticas Educacionais (DEEd). Censo escolar da educação básica 2014. Brasília, DF: MEC/INEP, 2014. Disponível em: http://inepdata.inep.gov.br. Acesso em: agosto de 2017.

HAFERKAMP, Hans. (1987) Complexity and Behavior Structure, Planned Associations and Creaton of Structure. In: ALEXANDER, Jeffrey. C., GIESEN, Bernhard, MUNCH, Richard, SMELSER, Neil. J. (editors) The Micro-Macro Link. Berkeley/Los Angeles, California: Universily of California Press. 1987. p. 177-192.

HOUAISS, Antonio. e VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. Disponível em: https://houaiss.uol.com.br/. Acesso em: 8 junho. 2020

MORENO, Rodrigo Ruan Merat. “Essa turma precisa de uma figura masculina!”: Diálogos e Práticas Afetivas de um professor homem na Educação Infantil. Rio de Janeiro. Monografia da Especialização em Educação Infantil. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

MORENO, Rodrigo Ruan Merat. Professores Homens na Educação Infantil do Município do Rio de Janeiro: Vozes, Experiências, Memórias e História. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação da PUC-Rio, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

OCDE. Educação e Cuidado na Primeira Infância: Grandes Desafios. Brasília: UNESCO. Brasil/OCDE/Ministério da Saúde, 2002.

PENA, Alexandra Coelho. Histórias de Vida de Professores Homens na Educação Infantil. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador , V.01, N.01,P.118- 131, Jan./Abr.2016.

PEREIRA, Maria Artete Bastos. Professor-homem na educação infantil: a construção de uma identidade. 2012. 162 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Saúde na infância e adolescência) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo, 2012.

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação Gerencia Especial de Educação Infantil. Espaço de Desenvolvimento Infantil EDI: modelo conceitual e estrutura. Rio de Janeiro: SME-RJ, 2010.

RAMOS, Joaquim e XAVIER, Maria do Carmo. A presença de educadores do sexo masculino na educação e cuidado de crianças pequenas. Fazendo Gênero 9. Diásporas, Diversidades, Deslocamentos. Universidade Federal de Santa Catarina, 2010.

RAMOS, Joaquim. Um estudo sobre os professores homens da educação infantil e as relações de gênero na rede municipal de Belo Horizonte. 2011. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2011.

ROSA, Fábio José da Paz. O dispositivo da sexualidade enquanto enunciador do professor-homem no magistério das séries iniciais e educação infantil. 2012. 99 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Cultura e Comunicação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2012.

SCRAMINGNON, Gabriela Barreto da Silva. "Eu lamento, mas é isto que nós temos". O lugar da creche e de seus profissionais no município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

SAPAROLLI, Eliana Campos Leite. Educador Infantil: uma ocupação de gênero feminino. 1997. 181 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1997.

SAYÃO, Débora Tomás. Relações de gênero e trabalho docente na educação infantil: um estudo de professores em creches. 2005. 273 f. Tese (Doutorado em Ciências da Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

SOUSA, José Edilmar de. Por acaso existem homens professores de educação infantil?: dois estudos de caso em representações sociais. 2011. 207 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Ceará, 2011.

SOUZA, Maria Isis. Homem como professor de creche: sentidos e significados atribuídos pelos diferentes atores institucionais. 2010. 248 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.

VELHO, Gilberto. “Observando o familiar”. In: NUNES, Edson de Oliveira (org.). A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, p. 36-46, 1978.

WILLIANS, Christine. Still a man world: men who do “women work”. Berkeley: University of California Press, 1995.

Downloads

Publicado

2020-11-05