Experiências de pesquisa de um corpo masculino adulto numa instituição de Educação Infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n42p656

Palavras-chave:

Infância, Educação Infantil, Gênero, Pesquisa com crianças, Corpo

Resumo

Este texto tem como objetivo refletir sobre as relações que envolveram a presença de um pesquisador homem em uma instituição pública de Educação Infantil. Fruto de um estudo que buscou compreender as experiências de crianças e adultos pelos/nos espaços da cidade de Belo Horizonte, em especial praças, parques, mercados e museus por meio de excursões, teve como principal aporte teórico-metodológico a pesquisa etnográfica em conjunto com a pesquisa colaborativa. Durante a estadia no campo, o pesquisador viu-se desafiado a construir conjuntamente com as crianças e a professora relações de pesquisa mais colaborativas e relacionais, buscando analisar como a identidade de gênero do pesquisador, expressa em sua corporeidade, informou a relação com as crianças e professora durante a realização da pesquisa.

Biografia do Autor

Tulio Campos, Centro Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da UFMG. Docente do Centro Pedagógico da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG.

Maria Cristina Soares Gouvêa, Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorado em História da Educação (1997) pela Universidade Federal de Minas Gerais , pós- doutorado em História pela Oxford University (2010), pós- doutorado em História da Educaçao pela Universidade de Lisboa(2005) . Atuação profissional: Professora titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais.

José Alfredo Oliveira Debortoli, Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG.

Professor dos Cursos de Graduação em Educação Física EEFFTO/UFMG; Professor do Programa de Pós-Graduação em Estudos do Lazer EEFFTO/UFMG; e Professor do Mestrado Profissional Educação e Docencia FaE/UFMG. Possui Mestrado em Educação pela FaE/UFMG e Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Cursou Pós-Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UnB. 

Referências

BENJAMIN, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. 2. ed. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2009.

BENJAMIN, Walter. Arte, política, magia e técnica. Obras escolhidas v. 1, 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BUSTAMANTE, Vânia.; TRAD, Leny. Participação paterna no cuidado de crianças pequenas: um estudo etnográfico com famílias de camadas populares. IN: Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 6. nov-dez, 2005.

CARVALHO, Alexandre Filordi; MÜLLER, Fernanda. Ética nas pesquisas com crianças: uma problematização necessária. In: Infância em perspectiva: políticas, pesquisas e instituições. Fernanda Müller (Org.). São Paulo: Cortez, 2010. p. 65-84.

CORSARO, Willian. Reprodução interpretativa e cultura de pares. In: MÜLLER, F. e CARVALHO, A. M. A. Teoria e prática na pesquisa com crianças: Diálogos com William Corsaro. São Paulo: Cortez Editora, 2009.

CORSARO, Willian. The Sociology of childhood. London: Sage Publications, Inc. 2nd Edition. 2005.

CORSARO, Willian. Entrada no campo, aceitação e natureza da participação nos estudos etnográficos com crianças pequenas. Educação e Sociedade. Campinas, v. 26, n. 91, p. 443-464, maio/ago., 2005a. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v26n91/a08v2691.pdf. Acesso em 27 jun. 2020.

CORSARO, Willian. Entering the Child´s world: research strategies for studying peer culture. In: CORSARO, W. Friendship and peer cultures in the early years. Norwood, N.J.: Ablex Publications Corp., 1985. p.1-50.

CHRISTENSEN, Pia; PROUT, Alan. Working with ethical symmetry in social research with children. Childhood, v. 9, n. 4, p. 477-497, 2002.

CHRISTENSEN, Pia.; JAMES, Alisson. (Ed.) Research with children: perspectives and practices. 2. ed. Nova Iorque: Routledge, 2008.

DEBORTOLI, José Alfredo Oliveira. As crianças e as brincadeiras. In: CARVALHO, Alyson; SALLES, Fátima; GUIMARÃES, Marilia. (Orgs.). Desenvolvimento e Aprendizagem. 1. ed. v. 1. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002, p. 77-88.

DEBORTOLI, José Alfredo Oliveira. Infâncias na creche: Corpo e memória nas práticas e nos discursos da Educação Infantil – um estudo de caso em Belo Horizonte. 2004. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2004.

FAVRET-SAADA, Jeanne. Ser afetado (tradução de Paula de Siqueira Lopes). Cadernos de Campo, n. 13, p. 155-161, 2005.

FERNANDES, Natália. Ética na pesquisa com crianças: ausências e desafios. Revista Brasileira de Educação v. 21 n. 66 jul.-set. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v21n66/1413-2478-rbedu-21-66-0759.pdf. Acesso em: 18 jun. 2020.

FERREIRA, Maria Manuela Martinho. “Branco demasiado” ou... Reflexões epistemológicas, metodológicas e éticas acerca da pesquisa com crianças. In: Manuel Sarmento; Maria Cristina Soares de Gouvêa. (Orgs.). Estudos da infância: educação e práticas sociais. 1. ed., v. 1. Petrópolis: Vozes, 2008, p.143-162.

FERREIRA, Manuela. “- Ela é a nossa prisioneira!” - questões teóricas, epistemológicas e ético-metodológicas a propósito dos processos de obtenção da permissão das crianças pequenas numa pesquisa etnográfica. Revista Reflexão e Acção – Revista do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação e Mestrado da UNISC (Universidade de Santa Cruz do Sul), Vol 18, nº 2, pp: 151-182, 2010. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/1524/0. Acesso em: 20 set. 2020.

FERREIRA, Manuela; NUNES, Ângela. Estudos da infância, antropologia e etnografia: potencialidades, limites e desafios. Linhas Críticas. Brasília, Distrito Federal, v. 20, n. 41, p. 103-123, jan/abr., 2014. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/4260/3896. Acesso em: 20 jun. 2020.

FREITAS, Amanda Fonseca Soares. Corpo, Linguagem e Infância em Movimento: etnografia em uma escola de tempo integral da rede municipal de Belo Horizonte. 2015. 283f. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2015.

GASPAROTTO, Denise Moreira; MENEGASSI, Renilson José. Aspectos da pesquisa colaborativa na formação docente. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 34, n. 3, p. 948-973, set./ago. 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2016v34n3p948/pdf_1. Acesso em: 28 jun. 2020.

GOLDMAN, Marcio. Os tambores dos mortos e os tambores dos vivos. Etnografia, antropologia e política em Ilhéus, Bahia. Revista de Antropologia, São Paulo: USP, v. 46, n. 2, p. 423-444, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ra/v46n2/a12v46n2.pdf. Acesso em: 18 mar. 2020.

GOMES, Ana Maria Rabelo; GOUVÊA, Maria Cristina Soares de. A criança e a cidade: entre a sedução e o perigo. In: Debortoli, José Alfredo Oliveira.; Martins, Maria de Fátima Almeida.; Martins, Sérgio. (Orgs.). Infâncias na metrópole. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008, p. 47-69.

GOMES, Ana Maria. Outras crianças, outras infâncias? In: GOUVÊA, Maria Cristina; SARMENTO, Manuel (Orgs). Estudos da infância: educação e práticas sociais. Petrópolis, Vozes, 2008. p. 97-118.

GOULART, Maria Inês Mafra. Infância e Conhecimento. Paidéia, Belo Horizonte, n. 4, v. 5, p.28-41, jan./jun. 2008. Disponível em: http://www.fumec.br/revistas/paideia/article/view/922/696. Acesso em: 28 jun. 2020.

GOULART, Maria Inês Mafra. A exploração do mundo físico pela criança: Participação e aprendizagem. 2005. 272f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005.

GOULART, Maria Inês Mafra; RIBEIRO, N. A.; PEREIRA, A. F. Participação e Aprendizagem das crianças da UMEI Silva Lobo na exploração do mundo natural. In.: Crianças, professoras e famílias: olhares sobre a Educação Infantil. SILVA, Isabel Oliveira; LUZ, Iza Rodrigues; GOULART, Maria Inês Mafra. (Orgs.). 1. ed. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2016, v.1, p. 50-63.

JAEGER, Angelita Alice; JACQUES, Karine. Masculinidades e docência na educação infantil. Rev. Estud. Fem., Florianópolis, v. 25, n. 2, p. 545-570, Aug. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ref/v25n2/1806-9584-ref-25-02-00545.pdf. Acesso em: 10 Jul. 2020.

INGOLD, Tim. Estar Vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Tradução de Fábio Creder. Petrópolis: Vozes, 2015.

JAMES, Alisson. Embodied Being(s): Understanding the Self and the Body in Childhood. In: PROUT, A. (Org.), The Body, Chidhood and Society. New York: St. Martin´s Press, 2000. p. 19-37.

KOHAN, Walter Omar. Infância: Entre Educação e Filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

LANSKY, Samy. Praça Jerimum: cultura infantil no espaço público. Dissertação de Mestrado. 2006. 203f. Universidade Federal de Minas Gerais, 2006, 203p.

Mayall, Berry. (2008) Conversations with Children: Working with Generational Issues. In: Christensen, P. and James, A., Eds., Research with Children: Perspectives and Practices, Routledge, New York, 109-124.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MÜLLER, Fernanda. Mobilidade Urbana de Crianças: agenda de pesquisa e possibilidade de análise. Educação (PUCRS. Impresso), Porto Alegre, v. 41, p. 177-188, 2018. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/30544/17254. Acesso em: 23. maio. 2020.

MÜLLER, Fernanda. Um Estudo Etnográfico sobre a Família a partir do Ponto de Vista das Crianças. Currículo sem Fronteiras, Porto Alegre, v. 10, p. 246-264, jan./jun. 2010. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol10iss1articles/muller.pdf. Acesso em: 18 abr. 2020.

NEVES, Vanessa Ferraz Almeida. Tensões Contemporâneas no Processo de Passagem da Educação Infantil para o Ensino Fundamental: um estudo de Caso. 2010. 271f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, 2010.

NOBREGA, Terezinha Petrucia da. Corpo, percepção e conhecimento em Merleau-Ponty. Estudos de Psicologia, Natal, v.13. n.2, 2008., p. 141-148. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/epsic/v13n2/06.pdf. Acesso em: 28 jun. 2020.

PEREIRA, Rita Maria Ribes. Pesquisa com crianças. In: PEREIRA, R.M.R; MACEDO, N. M. R. (Orgs.). Infância em pesquisa. Rio de Janeiro: NAU, 2012, p. 59-86.

PRENDERGAST, Shirley. 'To Become Dizzy in Our Turning': Girls, Body-Maps and Gender as Childhood Ends. In: PROUT, Alan. The Body, Childhood and Society. New York: St. Martin´s Press, 2000. P. 101- 127.

PIRES, Flávia Ferreira. Quem tem medo de mal-assombro? Religião e Infância no semi-árido nordestino. 2007. 235f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2007.

PROUT, Alan. Participação, políticas e as condições da infância e mudança. In: Infância em perspectiva: políticas, pesquisas e instituições. Fernanda Müller (Org.). São Paulo: Cortez, 2010. p. 21-40.

RAMOS, Joaquim. Um estudo sobre os professores homens da educação infantil e as relações de gênero na rede municipal de Belo Horizonte – MG. Belo Horizonte, 2011. 139 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2011.

RAMOS, Joaquim; XAVIER, Maria do Carmo. “A presença de educadores do sexo masculino na educação e cuidado de crianças pequenas”. In: FAZENDO GÊNERO - DIÁSPORAS, DIVERSIDADES, DESLOCAMENTOS, 9, Florianópolis. UFSC, 2010. p. 01-09. Disponível em: http://goo.gl/2rqbMs . Acesso em: 20 jun.2020.

SANTOS, Sandro Vinícius Sales dos. Socialização de Gênero na Educação Infantil: uma análise a partir da perspectiva das crianças. 2016. 313f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SANTOS, Sandro Vinícius Sales dos.; RAMOS, Joaquim. Estranhos no ninho: a questão dos professores homens na Educação Infantil. Pensar e Educação em Pauta, Universidade Federal de Minas Gerais, 04 set. 2015.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Infância e cidade: restrições e possibilidades. Educação (Porto Alegre), v. 41, n. 2, p.232-240, maio/ago. 2018. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/download/31317/17259. Acesso em: 20 abr. 2020.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Conhecer a infância: os desenhos das crianças como produções simbólicas. In: Das Pesquisas com crianças à complexidade da infância - Altino J. Martins Filho & Patrícia D. Prado (Orgs.) - Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SARMENTO, Manuel. GOUVÊA, Maria Cristina Soares de. Apresentação: olhares sobre a infância e a criança. In: SARMENTO, Manuel. GOUVÊA, Maria Cristina Soares de. Estudos da infância: educação e práticas sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Sociologia da Infância: correntes e confluências. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; GOUVÊA, Maria Cristina S. (Orgs.). Estudos da infância: educação e práticas sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

SARMENTO, Manuel Jacinto. As culturas da infância nas encruzilhadas da 2ª modernidade. In: SARMENTO, M. J; CERISARA, A. B. (Orgs.). Crianças e miúdos: perspectivas sócio-pedagógicas da infância e educação. Porto: Asa, 2004. p. 9-34. Disponível em: http://peadrecuperacao.pbworks.com/w/file/fetch/104617678/Texto%20Aula%2011%20-%20Sarmento.pdf. Acesso em: 22 maio. 2020.

SARMENTO, Manuel Jacinto. O Estudo de Caso Etnográfico em Educação. In N. Zago; M. Pinto de Carvalho; R. A. T. Vilela (Org.) Itinerários de Pesquisa - Perspectivas Qualitativas em Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 137-179. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/55637011.pdf. Acesso em: 8 jun. 2020.

SAYÃO, Deborah Thomé. Relações de gênero e trabalho docente na educação infantil: um estudo de professores em creche. 2005. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

SPYROU, Spyous. Disclosing Childhoods Studies In: Childhood and Youth. London: Palgrave Macmillan, 2018.

Downloads

Publicado

2020-11-05