“Eu acho estranho!” Compreensões da presença de profissionais homens em contextos interculturais da Educação Infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n42p409

Palavras-chave:

Gênero, Presença masculina na Educação Infantil, Educação Infantil

Resumo

Este artigo apresenta os resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que visou investigar as compreensões da prática pedagógica em educação infantil (EI) a partir de videogravação. A referida pesquisa utiliza o método Sophos que combina a apresentação de filmes do cotidiano da EI de contextos contrastantes e sua discussão em grupos focais (GF), formados de pessoas ligadas ao campo de investigação. O estudo se inspira na pesquisa de Jensen e envolveu a edição de dois filmes do cotidiano da educação infantil, no Brasil e na Dinamarca, e sua exibição a vários GF. Para este artigo, foram alvo de análise, à luz das teorias de gênero, as compreensões da presença de profissionais homens, a partir das discussões ocorridas em sete GF realizados no estado de Alagoas. Os resultados indicam que a presença masculina na EI ainda provoca reações de estranhamento, revelando poder do método ao colocar em confronto experiências distintas, familiar (brasileira) e estrangeira (dinamarquesa).

Biografia do Autor

Lenira Haddad, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, Alagoas

Pós-doutorado em Psicologia Social no Laboratório de Psicologia Social da Universidade Aix-Marseille, França (2011), Doutorado em Educação pela Faculdade de Educação da USP (1997), Mestrado em Psicologia Escolar pelo Instituto de Psicologia da USP (1989), Especialização na abordagem educativa High/Scope pela High/Scope Educational Research Foundation (1992), graduação em Psicologia pela FFCL-USP Ribeirão Preto (1979). É professora associada da Universidade Federal de Alagoas, pesquisadora associada do Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais e Subjetividade ? Educação (CIERS-ed) da Fundação Carlos Chagas, membro do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora. Professora e orientadora do Programa de Pós-graduação em Educação da UFAL e líder do Grupo de Pesquisa "Educação Infantil e Desenvolvimento Humano". Especialista em educação infantil, atua em uma ampla gama de interesses tais como: políticas integradas de cuidado e educação infantil, representações sociais, abordagens curriculares (High/Scope, Reggio Emilia, pedagogia dos países escandinavos, Movimento da Escola Moderna Português), profissionalismo e formação do/a profissional da educação infantil, pesquisa com crianças e cultura de pares. Desde 2018 coordena o Programa de pesquisa e extensão "A criança, a cidade e o patrimônio: saberes e fazeres das comunidades penedense e eborense em parceria com a Universidade de Évora e a Prefeitura do município de Penedo.

Claudia Denise Sacur Marques, Universidade Federal de Alagoas

Graduada no curso de Pedagogia da Universidade Federal de Alagoas. Pós-graduanda no curso de neuropedagogia na Faculdade da Cidade de Maceió UNIP. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Musical

Luciano Henrique da Silva Amorim, Universidade Federal de Alagoas

Doutoramento em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação - PPGE da Univerdade Federal de Alagoas - Ufal. Mestre em Educação (2018) pelo PPGE - Ufal e Pedagogo licenciado (2015) pelo Centro de Educação -CEDU/Ufal. Atua como pesquisador no Grupo de Pesquisa Juventudes, Culturas e Formação - CNPq/UFAL, no qual desenvolve estudos sobre memórias, poder, gênero, corpo e lutas sociais. Membro dos Grupos de Pequisa Currículo, Atividade Docente e Subjetividades - CNPq e do GP Trabalho, Estado, Sociedade e Educação - TESE/UFAL, pelo qual, recebeu a Excelência Acadêmica (2014). Tem como áreas de interesse: currículo, luta de classes, Educação na América Latina, gênero, lutas sociais e pedagogias subversivas. Foi professor das Séries Iniciais do Município de Maceió e do Estado de Alagoas entre os anos de 2013- 2014. Coordenou o setor de Educação Infantil do Projeto de Apoio a Meninos e Meninas de Rua de Maceió - Erê entre os anos de 2015-2017. Atualmente é Professor Adjunto A no Campus Arapiraca da Universidade Federal de Alagoas - UFAL na área de Política Educacional e Formação de Professores.

Referências

AGUIAR JÚNIOR, Josoé Durval. Professores de bebês: elementos para compreensão da docência masculina na educação infantil. Dissertação (Mestrado em Educação: História, Política e Sociedade). São Paulo: PUCSP, 2017.

AMORIM, Luciano. Materna-idades: trajetórias femininas e pedagogias de um currículo marginal na periferia de Maceió – AL. Dissertação (Mestrado em Educação). Maceió: UFAL, 2018.

ARAÚJO, Messias Pereira; HAMMES, Care Cristiane. A androfobia na educação infantil. Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 3, n. 7, p. 5-20, 2012.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, maio-ago, 2011, p. 549-559. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200016> Acessado em: 20/07/2020.

BONIFÁCIO, Gabriel Hengstemberg. A profissionalização do docente masculino da Educação Infantil: inserção, estabilidade e atravessamentos. Dissertação, (Mestrado em Educação). Universidade Federal de São Carlos: Campus Sorocaba, 2019.

BROSTRÖM, Stig. et al. Preschool teachers’ views on children's learning: an international perspective. Early Child Development and Care, v. 185, n. 5, 2015, 824–847. Disponível em: <https://doi.org/10.1080/03004430.2014.958483> Acessado em: 20/07/2020.

CAMERON, Claire.; MOSS, Peter. Care Work in Europe. Current understandings and future directions. Londres; Nova Iorque: Routledge, 2007.

FBSP. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Violência Doméstica durante a Pandemia de Covid-19 . Nota técnica. Abril, 2020.

GONÇALVES, Josiane Peres; FARIA, Adriana Horta de; REIS, Maria das Graças Fernandes de Amorim dos. Olhares de professores homens de Educação Infantil: conquistas e preconceitos. Perspectiva, Florianópolis, v. 34, n. 3, p. 988-1014, fev. 2017.

HADDAD, Lenira. Compreensões de práticas pedagógicas em educação infantil: olhares sobre o ambiente de um centro infantil de idades integradas na Dinamarca. Educação Unisinos (ONLINE), v. 24, p. 1-16, 2020. Disponível em:

https:// doi: 10.4013/Edu. 2020.241.11

HADDAD, Lenira. O uso de filmes para obter compreensões sobre a prática pedagógica em educação infantil: duas abordagens metodológicas. EccoS – Revista Científica, São Paulo, n. 50, e14016, jul./set. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5585/EccoS. n50.14016.

HADDAD, Lenira. Compreensões da prática pedagógica de educação infantil: observações de segunda ordem a partir de videogravação. Maceió, UFAL, 2018. (Relatório de pesquisa)

HADDAD, Lenira. A creche em busca de identidade. 4. ed. Curitiba: CRV, 2016. 226p.

HADDAD, Lenira. Ecologia do Atendimento Infantil: construindo um modelo de sistema unificado de cuidado e educação. 1997. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

HADDAD, Lenira; JENSEN, Jytte Juul. Um dia em uma instituição dinamarquesa de educação infantil de idades integradas. Maceió, Edufal, 2017. Filme (30 min).

HANSEN, Helle Krogh.; JENSEN, Jytte Juul. A study of understandings in care and pedagogical practice: experiences using the Sophos model in cross national studies. Londres, 2004.

HERRERA, Florencia. La otra mamá: madres no biológicas em la pareja lésbica. In: GROSSI, Miriam Pillar; UZIEL, Anna Paula; MELLO, Luiz. Conjugalidades, parentalidades e identidades lésbicas, gays e travestis. Rio de Janeiro, Editora Garamond, 2007. p. 213-232.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/al.html> Acessado em: 22/07/2020.

INEP. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXIERA. Sinopse Estatística da Educação Básica 2019. Brasília: Inep, 2020. Dísponível em: <http://portal.inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica>. Acessado em: 27/07/2020.

IPEA, Instituto de Pesquisa e Economia Aplicada. Atlas da Violência, 2019. Disponível em <https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/download/19/atlas-da-violencia-2019> Acessado em: 20/07/2020.

JENSEN, Jytte Juul; HADDAD, Lenira. O programa de formação de pedagogos na Dinamarca: especialização em pedagogia da primeira infância. Poiésis. Unisul, Tubarão, v. 12, n. 21, p. 9-31, jan-jun, 2018. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v12e2120189-31> Acessado em: 22/07/2020.

JENSEN, Jytte Juul. A Danish Perspective on Issues in Early Childhood Education and Care Policy. In: L. Miller et.al. Sage Handbook of Early Childhood. Sage: London, 2017. p. 71-86.

JENSEN, Jytte Juul. Understandings of Danish pedagogical practice. In: CAMERON, Claire.; MOSS, Peter. Social pedagogy and working with children and young people. Londres; Filadélfia: Jessica Kingsley, 2011, p. 141-157.

JENSEN, Jytte Juul. Men as worker in childcare services: A Discussion Paper. London, European Comission Network on Childcare, 1996. 56p.

JENSEN, Jytte Juul. Men as worker in childcare services. In: C. Owen, C. Cameron & P. Moss (Eds). Men as workers in services for young children: issues of gender workforce (London, Institute of Education), 1988. p. 118–136.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, história e educação: construção e desconstrução. Educação & Realidade. v. 20, n. 2, jul-dez, 1995, p. 101-132. Disponível em: < https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71722> Acessado em: 20/07/2020.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

LOURO, Guacira Lopes. (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica Editora; UFOP - Universidade Federal de Ouro Preto, 2012.

PEETERS, Jan; ROHRMANN, Tim; EMILSEN, Kari. Gender balance in ECEC: why is there so little progress? European Early Childhood Education Research Journal. V.23, n. 3, 2015, p. 302-314. Disponível em: <https://doi.org/10.1080/1350293X.2015.1043805> Acessado em: 22.07.2020.

PNAD. PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS CONTÍNUA (), 2019. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101657_informativo.pdf> Acessado em: 22.07.2020.

RAMOS, Joaquim. Um estudo sobre os professores homens da educação infantil e as relações de gênero na Rede Municipal de Belo Horizonte – MG. 2011. 139 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Minas Gerais, 2011.

ROHRMANN, Tim. Men as promoters of change in ECEC? An international overview. Early Years, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.1080/09575146.2019.1626807> Acessado em: 22/07/2020.

SACUR, Claudia Denise; HADDAD, Lenira; AMORIM, Luciano. Incômodo e desconforto com a presença masculina no ambiente de educação infantil: um estudo acerca das compreensões da prática pedagógica por profissionais de educação infantil e estudantes de pedagogia de Alagoas. 2019. 25f. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2019.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, patriarcado, violência. 2ª ed. - São Paulo: Expressão Popular, 2015.

SCHREYER, Inge; OBERHUEMER, Pamela. Denmark – Key Contextual Data. In: Workforce Profiles in Systems of Early Childhood Education and Care in Europe, 2017.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. V. 29, n.2, p. 71-99, jul./dez., 1995. Disponível em: < https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721> Acessado em: 20/07/2020.

TOBIN, Joseph. The disappearance of the body in early childhood education. In: BRESLER, L. (ed.). Knowing bodies, moving minds: towards embodied teaching and learning. Landscapes: The Arts, Aesthetics, and Education, 2004.

TOBIN, Joseph; HSUEH, Yeh. The Poetics and Pleasures of Video Ethnography of Education. In: GOLDMAN, R. (Ed). Video Research in the Learning Sciences. NY: Lawrence Erlbaum Associates. 2007. p. 77–92

TOBIN, Joseph J.; WU, David Y. H.; DAVIDSON, Dana H. Educação Infantil em três culturas. São Paulo, Phorte Editora, 2008.

VANDENBROECK, Michel and PEETERS, Jan. Gender and professionalism: a critical analysis of overt and covert curricula. Early Child Development and Care, Vol. 178, No. 7&8, October–December 2008, pp. 703–715

WINTHER-LINDQVIST, Ditte; SVINTH, Lone. Early Childhood Education and Care (ECEC) in Denmark. 2018. Disponível em https://www.oxfordbibliographies.com/view/document/obo-9780199756810/obo-9780199756810-0093.xml. Acesso em 20.08.2020.

Downloads

Publicado

2020-09-01