Impactos da pandemia de covid-19 na educação infantil em São Gonçalo/RJ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2021.e78996

Palavras-chave:

Infâncias na cidade, Impactos da covid-19, Educação Infantil , Isolamento social

Resumo

O presente artigo busca problematizar e provocar reflexões acerca dos impactos da pandemia do coronavírus na Educação Infantil destinada às crianças pequenas das classes populares que vivem em periferias urbanas da cidade de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ). Diante do cenário pandêmico e do isolamento social decretado, que implicou no fechamento de creches e pré-escolas, urge interrogar sobre a presença (in)visível de crianças pequenas em São Gonçalo. Do ponto de vista metodológico, trazemos a dúvida como método (GARCIA, 2009) a partir de questões que se intensificam num tempo de incertezas e rompimento de vínculos. Acreditamos que problematizar os impactos da pandemia na vida de crianças pequenas, nos remete ao desafio de investigar que potenciais conhecimentos decorrentes da pandemia do coronavírus podem mobilizar reflexões e práticas favoráveis à educação e ao cuidado das referidas crianças, trazendo questões e ponderações que possam contribuir para um melhor acolhimento e educação das crianças pequenas nas creches e pré-escolas públicas do município.

Biografia do Autor

Maria Tereza Goudard Tavares, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação (1980), Mestrado Em Educação pela Universidade Federal Fluminense (1992) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003). Pós-Doutorado em Educação pela Unicamp sob a supervisão da profª. Drª Ana Lúcia Goulart de Faria/GEPEDISC/Unicamp, no período de 2013 a 2014. Atualmente é pesquisadora associada ao Diretório Vozes da Educação: Memória, História e Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro- UERJ/FFP. Foi diretora eleita da Faculdade de Formação de Professores/UERJ no quadriênio 2008-2011, sendo professora associada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professora Procientista da UERJ/Faperj desde 1999. É atualmente coordenadora do GT Educação Popular da ANPED(2091-2021) além de ser professora efetiva do Programa de Pós-Graduação em Educação -Processos Formativos e Desigualdades Sociais -PPGedu/FFP/UERJ. Possui experiência na área de Educação Popular, com ênfase em Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores(as) de educação infantil, educação popular, direito à cidade e educação da(s) infância(s) em periferias urbanas.

Fabiana Nery de Lima Pessanha, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Doutoranda em Educação pelo (PPGEDU) - Processos Formativos e Desigualdades Sociais, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) - Faculdade de Formação de Professores (FFP). Mestre em Educação (UERJ - 2017) e graduada em Pedagogia pela Universidade Federal Fluminense (UFF - 2003). Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas da(s) Infância(s), Formação de Professores e Diversidade Cultural (GIFORDIC). Atualmente, atua como Pedagoga, Supervisora Educacional e Professora Inspetora Escolar, em redes públicas de Educação Básica. 

Nayara Alves Macedo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Mestre em Educação pelo (PPGEDU) - Processos Formativos e Desigualdades Sociais, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) - Faculdade de Formação de Professores (FFP), Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal Fluminense (2011). Pós graduada em Literatura Infantil (UFF) e em Psicopedagogia (FAMATH). Atualmente é professora ensino básico técnico e tecnológico - Colégio Pedro II. Como professora de educação infantil no Centro de Referência em Educação Infantil de Realengo (CREIR). E é integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas da(s) Infância(s), Formação de Professores (as) e Diversidade Cultural (GIFORDIC) na UERJ. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Infantil.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete. A pesquisa com crianças em infâncias e a sociologia da infância. In: FARIA, Ana Lúcia Goulart; FINCO, Daniela (org.). Sociologia da infância no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2011.

ANDRADE, Carlos Drummond de. O Avesso das Coisas: Aforismos. São Paulo: Record, 1985.

ARENDT, Hannah. A crise na educação. In: ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Tradução: Mauro W. Barbosa de Almeida. 3. reimp., 5.ed. São Paulo: Perspectiva, 2000.

ARROYO, Miguel. Descolonizar o paradigma colonizador da infância. In: SANTOS, Solange Estanislau; SANTIAGO, Flávio; BARREIRO, Alex; MACEDO, Elina; FARIA, Ana Lúcia Goulart. (org.). Pedagogias descolonizadoras e infâncias: Por uma educação emancipatória desde o nascimento. Maceió: EDUFAL, 2018.

BARBIER, René. A escuta sensível em educação. Revista Anped, Caxambu, n.5, p.187-216, 1992.

BENJAMIN, Walter. O narrador. In: BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política: ensaios sobre literatura e história da cultura. (Obras escolhidas, v.1) 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BLOCH, Ernst. O Princípio Esperança. Rio de Janeiro: EdUERJ/Contraponto, 2005.

BRASIL. Governo Federal. Agência Nacional de Telecomunicações. 2020. Disponível em: https://www.anatel.gov.br/institucional/. Acesso: 20 jul. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional De Educação. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Brasília, DF, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/. Acesso: 11 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental (2009). Diretrizes curriculares nacionais para a educação Infantil. Brasília, MEC/SEF. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/diretrizescurriculares_2012.pdf . Acesso: 11 jul. 2020.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: 1-Artes do Fazer. 6ª ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

CGI.br. Comitê Gestor da Internet no Brasil. 2018. Disponível em: https://cgi.br/pagina/decretos/108/. Acesso em: 20 jun. 2020.

COSTA, Larissa. Trabalhadores têm auxílio emergencial negado mesmo atendendo todos os requisitos. Brasil de Fato, Minas Gerais, 7. jul. 2020. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2020/07/07/mesmo-atendendo-requisitos-trabalhadores-tem-auxilio-emergencial-negado. Acesso em: 20 de jul./2020.

CRUZ, Sílvia Helena Vieira. Apresentação. In: CRUZ, Sílvia Helena Vieira. (org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008. p.12-31.

DELGADO, Ana Cristina Coll. Toma-se conta de crianças: os significados do trabalho e o cotidiano de uma creche domiciliar. 2003. (Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2003.

FARAGE, Eblin. Para quem serve o Ensino a Distância em tempos de pandemia? 2020. Disponível em: https://esquerdaonline.com.br/2020/04/15/para-quem-serve-o-ensino-a distancia-em-tempos-de-pandemia/. Acesso: 06 jul. 2020.

FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Educação Pré-Escolar e Cultura: para uma pedagogia da educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

FINCO, Daniela. Encontro com as diferenças na Educação Infantil: meninos e meninas nas fronteiras de gênero. Leitura: Teoria & Prática, Campinas, v.31, n.61, nov. 2013.

FONSECA, Claudia. Mãe é uma só? Reflexões em torno de alguns casos brasileiros. Revista Psicologia USP, v. 13, n.2, p.49-68, 2002.

FRAGA, Érica. Reabertura da economia sem aula presencial pode elevar desigualdade. Folha de S. Paulo, São Paulo, 1. jul. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/07/reabertura-da-economia-sem-aula-presencial-pode-elevar-desigualdade.shtml?origin=folha. Acesso em: 05 de jul./2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GALLO, Silvio. Infância e poder: algumas interrogações à escola. In: KOHAN, Walter Omar (org.) Devir-criança da filosofia: Infância da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

GARCIA, Regina Leite. (org.). A Formação da Professora Alfabetizadora: Reflexões sobre a prática. São Paulo: Cortez, 2009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/sao-goncalo/panorama.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira. Censo Escolar. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/censo-escolar. Acesso em: 20 jun. 2020.

MACEDO, Nayara Alves. “Tá tudo aqui, o achado e o sumido”. Caminhos de um percurso de investigação com crianças numa escola das infâncias em Niterói/RJ. Dissertação (Mestrado em Educação – Processos formativos e desigualdades sociais) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2020.

NAÇÕES UNIDAS BRASIL. Número de crianças vivendo na pobreza deve subir 15% no mundo até o fim do ano. 29 maio 2020. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/unicef-faz-apelo-para-atender-as-crescentes-necessidades-de-criancas-afetadas-pela-covid-19. Acesso: 20 de jun./2020.

O SÃO GONÇALO. SG registra mais oito mortes por Covid-19 nesta sexta-feira (10). 10 jul. 2020. Disponível em: https://www.osaogoncalo.com.br/geral/84819/sg-registra-mais-oito-mortes-por-covid-19-nesta-sexta-feira-10. Acesso em: 11 jul. 2020.

O SÃO GONÇALO. Reprodução simulada de operação que resultou na morte de João Pedro será na próxima semana. 3 jun. 2020. Disponível em: https://www.osaogoncalo.com.br/seguranca-publica/83209/reproducao-simulada-de-operacao-que-resultou-na-morte-de-joao-pedro-sera-na-proxima-semana. Acesso em: 20 jul. 2020.

PESSANHA, Fabiana. Sentidos de cidadania a partir do direito à Educação Infantil: com a palavra, os familiares das crianças. 2017. 133f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2017.

PORTAL GOV.BR. Governo anuncia a prorrogação do Auxílio Emergencial por dois meses. 30 jun. 2020. Disponível em https://www.gov.br/pt-br/noticias/assistencia-social/2020/06/governo-anuncia-a-prorrogacao-do-auxilio-emergencial-por-dois-meses. Acesso em: 10 jul. 2020.

RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emília: Escutar, investigar e aprender. Tradução: Vânia Cury. 1.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

RIO DE JANEIRO. Governo do Rio de Janeiro. Painel corona vírus – covid-19. 2020. Disponível em: http://painel.saude.rj.gov.br/monitoramento/covid19.html#. Acesso em: 31 jul. 2020.

ROCHA, Eloisa. Por que ouvir as crianças? Algumas questões para um debate científico multidisciplinar. In: CRUZ, Silvia Helena Vieira. (org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina, 2020.

SANTOS, Milton. Técnica espaço tempo: Globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.

SÃO GONÇALO. Lei Municipal n. 658/15, de 07 de dezembro de 2015. Aprova o Plano Municipal de Educação para o decênio 2015-2024; São Gonçalo, Diário Oficial Eletrônico (DOE), 09 dez. 2015.

SÃO GONÇALO. Decreto PMSG nº 063/2020, de 16 de março de 2020. Dispõe sobre medidas temporárias de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus (COVID-19) no âmbito do poder executivo municipal, além de medidas complementares para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus e dá ouras providências. São Gonçalo, Diário Oficial Eletrônico (DOE), 16 mar.2020, p. 1.

SÃO GONÇALO. Decreto PMSG nº 071/2020, de 20 de março de 2020. Adota novas medidas para enfrentamento da propagação decorrente do novo coronavírus (COVID-19), e dá outras providências. São Gonçalo, Diário Oficial Eletrônico (DOE), 20 mar.2020, p. 12-13.

SÃO GONÇALO. Portaria SEMED nº 057/2020, de 30 de março de 2020. Dispõe sobre orientações para as unidades de ensino das redes pública municipal e privada do sistema municipal de ensino de São Gonçalo, no período de medidas de isolamento social previstas pelas autoridades municipais na prevenção e combate ao coronavírus – Covid-19. São Gonçalo, Diário Oficial Eletrônico (DOE), 31 mar.2020, p. 1.

TAVARES, Maria Tereza Goudard. Pensando a formação de professores das infâncias a contrapelo: Desafios contemporâneos da formação de docentes em periferias urbanas. In: MARTINS, Denise Aquino; CARRIJO, Menissa Bessa; ROLIM, Carmem Lucia (org.). Singularidades e resistências na Formação de Professores: novos e velhos enfrentamentos. Jundiaí: Paco Editorial, 2019.

TONUCCI FILHO, João; PATRICIO, Pedro Araújo; BASTOS, Camila. Nota Técnica (NT) – desafios e propostas para enfrentamento da COVID-19 nas periferias urbanas: análise das condições habitacionais e sanitárias dos domicílios urbanos no Brasil e na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Belo Horizonte: Cedeplar/UFMG, 2020.

UNICEF. UNICEF faz apelo para arrecadar US$ 1,6 bilhão para atender às crescentes necessidades de crianças afetadas pela pandemia de Covid-19. 12 maio 2020. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/unicef-faz-apelo-para-atender-as-crescentes-necessidades-de-criancas-afetadas-pela-covid-19. Acesso: 20 de jun. 2020.

Downloads

Publicado

2021-01-29