Aprendizagem científica no facebook

Autores

  • Clelder Luiz Pedro Universidade Estadual de Londrina
  • Marinez Meneghello Passos Universidade Estadual de Londrina
  • Sergio de Mello Arruda Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2015v8n1p3

Palavras-chave:

facebook, diálogos de aprendizagem informal (DIAI), focos da aprendizagem científica (FAC)

Resumo

Neste artigo apresentamos os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo investigar o papel do Facebook na aprendizagem científica. Foram analisados os Diálogos de Aprendizagem Informal (DIAI) trocados no Facebook, entre quatro grupos de ensino médio e estudantes de graduação das instituições de ensino no estado do Paraná, ao longo de um período de dez meses no ano de 2012. Os dados foram analisados de acordo com os Focos da Aprendizagem Científica (FAC), assumidos como categorias a priori e indicadores de aprendizagem científica. Através deste estudo foi possível obter evidências de aprendizagem científica em conversas postadas pelos alunos neste cenário virtual. Este fato levou-nos a considerar que, para os grupos analisados o Facebook teve um papel importante no processo de aprendizagem, podendo ser utilizado como um recurso de ensino na promoção de uma maior participação e interação dos alunos e melhorar a relação dos mesmos com o conteúdo escolar. Em vários momentos os DIAIs contribuíram para a construção e desenvolvimento do conhecimento e o compartilhamento de informações relacionadas com os temas propostos em sala de aula.

Biografia do Autor

Clelder Luiz Pedro, Universidade Estadual de Londrina

É licenciado em Geografia. Mestre em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina (2014). Professor do Quadro Permanente do Magistério leciona atualmente as disciplinas de Geografia e História. 

Marinez Meneghello Passos, Universidade Estadual de Londrina

É Licenciada e Bacharel em Matemática (UEL, 1982), Mestre em Matemática (UEL, 1989), Mestre em Educação (UEL, 2004) e Doutora em Educação para a Ciência (UNESP, 2009). Atualmente é professora associada da Universidade Estadual de Londrina, atuando na graduação e no programa de pós-graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática. Publicou diversos resultados de suas investigações e das pesquisas realizadas, conjuntamente, com os demais membros dos grupos de estudo e de pesquisa dos quais participa em anais de eventos e em artigos em periódicos. Possui dezenas de livros publicados e inúmeros itens de produção técnica. Participou e participa de eventos relativos à sua área de pesquisa. Orientou diversos trabalhos de conclusão de curso na área de Educação, Ciências e Matemática. Participou e participa de diversos projetos na UEL, sendo coordenadora de alguns deles. Nos dias de hoje as temáticas centrais das investigações desenvolvidas são: análise qualitativa, formação de professores e espaços informais de aprendizagem.  

Sergio de Mello Arruda, Universidade Estadual de Londrina

É Bacharel em Física (USP, 1976), Mestre em Ensino de Ciências (USP, 1994) e Doutor em Educação (USP, 2001). É professor da Universidade Estadual de Londrina desde 1978. Aprovou diversos projetos de pesquisa e extensão no CNPq, CAPES, Vitae. Possui diversos artigos e trabalhos publicados em Ensino de Ciências. Coordenou a implantação do Programa em Ensino de Ciências e Educação Matemática da UEL; coordenou a implantação do Museu de Ciência e Tecnologia de Londrina, órgão suplementar da UEL; coordenou a implantação do projeto PIBID/UEL. Cargos exercidos: coordenador do Programa em Ensino de Ciências e Educação Matemática entre 2002 e 2004; diretor do Museu de Ciência e Tecnologia da UEL desde 2009; coordenador institucional do projeto PIBID/UEL [edital 2009 e edital 2011] desde 2009. Linhas de pesquisa atuais: Formação de professores; Educação informal; Psicanálise e Ensino de Ciências.  

Downloads

Publicado

2015-05-19

Edição

Seção

Artigos