A exemplificação da não neutralidade da observação científica por meio dos desenhos lunares retratados no século XVII

Autores

  • Letícia Jorge Universidade Federal de Santa Catarina
  • Luiz O. Q. Peduzzi Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2018v11n2p179

Resumo

Ilustra-se um aspecto da natureza da ciência (ndc) por meio de um episódio histórico da ciência retratado em imagens, com intuito de ressaltar que, tanto questões teóricas quanto técnicas exercem influência no modo de produção do conhecimento. Em um primeiro momento, enfatiza-se a não neutralidade da observação ao se evidenciar a influência que teorias e técnicas artísticas relativas à perspectiva e ao chiaroscuro exerceram sob a maneira como Thomas Harriot, Galileo Galilei e Lodovico Cardi representaram a superfície lunar. Por fim, pondera-se sobre a potencialidade dessa análise para incrementar a educação científica ao se destacar a importância das imagens na compreensão e na construção histórica do conhecimento

Biografia do Autor

Letícia Jorge, Universidade Federal de Santa Catarina

Licenciada em Ciências da Natureza com Habilitação em Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (2016) e mestranda em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina. 

Luiz O. Q. Peduzzi, Universidade Federal de Santa Catarina

É bacharel (1973) e mestre (1980) em física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutor (1998) em Ensino de Ciências Naturais e Matemática pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). É professor titular do Departamento de Física da UFSC. Até 2015, e desde a sua fundação, em 1984, foi um dos editores do Caderno Brasileiro de Ensino de Física. Atua nas linhas de pesquisa de História, Filosofia da Ciência e Ensino de Física e na Produção de textos para o Ensino de Física. 

Downloads

Publicado

2018-11-28

Edição

Seção

Artigos