Ciência, opressão e teatro: um caso de pesquisa educacional baseada em artes

Leonardo Maciel Moreira, Angélica Santana do Nascimento, Laise Novellino Nunes de Souza

Resumo


A abordagem de temas controversos tem sido um caminho para evidenciar o vínculo entre ciência e contexto social, favorecendo a educação CTS. Esta pesquisa tem como objetivo identificar e caracterizar as percepções de um grupo de estudantes universitários sobre o tema controverso: relações entre ciência e opressão. O método utilizado foi a pesquisa educacional baseada em artes, adotando o Teatro do Oprimido como linguagem artística. Encontrou-se que, na percepção dos colaboradores, a ciência pode ser utilizada para oprimir e que a opressão por meio da ciência é caracterizada por similaridades com opressões impostas pelo mundo do trabalho, pela mídia e pelo sistema de educação. Os resultados sugerem que a discussão do tema ciência e opressão favorece o conhecimento sobre a ciência, podendo resultar em atitudes positivas para com ela, e sinalizam a proficuidade da pesquisa educacional baseada em artes para a educação em ciências.


Palavras-chave


Educação em ciências; Opressão; Teatro; Pesquisa educacional baseada em artes; Ensino superior

Texto completo:

PDF/A

Referências


AULER, D. Enforque ciência-tecnologia-sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência & Ensino, v. 1, número especial, p. 1-20, 2007.

BARBACCI, S. From the golem to artificial intelligence: science in the theatre for an existential reflection. Journal of Science Communication, v. 1, n. 3, p. 1-26. 2002.

BARONE, T; EISNER, E. Arts-based educational research. Complementary methods for research in education, v. 2, p. 75-116, 1997.

BOAL, A. Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

BOAL, A. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

BOLDEN, B. Music as Method: Musically Enhanced Narrative Inquiry. International Journal of Education & the Arts, v. 18, n. 9, p. 1-19, 2017.

BORGERDING, L. A.; DAGISTAN, M. Preservice science teachers’ concerns and approaches for teaching socioscientific and controversial issues. Journal of Science Teacher Education, v. 29, n. 4, p. 283-306, 2018.

BOURDIEU, P. Para uma sociologia da ciência. Lisboa: Edições 70, 2004.

BOURDIEU, P. O campo científico. In: ORTIZ, R. Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática, 1983. p. 122-155.

BURGE, A.; GODINHO, M. G.; KNOTTENBELT, M.; LOADS, D. "…but We Are Academics!" A Reflection on Using Arts-Based Research Activities with University Colleagues. Teaching in Higher Education, v. 21, n. 6, p. 730-737, 2016.

CAMPANINI, B. D.; ROCHA, M. B. O teatro científico como estratégia didática para o ensino de ciências nas instituições de pesquisa pelo Brasil. Revista Ciências & Ideias, v. 9, n. 3, p. 140-152, 2018.

CARVALHO, E. F. de. Para além de uma história cultural do vestibular: elementos socioeconômicos em “Química” e “O pequeno burguês”. Revista de História da UEG, v.1, n.1, p. 183-203, 2012.

CHEMI, T.; KASTBERG, P. Education through theatre: Typologies of Science Theatre, Applied Theatre Research, v. 3, n 1, p. 53–65, 2015.

COSTA, S. I. F.; OSELKA, G.; GARRAFA, V. Iniciação a bioética. Brasília: Conselho Federal de Medicina.

FISCHMANN, R. Ciência, tolerância e estado laico. Ciência e Cultura, v. 60, n. especial, p. 42-50, 2008.

FRANZ, J. P. dos R. Mapas do acaso: as canções de Humberto Gessinger sob a ótica contemporânea. Dissertação de mestrado em Letras. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Educação como prática para a liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

GESSINGER, H. Terra de gigantes. A revolta dos Dândis. Nova York: BMG, 1987. 1 CD. Faixa 2.

GOMES, A. Apontamentos sobre a pesquisa em educação: usos e possibilidades do grupo focal. Eccos Revista Científica, v. 7, n. 2, p. 275-290, 2005.

GUADALUPE, A. S. D.; PADOVANI, L. Z.; COSME, A. L. F. Onde estão meus olhos de robô? O olhar sobre consumismo em Pitty e Caio Fernando. Revista Leitura, v. 2, n. 54, p. 179-192, 2014.

LEGIÃO URBANA. Química. Dois. Londres: EMI, 1986. LP. Lado B. Faixa 7.

LOBATO, M.; FALCÃO, M.; FARIAS, L.; XANDÃO; LOBATO, M. Rodo cotidiano. O silêncio q precede o esporro. Nova York: Warner Music, 2003. 1 CD. Faixa 4.

MACHADO, J. A. L. da S. Ciência, genoma e direitos humanos: reflexões na perspectiva de uma bioética da libertação. O Direito Alternativo, v. 1, n. 1, p. 34-60, ago. 2011.

MAGALHÃES, C. A. Cenas urbanas de mobilidade e de desterritorialização nas canções de O Rappa. Navegações, v. 6, n. 1, p. 105-113, 2013.

MARTINS, A. F. P. Natureza da Ciência no ensino de ciências: uma proposta baseada em “temas” e “questões”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 32, n. 3, p. 703-737, 2015.

MOREIRA, L. M.; MARANDINO, M. Teatro de temática científica: conceituação, conflitos, papel pedagógico e contexto brasileiro, Ciência & Educação, v. 21, n. 2, p. 511-523, 2015.

OLIVEIRA, M. O. de; CHARREU, L. A. Contribuições da perspectiva metodológica ‘investigação baseada nas artes’e da a/r/tografia para as pesquisas em Educação. Educação em Revista, v. 32, n. 1, p. .365-382, 2016.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. Porto Alegre: Artmed, 2009.

PITTY. Admirável chip novo. Admirável chip novo. Rio de Janeiro. Deckdisc, 2003. 1 CD. Faixa 2.

RAZERA, J. C. C.; NARDI, R. Ética no ensino de ciências: responsabilidades e compromissos com a evolução moral da criança nas discussões de assuntos controvertidos. Investigações em Ensino de Ciências, v. 11, n. 1, p. 53-66, 2006.

REIS, P. R. Ciência e Controvérsia. Revista de estudos universitários, v. 35, n. 2, p. 09-15, 2009.

REIS, D. A. dos; SILVA, L. F.; PINA, A. Algumas Compreensões de Licenciandos em Física Sobre o Fenômeno das Mudanças Climáticas. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.4, n.2, p.57-81, 2011.

REIS, N. A. dos; MOREIRA, L. M.; SILVA, E. L. da. Teatro, experimentação e divulgação científica na educação básica: uma tríade possível para a alfabetização científica. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 1, p. 209-227, 2019.

RIBEIRO, T. V.; SANTOS, A. T.; GENOVESE, L. G. R. A história dominante do movimento CTS e o seu papel no subcampobBrasileiro de pesquisa em ensino de ciências CTS. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 17, n. 1, p. 13–43, 2017.

SILVA, L. F.; CARVALHO, L. M. A temática ambiental e o processo educativo: o ensino de física a partir de temas controversos. Ciência & Ensino, v. 1, n. especial, p. 1-12, 2007.

STRIEDERA, R. B.; KAWAMURA, M. R. D. Educação CTS: Parâmetros e Propósitos Brasileiros STS Education: Brazilian Parameters and Educational Purposes. Alexandria: Revista em Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 27-56, 2017.

SINNER, A.; LEGGO, C.; IRWIN, R. L.; GOUZOUASIS, P.; GRAUER, K. Arts-Based Educational Research Dissertations: Reviewing the Practices of New Scholars. Canadian Journal of Education, v. 29, n. 4, p. 1223 – 1270, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5007/1982-5153.2019v12n2p325

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.