Concepções de ensino-aprendizagem de materiais didáticos de subprojetos do PIBID/Biologia

Autores

  • Fábio Coutinho Universidade Federal de Pernambuco
  • Francimar Teixeira Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2020v13n1p181

Palavras-chave:

Concepções, Ensino-aprendizagem, Materiais didáticos, PIBID, Biologia

Resumo

Este estudo buscou compreender concepções de ensino-aprendizagem de materiais didáticos dos subprojetos de Biologia do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência, da Universidade Federal de Pernambuco. Para tanto, empreendemos uma pesquisa documental, a partir da seleção e análise de propostas metodológicas de materiais didáticos, planejadas para a realização de práticas de ensino. Constatamos que os materiais estavam embasados em modelos procedimentais prefixados, que propuseram conduzir a experiência mediante a confirmação ou reprodução de verdades científicas. Além disso, os materiais didáticos apresentaram orientações para a revisão de conhecimentos, com vistas a conduzir os alunos ao resgate de questões de aulas precedentes. Esses elementos revelaram a concepção tradicional de ensino-aprendizagem, corroborando a visão do conteúdo e da lógica disciplinar que está refletida na estrutura curricular dos cursos de licenciatura em biologia, onde a compreensão da ciência funda-se na ideia de objetividade, de forma apartada do próprio sujeito que a constitui.

Biografia do Autor

Fábio Coutinho, Universidade Federal de Pernambuco

Graduado em licenciatura em Ciências Biológicas (2014) e mestre em Educação (2017), ambos os títulos obtidos pela Universidade Federal de Pernambuco. Atualmente, sou professor substituto do curso de licenciatura em Ciências Biológicas do CAV/UFPE e professor de Ciências em uma escola particular do município de Recife. Entre meus interesses de pesquisa, destaco: metodologias de ensino, avaliação, alfabetização científica e formação de professores de biologia.

Francimar Teixeira, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1990), mestra em Psicologia (Psicologia Cognitiva) pela Universidade Federal de Pernambuco (1995), doutora em (2001) pela Graduate School Of Educacão - University Of Bristol- Inglaterra e com Pós-doutorado (2010) na mesma instituição Graduate School Of Educacão. Atuei como professora das séries iniciais, do ensino fundamental, particularmente em turmas de alfabetização (tanto de crianças, quanto de jovens e adultos e de indivíduos com necessidades especiais) em escolas particulares (de1984 a1988) e posteriormente na rede municipal de ensino da cidade de Recife (de1988 a1995), na condição de professora efetivada através de concurso público. Atuei também como Coordenadora pedagógica das séries iniciais de escola particular que adota a pedagogia Freinet (1990). Desde 1995 trabalho na Universidade Federal de Pernambuco, atualmente sou professora associada, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE- mestrado e doutorado-, onde Coordeno o Grupo de Pesquisa Educação em Ciências Naturais. Falo e escrevo inglês com fluência. Tenho experiência e formação na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências nas séries iniciais. Entre meus interesses de pesquisa destaco linguagem e ensino de ciências, desenvolvimento cognitivo e ensino de ciências, formação de conceitos científicos, estratégias e recursos didáticos para o ensino de ciências.

Referências

AMARAL, I.A. Conhecimento formal, experimentação e estudo ambiental. Ciência & Ensino. n. 3, p. 10-15, 1997.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

CACHAPUZ, A; PRAIA, J; JORGE, M. Da Educação em Ciência às orientações para o Ensino das Ciências: um repensar epistemológico. Ciência & Educação, v. 10, n. 3, p. 363-381, 2004.

CACHAPUZ, A; GIL-PÉREZ D; . A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2011.

COUTINHO, F.C. Visões de ciência que fundamentam materiais didáticos dos subprojetos do PIBID/Biologia da Universidade Federal de Pernambuco. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, v. 12, n 1, p. 54-74, 2019.

DELIZOICOV, D; ANGOTTI, J.A; PERNAMBUCO, MM. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2011.

FAHL, D. D. Marcas do ensino escolar de ciências presentes em museus e centros de ciências: um estudo da estação ciência e do mdcc. Dissertação de Mestrado ¬¬em Educação - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

FARIAS, I.M.S; ROCHA, C.C.T. PIBID: uma política de formação docente inovadora? Revista Cocar, v. 6, n. 11, p 41-49, 2012.

FERNANDES, R.C.A; MEGID NETO, J. Modelos educacionais em 30 pesquisas sobre práticas no ensino de ciências nos anos iniciais da escolarização. Investigações em Ensino de Ciências, v. 17, n. 3, p. 641-662, 2012.

GIL-PÉREZ, D; MONTORO, I.F; ALÍS, J.C; CACHAPUZ, A; PRAIA, J. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciências & Educação, v. 7, n. 2, p. 125-153, 2001.

KRASILCHIK, M. Práticas de ensino de biologia. 4 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

LIBÂNEO, J.C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 2006.

LUDKE, M; ANDRÉ, E.D.M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

MIZUKAMI, M.G.N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: Editora Pedagógica e universitária, 1986.

MOURA, E.J.S. Iniciação à docência como política de formação de professores. Dissertação de Mestrado em Educação – Universidade de Brasília, Distrito Federal, 2013.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. São Paulo: AutoresAssociados, 1999.

SAVIANI, D. Pedagogia: o espaço da educação na universidade. Cadernos de Pesquisa. v. 37, n. 130, p. 99-134, jan./abr 2007.

SILVA, J.R.F. Documentos legais para formação profissional: é possível fazer emergir o professor de ciência e biologia? Revista de Ensino de Biologia, n. 8, p. 1-71, 2015.

VASCONCELOS, C; PRAIA, J.F; ALMEIDA, L.F. Teorias de aprendizagem e o ensio/aprendizagem das ciências: da instrução à aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, n. 1, p. 11-19, 2003.

Downloads

Publicado

2020-05-13

Edição

Seção

Artigos