Aprendizagem significativa na educação matemática: um olhar por meio de teses e dissertações

Autores

  • Samuel Francisco Huf Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Nilcéia Aparecida Maciel Pinheiro Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Dionísio Burak Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Awdry Feisser Miquelin Universidade Tecnológica Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2020v13n2p257

Palavras-chave:

Ensino e Aprendizagem, Aprendizagem Significativa, Educação básica

Resumo

Apresenta-se um levantamento da aprendizagem significativa e do ensino e aprendizagem da Matemática em teses e dissertações. As questões investigadas são: Os autores apresentam os principais conceitos da teoria da aprendizagem significativa nos referenciais teóricos? Como são operacionalizados, nas análises e discussões, os principais conceitos da teoria da aprendizagem significativa na Educação Matemática, na Educação Básica? Objetiva-se investigar as relações estabelecidas entre a Educação Matemática e a teoria da aprendizagem significativa de David Paul Ausubel, realizando-se uma pesquisa bibliográfica na Biblioteca Nacional Brasileira de Teses e Dissertação, seguindo-se uma abordagem qualitativa interpretativa. Nos materiais analisados, com relação ao referencial teórico, poucos autores têm a preocupação de transitar pelos elementos centrais da Teoria da Aprendizagem Significativa. A ampliação das análises para as descrições das atividades, mostra a inexistência de operacionalização dos conceitos centrais da teoria da aprendizagem significativa, predominando o resgate de conhecimentos subsunçores.

Biografia do Autor

Samuel Francisco Huf, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutorando em Ensino de Ciência e Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal da Paraná. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Brasil (CAPES). Mestre em Ensino de Ciências Naturais e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais e Matemática PPGEN / UNICENTRO (2016). Graduado em Licenciatura Matemática pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (2011). Atua principalmente nos seguintes temas: Educação Matemática, Ensino e Aprendizagem de Matemática, Modelagem Matemática e Aprendizagem Significativa.

Nilcéia Aparecida Maciel Pinheiro, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Possui Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, Mestrado em Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná e Doutorado em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professora titular do Departamento de Matemática da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, atuando nas seguintes áreas: 1) Álgebra Linear, Geometria Analítica, no curso de Engenharia de Produção 2) Fundamentos de Matemática no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas; 3)Ensino de Matemática e Educação Científica e Tecnológica, junto ao Programa de Doutorado e Mestrado em Ensino de Ciência e Tecnologia do qual foi coordenadora de 2007-2009. Faz parte do corpo editorial da RBECT (Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia) da UTFPR, bem como da comissão organizadora do evento SINECT. Tem contribuído com pareceres de artigo para as revistas Vidya, Ciência & Cognição, Alexandria, Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências e Investigações em Ensino de Ciências, bem como para eventos como ENPEC e ENEM.

Dionísio Burak, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Possui graduação em Matemática pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (1973), mestrado em Ensino de Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1987) e doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (1992). Atualmente é rt-20 da Universidade Estadual de Ponta Grossa no Programa de Pós - Graduação em Educação e rt 20 do Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais e Matemática. Professor titular aposentado do Departamento de Matemática da Universidade Estadual do Centro-Oeste em (2013). Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: modelagem matemática na educação matemática, ensino e aprendizagem e ensino de matemática. Pós-Doutorado (2010) - Universidade Federal do Pará- orientadora Profa Drª Rosália Maria Ribeiro de Aragão.Atualmente é Pesquisador Sênior da Fundação Araucária

Awdry Feisser Miquelin, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Possuo graduação em Licenciatura em Física pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2000), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2003) e Doutorado em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Atualmente sou professor Associado II no Departamento Acadêmico de Ensino da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa, professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia (Câmpus Ponta Grossa) Mestrado e Doutorado, Fui Coordenador Institucional do projeto PIBID da UTFPR e sou Coordenador do Doutorado do PPGECT. Trabalho em projetos voltados a abordagem sistêmica, relações entre ensino, ciência e tecnologia, ciência e arte e análise de sistemas educacionais tecnológicos comunicativos, com ênfase no ensino de ciências, atuando nos seguintes temas: consultoria de impacto tecnológico, mediação de tecnologia, Ensino Superior e a Escola Básica, didática, ensino-aprendizagem e educação dialógica-problematizadora. Atuo com a investigação de processos de ensino-aprendizagem envolvendo: relações entre a arte e as ciências naturais, filosofia da ciência e da tecnologia, história e filosofia das ciências naturais, teorias de aprendizagem e práticas educativas envolvendo ciências naturais e as TIC.

Referências

ARAGÃO, R. M. R. Teoria da aprendizagem significativa de David P. Ausubel: Sistematização dos aspectos teóricos fundamentais. Tese de doutorado em Ciências – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1976.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, v. 1, 2003.

AUSUBEL, D.P.; NOVAK, J.D. e HANESIAN, H. Psicologia educacional. Rio de Janeiro, Interamericana, 1980.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 4. ed. Brasília: Líber Livros, 2012.

IBICT. Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: a BDTD. Brasília, DF: IBICT, 2009. Disponível em: http://bdtd.ibict.br. Acesso em 11 fev. 2019.

KLUBER, T.E; BURAK, D. Educação Matemática: contribuições para a compreensão da sua natureza. Acta Scientiae, v. 10, n. 2, p. 94-106, 2008.

MANTOAN, M. T. É. Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MANTOAN, M. T. Ensinando a turma toda – as diferenças na escola. Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino e Diversidade – LEPED/Unicamp, 2007. Disponível em http://www.lite.fe.unicamp.br/cursos/nt/ta1.7.htm Acesso em 29 jul. 2019.

MOREIRA, M. A. O que é afinal aprendizagem significativa?Aula Inaugural do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais, Instituto de Física, Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, MT, 23 de abril de 2010. Disponível em http://moreira.if.ufrgs.br/oqueeafinal.pdf Acesso em: 19 mar. 2019.

MOREIRA, M. A. Subsídios teóricos para o professor pesquisador em ensino de ciências: A teoria da Aprendizagem Significativa. Porto Alegre, 2016. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/~moreira/Subsidios6.pdf. Acesso em: 19 mar. 2019.

MOREIRA, M. A. Teorias de aprendizagem. São Paulo: Pedagógica e Universitária. 1999.

MOREIRA, M. A.; MASINI, F. S. E. Aprendizagem significativa: condições para sua ocorrência e lacunas que levam a comprometimentos. São Paulo: Vetor, 2008.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky – aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. 2.ed. São Paulo: Scipione, 1995.

PARANÁ, Diretrizes Curriculares da Educação Básica: Matemática. Secretaria de Estado da Educação do Paraná, 2008.

RIUS, B. E. La educación matemática: Reflexión sobre su naturaleza y sobre su metodologia. Educación Matemática, México: Iberoamérica, v.1, n. 2, p. 28-42, ago. 1989.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-11-25

Edição

Seção

Artigos