Modelo conceitual de Bullying

Conteúdo do artigo principal

Lizandra da Silva
Carla Zanelatto
Izabel Carolina Martins Campos
Silvia Alexius
Silvana Ligia
João Luiz Dornelles Bastos
Dalton Francisco de Andrade
Walter Ferreira de Oliveira

Resumo

Os casos trágicos de bullying têm chamado à atenção da sociedade em todo o mundo e a comunidade científica tem se esforçado no desenvolvimento de estratégias de prevenção nas escolas. Diante disso, o diagnóstico precoce pode ser um forte aliado na luta contra este fenômeno que apresenta um cenário tradicionalmente divido nos papéis de agressor, vítima e testemunhas. Este estudo tem por objetivo desenvolver um modelo de bullying que possibilite identificar o fenômeno e foi executado em três etapas: 1) Revisão de literatura; 2) Elaboração de uma tabela de especificação das facetas e indicadores; 3) Representação visual do bullying (modelo conceitual). Os resultados apontam para um modelo no qual o bullying é considerado um fenômeno multidimensional que envolve o agressor, a vítima e a testemunha. Neste sentido, os agressores, bulliers, são as crianças e adolescentes que realizam os constrangimentos com decorrências físicas e/ou psicológicas nas vítimas que sofrem o dano; o fenômeno pode ser assistido por testemunha. Como resultado este estudo apresenta um modelo informativo para a sensibilização e conscientização de pais, educadores e a comunidade em geral, bem como propiciar o desenvolvimento de instrumentos de medidas e métodos de avaliação de bullying. Além disso, pode fornecer subsídios para uma possível intervenção, contribuir diretamente para a saúde e o bem estar dos envolvidos, tendo em vista que o fenômeno, muitas vezes, não é identificado ou interrompido pela ausência de esclarecimentos.  

Detalhes do artigo

Como Citar
SILVA, . da; ZANELATTO, .; CAMPOS, . C. M.; ALEXIUS, .; LIGIA, .; BASTOS, . L. D.; ANDRADE, . F. de; OLIVEIRA, . F. de. Modelo conceitual de Bullying. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 6, n. 13, p. 178–179, 2014. DOI: 10.5007/cbsm.v6i13.68960. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/68960. Acesso em: 2 dez. 2022.
Seção
Resumos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>