O uso de paciente simulado como estratégia de ensino em saúde mental

Conteúdo do artigo principal

Jeferson Rodrigues Rodrigues
Saionara Nunes de Oliveira
Aline Massaroli
Jussara Gue Martini
Fabrício Augusto Menegon
Walter Ferreira de Oliveira
Renê Schleiniger dos Santos

Resumo

A disciplina Processo de viver Humano V – Atenção básica e saúde mental, oferecida na sétima fase do currículo do curso de graduação em enfermagem da UFSC, iniciou em 2014 o uso da simulação clínica como método de ensino. Diante da especificidade da disciplina, que aborda a subjetividade e a comunicação como principal ferramenta de trabalho da enfermagem, encontrou no uso de pacientes simulados uma forma de aproximar o contexto clínico dos estudantes e prepará-los para um cuidado mais qualificado das demandas reais de saúde mental. Uma parceria exitosa se deu com o Núcleo de Humanização, Arte e Saúde – NUHAS que viabilizou os atores. A disciplina desenvolveu ao longo de dois semestres simulações clínicas que abordaram o acolhimento ao paciente ansioso, depressivo e com ideação suicida. Os alunos de enfermagem realizaram o atendimento simulado, identificaram suas fragilidades, exercitaram a comunicação terapêutica e puderam discutir com os colegas e professores estratégias de aprimorar o atendimento. A fidelidade psicológica proporcionada pelo método adotado é um valioso diferencial no desenvolvimento da competência clínica desejada para os enfermeiros.

Detalhes do artigo

Como Citar
RODRIGUES, J. R.; OLIVEIRA, S. N. de; MASSAROLI, A.; MARTINI, J. G.; MENEGON, F. A.; OLIVEIRA, W. F. de; SANTOS, R. S. dos. O uso de paciente simulado como estratégia de ensino em saúde mental. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 8, n. 18, 2016. DOI: 10.5007/cbsm.v8i18.69420. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69420. Acesso em: 9 ago. 2022.
Seção
Resumos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>