Corpos Rizomáticos na Diáspora Heterotópico-subjetiva de Um Copo de Cólera, de Raduan Nassar

Autores

  • Jorge Alves Santana Universidade Federal de Goiás - UFG/ Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2015v68n2p27

Palavras-chave:

Um Copo de Cólera, Corpos, Nau dos Loucos, Processos de Subjetivações

Resumo

Representações de processos de subjetivações e de espaços transversais são observadas e analisadas na narrativa Um copo de cólera, de Raduan Nassar. Entre vestígios da loucura, feitas por uma atualização da imagem da Nau dos Loucos, nos enfrentamentos entre o bucolismo pastoral e a emergência da produtividade urbana, vai-se para a produção territorializada e desterritorializada de rostidades que demonstram aberturas para possibilidades de novos acordos afetivos, culturais e políticos, nos quais os sentidos da loucura se deslocam para realidades menos essencialistas e mais históricas.

 

Biografia do Autor

Jorge Alves Santana, Universidade Federal de Goiás - UFG/ Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Prof. Dr. Associado II do Programa de Pós-Graduação e Letras e Linguística da Faculdade de Letras - Universidade Federal de Goiás - UFG e Pós-Doutorando em Letas no PÓS-LIT da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Downloads

Publicado

2015-01-21