O ciborgue entre a bio-arte e a arte disturbatória

Jean Cardoso

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2175-8026.2017v70n2p29

A presença do ciborgue na contemporaneidade, como entendido pela bióloga e filósofa Donna Haraway em Antropologia do Ciborgue (2009), traz consigo um conjunto de signos que compõem nosso mundo. Dentre esses signos estão às operações transgênicas que o antropólogo e poeta Luís Quintais critica na obra Uma arte do degelo (2015) por meio do efeito performático da bio-arte. Porém, ao confrontarmos tal efeito com o conceito de arte disturbatória do filósofo Arthur Danto, presente na obra O descredenciamento filosófico da arte (2015), a ética oriunda da bio-arte como proposto por Quintais perde em vitalidade. Contudo, recorremos ao imaginário do escritor Fausto Fawcett na obra Favelost (2012) como forma de dialogar com os teóricos presentes nesta investigação a fim de se abrir perspectivas a novos mundos para o pós-humano.


Palavras-chave


Ciborgue; Bio-arte; Arte Disturbatória; Performance; Ficção

Texto completo:

PDF/A PDF/A

Referências


DANTO, Arthur Coleman; GILMORE, Jonathan; DUARTE, Rodrigo A. de Paiva. O descredenciamento filosófico da arte. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

FAWCETTI, Fausto. Favelost. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

KAC, Eduardo. Telepresença e bioarte. São Paulo: Edusp, 2009.

______. Rabbit Remix. Disponível em: http://www.ekac.org/gfpbunny.html Acessado em: 14/11/16

KUNZRU, Hari.; HARAWAY, Donna Jeanne; SILVA, Tomaz Tadeu da. Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

MARTINS, Hermínio. Experimentum Humanum: civilização tecnológica e condição humana. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

______. O nascimento da tragedia, ou, Helenismo e pessimismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

QUINTAIS, Luis. Uma arte do degelo. Lajes do Pico: Companhia das Ilhas, 2015.

SIBILIA, Paula. O homem pós-orgânico: corpo, subjetividade e tecnologias digitais. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.




Direitos autorais 2017 Jean Cardoso

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

http://www.periodicos.ufsc.br/public/site/images/arcorseuil/logotipo_revistas_cor_482_347

http://www.periodicos.ufsc.br/public/site/images/arcorseuil/governo_logo60anos_600_1_600

Revista Ilha do Desterro A Journal of English Language, Literatures in English and Cultural Studies, ISSN - 2175-8026, Florianópolis, Brasil.

Creative Commons Licence
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.