A Mortificação do Corpo em É Isto Um Homem?, de Primo Levi

José Carlos Felix, Juliana Cristina Salvadori

Abstract


Dentre os incontáveis testemunhos e narrativas que se propuseram denunciar, narrar e dar sentido à experiência produzida pela Shoah, o livro É isto um homem?, do escritor italiano Primo Levi, prefigura como um dos relatos mais contundentes acerca dos horrores e monstruosidades vividas nos campos de concentração nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. O presente artigo propõe uma discussão acerca das formas de violência e mortificação do corpo apontadas no relato de Levi, as quais revelam um processo de reificação da vida, cujas consequências mais diretas afetam tanto a relação do indivíduo com seu próprio corpo quanto com o do outrem. Para tanto, partiremos do testemunho do autor acerca do processo de reificação e degradação humana, bem como das reflexões sobre a relação entre esclarecimento e barbárie pensadas por Horkheimer e Adorno e dos conceitos de soberania e biopolitização do estado chamada de “vida nua” de Agamben.


Keywords


Shoah; Mortificação; Corpo; Biopolitização; Primo Levi



DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8026.2015v68n3p43

Copyright (c) 2015 José Carlos Felix, Juliana Cristina Salvadori

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.