Os deuses e os mortos: maldição dos deuses ou maldição da História?

Ismail Xavier

Abstract


O tema da decadência na representação da experiência de grandes familias ligadas à propriedade da terra e à monocultura ganhou relevo no cinema brasileiro do final dos anos 60, início dos 70. Os Herdeiros (Carlos Diegues, 1969) focaliza a crise dos barões do café; A Casa Assassinada (Saraceni, 1971) traz a crônica da decadência patriarcal no interior de Minas, e O Dragão da Maldade (Glauber Rocha, 1969) inclui a questão do declínio do mundo doméstico dos coronéis do sertão na representação dos conflitos já presentes em Deus e o Diabo. Em Os Deuses e os Mortos (1970), de Ruy Guerra, o discurso sobre um mundo em desintegração assume papel central na composição dramática. Esta focaliza os conflitos entre a tradição dos proprietários de terra e a intervenção dos comerciantes na zona do cacau, sul da Bahia, no período da Primeira república.


Keywords


Língua Inglesa; Literatura Inglesa;



DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Copyright (c) 1997 Ismail Xavier

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.