A reexistência no pós-pandemia: considerações discursivas críticas sobre cidadania e tecnologia a partir das redes pragmáticas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2022.e86410

Palavras-chave:

Estudos Críticos do Discurso, Redes Pragmáticas, Covid-19, tecnologia, Cidadania

Resumo

Com vistas a refletir sobre horizontes de transformação social possíveis, este texto reúne algumas considerações ontológicas, epistemológicas e metodológicas referentes ao trabalho crítico com a linguagem conectada à questão cidadã. Trata-se, pois, de um convite a dialogar sobre discurso e mobilização a partir dos Estudos Críticos do Discurso (RESENDE, 2008; PARDO, 2011; SANTOS, 2017; 2019). Nesta reflexão, trago algumas observações sobre o entendimento discursivo, por meio dos conceitos autorais da Aquilombagem Crítica (Santos, 2019; 2021) e das Redes Pragmáticas (SANTOS, 2017; 2019), e sua emergência em tempos de crise mediados por tecnologias digitais, novos espaços de embate pelo poder de forte influência na manutenção e no apagamento de existências sociais. Enfim, aponto o papel central do discurso para possíveis reexistências.

Biografia do Autor

Gersiney Santos

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Referências

AKOTIRENE, C. Interseccionalidade. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

ALMEIDA, S. L. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

MBEMBE, A. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção e política da morte. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

ANZALDÚA, G. To(o) queer the writer – loca, escritora y chicana. In: KEATING, A. (Ed.). The Gloria Anzaldúa Reader. Durham: University Press, 2009.

BAKHTIN, M. M. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1981.

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes.

BENTO, M. A. S. Pactos narcísicos no racismo: branquitude e poder nas organizações empresariais e no poder público". Tese (Doutorado em Psicologia). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

CARNEIRO, A. S. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. Tese (Doutorado em Educação). São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

FAIRCLOUGH, N. Analysing discourse: textual analysis for social research. London: Routledge, 2003.

FAIRCLOUGH, N. Critical Discourse Analysis. The Critical Study of Language. London: Routledge, 2010.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Trad. Izabel Magalhães (Org.). Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.

FUZER, C.; CABRAL, S. R. S. Introdução à gramática sistêmico-funcional em língua portuguesa. Campinas: Mercado das Letras, 2014.

GOHN, M. G. Movimentos sociais e redes de mobilizações civis no Brasil contemporâneo. Petrópolis: Vozes, 2013.

GUIMARÃES, E. A articulação do texto. São Paulo: Ática, 2004.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 10 ed. Rio de Janeiro: DP & A, 2005.

HALLIDAY, M. A. K. An Introduction to Functional Grammar. 3rd ed. revised by C. M. I. M. Matthiessen. London: Arnold, 2004.

KOCH, I.V; ELIAS, V. M. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2010.

LÓPEZ, A. Ser ou não ser Triqui: entre o narrativo e o político. In: LARROSA, J.; SKLIAR, C. (Org.). Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

MAGALHÃES, I. Introdução: a Análise de Discurso Crítica. D.E.L.T.A., 21 (especial), 1-11, 2005.

MARCHESE, M. C. El texto como unidad de análisis socio-discursiva: una propuesta a partir del Método sincrónico-diacrónico de análisis lingüístico de textos, Buenos Aires: Editorial Tersites, 2011.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

MELO, T. H. A. G. A rua e a sociedade: articulações políticas, socialidade e a luta por reconhecimento da população em situação de rua. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

MELO, T. H. A. G. Política dos “improváveis”: Percursos de engajamento militante no Movimento Nacional da População de Rua (MNPR). Tese (Mestrado em Antropologia). Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017.

MONTECINO, L. (Org.). Discurso, pobreza y exclusión en América Latina. Santiago: Editorial Cuarto Próprio, 2010.

MUNIZ, K. S. Linguagem e identificação: uma contribuição para o debate sobre ações afirmativas para negros no Brasil. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

NEVES, R. B. Discursos sobre mobilização grevista de professores/as em Brasília: "prejuízo para todos?”. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

PARDO, M. L. Teoria y metodologia de la investigación lingüística: método sincrónico-diacrónico de análisis lingüísitco de textos. Buenos Aires: Tersites, 2011.

PEREIRA, C. P. Rua sem saída: um estudo sobre a relação entre o Estado e a população de rua de Brasília. Dissertação de mestrado. Universidade de Brasília. Programa de Pós-Graduação em Política Social, 2008.

RESENDE, V. M.; SANTOS, G. A relação entre mídia e população em situação de rua na representação da pandemia no Brasil, um projeto. Rosário: UNR Editora. Editorial de la Universidad Nacional de Rosario, 2020.

RESENDE, V. M. (Org.). Decolonizar os estudos críticos do discurso. Campinas: Pontes, 2019.

RESENDE, V. M. Análise de Discurso Crítica e Etnografia: o Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, sua crise e o protagonismo juvenil. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

RESENDE, V. M.; REGIS, J. F. S. (Org.). Outras perspectivas em análise de discurso crítica. Campinas: Pontes Editores, 2017.

RESENDE, V. M.; SILVA, R. B. (Org.). Diálogos sobre resistência: organização coletiva e produção de conhecimento engajado. Campinas, SP: Pontes Editores, 2017.

ROJO; R. H. R.; BARBOSA, J. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros

discursivos. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

ROSA, C. M. M. Vidas de rua. São Paulo: Hucitec: Associação Rede Rua, 2005.

SANTOS, G.; SANTOS, D. S..; SILVA, M. P. Linguagem, corpo e espírito da Natureza: uma proposta de (re)conexão a partir da Aquilombagem Crítica. Crítica. Cadernos de Linguagem e Sociedade, 22(1), p. 67-71, 2021.

SANTOS, G. P. A voz da situação de rua na agenda de mudança social no Brasil - um estudo discursivo crítico sobre o Movimento Nacional da População em Situação de Rua (MNPR). Tese (Doutorado em Linguística). Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

SILVA, M. L. L. Trabalho e população em situações de rua no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009.

SOUZA, A. L. S. Letramentos de reexistência: culturas e identidades no movimento hip hop. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Estadual de Campinas, Campinas,

SOUZA, A. L. S. Letramentos de reexistência: poesia, grafite, música, dança: hip-hop. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

VIEIRA, V.; RESENDE, V. M. Análise de discurso (para) a crítica: o texto como Material de Pesquisa. Brasília: Pontes, 2011.

WITTGENSTEIN, L. Investigações filosóficas. 5. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

Downloads

Publicado

2022-09-27