Canadá-Quebec: identidades problemáticas

Eurídice Figueiredo

Abstract


O objetivo do presente texto é tentar dimensionar uma velha
dicotomia que consiste em conceber o Canadá como uma país bicéfalo:de um lado o “Canadá”, em que se fala inglês, de outro lado o Quebec, em que se fala francês. Esse dualismo simplista se acentuou após a chamada Revolução Tranqüila em 1960 quando a identidade do canadense francês, até então representado como um povo oprimido e
humilhado pelo Outro, o inglês, minoria em seu próprio país, se transforma no quebequense moderno e ativo, maioria em seu “Estado”, que detém o poder para definir os rumos de seu destino. Não mais voltado para um passado de derrotas mas projetando-se para um futuro de sucesso. Assim nas duas campanhas para os referendos de 1980 e 1995, afirmava-se a reivindicação pela soberania, para, transnsformando-se em Estado-Nação, se desvencilhar deste Outro incômodo, que o impede de se gerir de forma autônoma.

Keywords


Língua Inglesa; Literatura Inglesa



DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Copyright (c) 1994 Eurídice Figueiredo

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.