A tradução literal: impossibilidade, inadequação ou meta?

Francis Aubert

Abstract


0 campo de estudos abarcado pelo designativo tradução, ou,
oomo querem alguns, tradutologia (vide, entre outros, Vasquez--Ayora, 1977 e Mattos, 1981), e a despeito da vasta bibliografia dedicada parcial ou integralmente a esta área, constitui ainda uma disciplina algo desordenada, de objetivos e metodologias algo vagos. Nela convivem intuições brilhantes, depoimentos prosaicos e não raro ingênuos, reflexões de fundamentação teórica por vezes precária mas ricas em detalhes, propostas de teorias gerais e abrangentes mas que se revelam, na prática, de capacidade explicativa limitada, as pesquisas ora rotineiras, ora oferecendo constatações surpreendentes (ao menos para o leigo), os receituários de "macetes", os estudos de caso de poder de generalização algo variavel, juntamente com alguns poucos pontos de amplo consenso. Entre estes últimos, constituindo uma das minguadas certezas oferecidas ao iniciante, aparece em lugar de destaque a contestação a possibilidade e a adequação da assim chamada tradução literal.

Keywords


Língua Inglesa; Literatura Inglesa



DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Copyright (c) 1987 Francis Aubert

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.