Levantando significações para significantes: da gestão do conhecimento a organização do saber

Leilah Santiago Bufrem

Resumo


Argumenta que o estado de ambigüidade conceitual relacionado aos termos organização e gestão do conhecimento ou do saber é reforçado por duas ordens de fatores: uma relacionada à recente estruturação do campo da ciência da informação e outra à evolução do campo de atuação profissional na área, a partir da expansão do modo capitalista das relações sociais e de trabalho, ambas afetando as formas de expressar idéias em palavras. Apóia-se, tanto em estudos de especialistas, quanto na análise de conteúdo a partir dos Anais do VI Congreso del Capítulo Español de ISKO e IV Coloquio Internacional de Ciencias de la Documentación, considerando que um conceito pode ser definido, seja em relação aos dados empíricos seja aos aportes teóricos que o constituem. Constata uma tendência em direção ao reforço de uma base teórica e epistemológica que facilite a linguagem comum para o sucesso na compreensão de conceitos fundamentais da área de ciência da informação. Considera que representar conhecimentos, registrados ou não, enquanto modo de atribuir ou levantar significações para significantes, é o produto de compromissos contraditórios sob a dupla pressão de fatores ideológicos e de imperativos tecnológicos relacionados ao desenvolvimento efetivo do sistema de gestão do conhecimento, seus propósitos e compromissos.

Palavras-chave


Gestão do Conhecimento; Organização do Conhecimento; Representação do Conhecimento; Knowledge management; Knowledge organization; Information science

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2004v9nesp1p1



Direitos autorais 2004 Leilah Santiago Bufrem

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)