Relações sociométricas dos pesquisadores que patentearam inventos

Nivaldo Oliveira, André Luiz Zambalde

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2014v19n39p227

 

Este artigo buscou identificar a estrutura das relações sociométricas dos pesquisadores da Universidade Federal Lavras que registraram patentes, compreender as conexões estruturais e os nós dentro dessa rede. Foi realizada uma análise documental para examinar a rede de inventores e patentes depositadas entre 2003 e 2012, pelos pesquisadores da UFLA no INPI através do Núcleo de Inovação Tecnológica da UFLA - Nintec. Há uma breve revisão bibliográfica sobre sociometria, teorias explicativas e conceitos importantes para compreensão de redes sociais. Como técnica de pesquisa adotou-se uma abordagem qualitativa. Para as análises foram tomados como base o mapa total da rede, de patentes e inventores da UFLA, com suas relações pesquisadas por meio da análise de redes sociais.


Palavras-chave


Análise de Redes sociais; Sociometria; Inovação; Patentes

Texto completo:

PDF-A

Referências


ALEJANDRO, V. A. O.; NORMAN, A. G. Manual introdutório à análise de redes sociais. 2006.

ALMEIDA, M.; BAX, M. Uma visão geral sobre ontologias: pesquisa sobre definições, tipos, aplicações, métodos de avaliação e de construção. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n. 3, p. 7-20, 2003.

ALVAREZ, C. P. Livre pensar: o empoderamento do RH. São Paulo, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2012.

ALVAREZ, C. P. Neurometria: uma metodologia para análise de redes sociais. Neuroredes, São Paulo, 28 jul. 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2012.

BURT, R. S. The social structure of competition. In: NOHRIA, N.; ECCLES, R. G. Networks and organizations: structure, form and action. Boston: Harvard Business School, 1992.

CORMEN, T.; LEISERSON, C.; RIVEST, R. Introduction to algorithmics. New York: McGraw-Hill, 2000.

CRUZ, M.; CRUZ, T. A neurometria no diagnóstico precoce e monitorização terapêutica da neuropatia diabética. Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2 , p. 78-81, maio 1997.

EHRLICH, K.; CARBONI, I. Inside social network analysis. IBM Research Watson Cambridge Research. Cambridge: IBM, 2005. p. 1-13. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2012.

FAGERBERG, J.; MOWERY, D. C.; NELSON, R. R. Network of innovation. In:______. The oxford handbook of innovation. Oxford: Oxford University, 2006. Cap. 3, p. 56-85.

FESTINGER, Leon. Teoria da dissonância cognitiva. Rio de Janeiro: Zahar, 1975. 249 p.

GRANOVETTER, M. S. The strength of weak ties. American Journal of Sociology, Chicago, v. 78, n. 6, p. 1360-1380, May 1973.

GRUNINGER, M.; LEE, J. Ontology: applications and design. Communications of the ACM, New York, v. 35, n. 2, p. 39-41, fev. 2002.

GUARNIERI, P. Análise de redes sociais. 2010. Slide.

GUTIERREZ, H. O. D. et al. Caracterização da movimentação de bovinos com o uso de um modelo tipo centro-periferia. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, Belo Horizonte, v. 62, n. 6, p. 1295-1302, 2010.

HANNEMAN, R. A.; MARK, R. Introduction to social network methods. Riverside: University of California, 2005. Disponível em: . Acesso em: 23 maio 2012.

LIMIEUX, V.; QUIMET, M. Análise estrutural das redes sociais. Lisboa: Instituto Piaget, 2008. 116p.

MORENO, J. L. Foundations of sociometry: an introduction. Sociometry, Albany, v. 4, n. 1, p. 15-35, feb. 1941.

MORENO, J. L. Psicodrama. São Paulo: Cultrix, 1975.

MORGAN, G. A caminho da auto-organização: as organizações vistas como cérebros. In: _____. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 1996. cap. 5, p. 115-142.

RIBEIRO, E. M. B. A.; BASTOS, A. V. B. Redes sociais interorganizacionais na efetivação de projetos sociais. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 23, n. 2, p. 282-289, 2011.

RODRIGUES, L. C.; MUSTARO, P. N. Levantamento de características referentes à análise de redes sociais nas comunidades virtuais brasileiras de jogos on-line. 2006. 110f. Trabalho de Conclusão (Graduação em Ciência da Computação) - Universidade Presbiteriana Mackenzie Paulo, 2006. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2012.

SILVERMAN, D. Doing qualitative research: a practical handbook. London: Sage, 2000.

SOUSA, P. T. C. Capital Social e Gestão do Conhecimento: união responsável socialmente. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 7, n. 6, dez. 2006.

SOCIEDADE PARANAENSE DE PSICODRAMA. Sociometria como fundamento teórico do psicodrama. Curitiba, 2006.

STUART, T. E. Interorganizational alliances and the performance of firms: a study of growth and innovation rates in a high-technology industry. Strategic Management Journal, Sussex, v. 21, n. 8, p. 791-811, 2000.

WASSERMAN, S.; FAUST, K. Social network analysis: methods and applications. Cambridge: Cambridge University, 1994.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2014v19n39p227



Direitos autorais 2014 Nivaldo Oliveira, André Luiz Zambalde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)