Sistemas de recuperação da informação e o conceito de relevância nos mecanismos de busca: semântica e significação

Silvana Drumond Monteiro, Rogério Paulo Muller Fernandes, Gian Carlo DeCarli, Gustavo Lunardelli Trevisan

Resumo


As concepções dos Sistemas de Recuperação da Informação são retomadas para contextualizar tanto os atuais mecanismos de busca, considerados Sistemas Digitais ou de Significação, quanto a questão da relevância.  A partir de uma pesquisa documental, de uma revisão de literatura e da compreensão dos resultados de uma interface de busca, discute-se, a partir do algoritmo de busca e do Knowledge Graph do Google, a correlação entre otimização semântica e a relevância. A ligação entre a noção de Semântica com o conceito de relevância, nos mecanismos de busca, pode ser estabelecida entre a relação do significado e a informação e, dessa maneira, a relevância é uma propriedade da informação. 


Palavras-chave


Sistema de recuperação da informação; Recuperação da informação; Ciência da informação; Mecanismos de busca; Semântica; Relevância

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARAÚJO, V. M. R. H de. Sistemas de informação: nova abordagem teórico-conceitual. Ciência da Informação, [S. l.], v.24, n.1, p. 1-39, 1995. Disponível em: . Acesso em: 22 de jul. 2016.

ARAÚJO, V. M. A. P. de. Sistemas de recuperação da informação: uma discussão a partir de parâmetros enunciativos. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 137-143, maio/ago. 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 de jul. 2016.

BAEZA-YATES; R.; RIBEIRO-NETO, B. Modern information retrieval. New York: ACM Press, 1999.

BAEZA-YATES, Ricardo; RIBEIRO-NETO, Berthier. Recuperação de informação: conceitos e tecnologia das máquinas de busca. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013

BATTELLE, John. A busca. Campinas: Campus; Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

BERNERS-LEE, T.; HENDLER, J.; LASSILA, O. The Semantic Web. The Scientific american.com, 17, May 2001. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2016.

CALDEIRA, F. H. O mecanismo de busca do Google e a relevância na relação sistema-usuário. Letrônica: Revista digital do Programa de Pós-Graduação em Letras PUCRS. Disponível em: . Acesso em: 12 de jun. 2016.

CARDOSO, O.N.P. Recuperação da Informação. INFOCOMP: Journal of Computer Science, v. 2, n. 1, p. 1-6, 2000. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2016.

CENDÓN, B. V. Sistemas e redes de informação. In: OLIVEIRA, M. (Coord.). Ciência da Informação e Biblioteconomia: novos conteúdos e espaços de atuação. Belo Horizonte: UFMG, 2005. P. 45-75.

CORCOGLIONITI, F. et al. Knowledge extraction for information retrieval. In: SACK, et al. (Ed.). The Semantic Web. Latest Advances and New Domains. Berlin: Springer, 2016. p. 317-333.

FIGUEIREDO, L. M. de. O conceito de relevância e suas implicações. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 75- 78, 1977.FIORAVANTE, Felipe. Tendências emergentes em mecanismos de busca. Disponível em: < www.terraforum.com.br />. Acesso: 20 ago. 2009.

FOSKETT, D. J. A note on the concept of “relevance”. Inform. Stat. Retr. Pergamon Press, Great Britain, v. 8, n. 1, p. 77-78, 1972.

GOOGLE. The knowledge graph. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2016.

GOOGLE. Rastreamento e indexação: como funciona a pesquisa. In: ______. Por dentro da pesquisa. . Acesso em: 18 ago. 2016.

LANCASTER, F. W. MEDLARS: report on the evaluation of its operating efficiency, American Documentation, p. 119-142, 1969.

LAVRENKO, V. A generative theory of relevance. Berlin: Springer, 2009.

LEDFORD, J. L. SEO: Search Engine Optimization – Bible. Indianapolis: Wiley Publishing Inc, 2009. 389 p.

LEWANDOWSKI, D. New perspectives on web search engine research. In: ______. Web search engine research. 4. ed. Bingley: Emerald Group Publishing Limited, 2012. p. 1-16.

MELONI, L. F. Tudo sobre RankBrain, o novo algoritmo do Google. 2015. Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2016.

MONTEIRO, S. D. As múltiplas sintaxes dos mecanismos de busca no ciberespaço. Inf. & Inf., v. 14, n.1, p. 68-102, 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2016.

MONTEIRO, S. D. Knowledge Graph e a significação: novos agenciamentos semióticos dos índices contemporâneos. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, João Pessoa, v. 8, n. 2, p. 203-218, jul./dez. 2015.

MONTEIRO, S. D. O ciberespaço e os mecanismos de busca: novas máquinas semióticas. Ci. Inf., Brasília, v. 35, n. 1, p. 31-38, jan./abr. 2006.

MOOERS, C. N. Zatocoding applied to mechanical Organization of Knowledge. American Documentation, v. 2, p. 20-32, 1951.

OLIVEIRA, R. P. Semântica formal. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

OLIVEIRA, G.; ARAÚJO, W. Usar ou não usar – qual a relevância das metatags na recuperação da informação pelos mecanismos de busca? Biblionline, João Pessoa, v. 8, n. 1, p. 60-77, 2012.

PAGE L.; BRIN, S.; MOTWANI, R.; WINOGRAD, T. The PageRank citation ranking: bringing order to the Web. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2016.

SANGIRARDI, Pedro. Tecnologias cognitivas, comunicação e a crise de representação política. Revista ComPolítica, v. 1, n. 4, p. 218-234, jan./jul. 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2015.

SARACEVIC, T. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspec. Ci. Inf., Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996.

______. Why is relevance stull the basic notion in Information Science? In: PEHAR, F.; SCHÖGL, C.; WOLFF, C. (Ed.). Re:inventing Information Science in the Netwoked Society. INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON INFORMATION SCIENCE, 14, 2015, Zadar. Proceedings… Zadar: ISI, 2015.

______. Relevance: a review of and a framework for the thinking on the notion in Information Science. Journal of the American Society for Information Science, [s. l.], p. 321-343, nov./dez. 1975.

______. Research on relevance in Information Science: a historical perspective. In: CARBO, T.; HAHN, T. B (Ed.). International Perspectives on the History of Information Science and Technology. ASIS&T – PRE-CONFERENCE ON THE HISTORY OF ASIS&T AND INFORMATION SCIENCE AND TECHNOLOGY, 75, 2012, Medford. Proceedings … Medford: ASIS&T, out. 2012.

SIEGEL, D. Pull – The power of Semantic Web to transform your business. Portfolio Hardcover, 2010.

SIMISTER, S. The Freebase API: tapping into Google’s Knowledge Graph. In: GOOGLE DEVELOPERS. Freebase API. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2014.

SIMONI, R. SEO e semântica web: uma nova revolução com a busca de entidades. Disponível em: http://www.conversion.com.br/blog/seo-e-semantica-web-uma-nova-revolucao-com-a-busca-de-entidades/ >. Acesso em: 02 out. 2015.

SILVA, R. E. da; SANTOS, P. L. V. A. da C.; FERNEDA, E. Modelos de recuperação de informação e web semântica: a questão da relevância. Inf. Inf., Londrina, v. 18, n. 3, p. 27 – 44, set./dez. 2013.

SOUZA, R.R. Sistemas de recuperação de informações e mecanismos de busca na web: panorama atual e tendências. Perspec. Ciênc. Inf., v. 11, n. 2, p. 161-173, maio/ago. 2006.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n50p161



Direitos autorais 2017 Silvana Drumond Monteiro; Rogério Paulo Muller Fernandes; Gian Carlo DeCarli; Gustavo Lunardelli Trevisan

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)