Produção científica brasileira em Química entre 2004 e 2013: análise dos artigos indexados na Web of Science

Sabrina Diehl Menezes, Sonia Elisa Caregnato

Resumo


Analisa a produção científica brasileira em Química publicada entre 2004 e 2013 na forma de artigos científicos. O corpus da pesquisa é composto por 42.954 artigos científicos coletados na base de dados da Web of Science. Os resultados mostram que a produção científica em Química cresceu linearmente durante os dez anos estudados. A taxa de crescimento é de 6,29% ao ano e de 73,19% no período completo, e sua contribuição para o total da produção nacional é de 15,5% e para a mundial da área de 1,95%. O Índice de atividade é de 0,79 e aponta para um desenvolvimento abaixo da média mundial para a área. A distribuição geográfica da produção científica em Química apresenta grande desigualdade entre as regiões brasileiras; as regiões Sudeste e Sul se destacam pelo número de artigos publicados, respectivamente 57% e 17,97% do total. Constata-se que um pequeno núcleo de instituições brasileiras foi responsável pela publicação de 52,41% do total de artigos. As instituições com maior produtividade na área são USP (13,93%) e Unicamp (7,83%). A internacionalização da pesquisa em Química é observada pelo percentual de artigos publicados em inglês (92,08%) e em periódicos estrangeiros (83,65%). A maior parte dos artigos da área tem colaboração nacional, porém um percentual de 24% tem coautoria com pesquisadores estrangeiros. A coautoria bilateral é predominante entre artigos publicados em colaboração internacional. Os resultados apontam para o crescimento constante da área e para a internacionalização da pesquisa Química brasileira.


Palavras-chave


Produção científica; Indicadores Bibliométricos; Química

Texto completo:

PDF/A

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INDÚSTRIA QUÍMICA. O Desempenho da indústria química brasileira em 2014. São Paulo: ABIQUIM, 2015.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e Comunicações. Indicadores Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação. Brasília, DF: MCTIC, 2017. Disponível em:. Acesso em: 19 jun. 2018.

CONTINI, Elisio; SÉCHET, Patrick. Ainda há um longo caminho para a ciência e tecnologia no Brasil. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 2, n. 3, p. 30-39, mar. 2005. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

FAPESP. Análise da produção científica a partir de publicações em periódicos especializados. In: ____. Indicadores de ciência e tecnologia e inovação em São Paulo. São Paulo: FAPESP, 2011. V. 1, cap. 4, p. 1-72.

GLANZEL, Wolfgang et al. Science in Brazil. Part 1: a macro-level comparative study. Scientometrics, v. 67, n. 1, p. 67-86, 2006. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

GLANZEL, Wolfgang; SCHUBERT, András. A new classification scheme of science fields and subfields designed for scientometric evaluation purposes. Scientometrics, v. 56, n. 3, p. 357-367, 2003. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

LETA, Jacqueline. Indicadores de desempenho, ciência brasileira e a cobertura das bases informacionais. Revista USP, n. 89, p. 62-77, mar./maio 2011. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2018.

LETA, Jacqueline. Brazilian growth in the mainstream science: the role of human resources and national journals. Journal Scientometrics Research, v. 1, n. 1, p. 44-52, Sept./Dec. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2017.

LETA, Jacqueline; De Meis, L. A profile of science in Brazil. Scientometrics, v. 35, n. 1, p. 33-44, 1996. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2018.

LETA, Jacqueline et al. A macro-level study of science in Brazil: seven years later. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, v. 18, n. 36, p. 51-66, jan./abr. 2013. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2018.

LETA, Jacqueline et al. Science in Brazil. Part 2: sectoral and institutional research profiles. Scientometrics, v. 67, n. 1, p. 87-105, 2006. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

MOED, Henk F. Citation analysis in research evaluation. Amsterdam: Springer, 2005.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. Métricas para a ciência e tecnologia e o financiamento da pesquisa: algumas reflexões. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, ed. esp., p. 116-128, 2008. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

NATIONAL SCIENCE FOUNDATION. Science and engineering indicators 2018. Alexandria, VA: NSF, 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 jun. 2018.

NORONHA, Daisy Pires; MARICATO, João de Melo. Estudos métricos da informação: primeiras aproximações. Encontros Bibli: revista eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, ed. esp., p. 116-128, 2008. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

SCImago. Journal & Country Rank. [S.l.: SCImago, 2015]. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2015.

SIDONE, Otávio José Guerci et al. A ciência nas regiões brasileiras: evolução da produção e das redes de colaboração científica. Transinformação, v. 28, n. 1, p. 15-31, jan./abr. 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

TESTA, James. The globalization of Web of Science: 2005-2010. [Philadelphia, PA]: Thompson Reuters, 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2015.

VANZ, Samile Andrea de Souza. As redes de colaboração científica no Brasil. 2009. 204 f. Tese (Doutorado)- Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

VARGAS, Rosely A. et al. The role of national journals on the rise in brazilian agricultural science publications in Web of Science. Journal of Scientometric Research, v. 3, n. 1, p. 28-36, Jan./Apr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2018v23n53p25



Direitos autorais 2018 Sabrina Diehl Menezes, Sonia Elisa Caregnato

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)