Por uma ciência formativa e indiciária: proposta epistemológica para a ciência da informação 10.5007/1518-2924.2006v11nesp1p1

Eliany Alvarenga de Araújo

Resumo


Reflexão epistemológica sobre a Ciência da Informação como “fazer científico” que se estrutura na Ciência Moderna, em termos teóricos e metodológicos e nas Tecnologias da Informação, em termos aplicados. Tal configuração possibilitou o surgimento desta ciência, porém consideramos que a mesma não garantirá à mesma o pleno desenvolvimento como campo de conhecimento consistente e moderno. A Ciência Moderna, enquanto visão e prática científica encontra-se esgotada e as Tecnologias de Informação são apenas mecanismos autoregulados que funcionam segundo princípios de automatismos. A partir destas considerações propomos o conceito de ciência formativa (Bachelard, 1996) e o paradigma indiciário (Ginzburg, 1991) como bases teóricas e metodológicas para uma epistemologia da Ciência da Informação. O conceito de ciência formativa se baseia no principio dos três estados do espírito científico e nas condições psicológicas do progresso científico e o paradigma indiciário propõe a intuição (empírica e racional) como base metodológica para o fazer científico.

Palavras-chave


Ciência da Informação; Epistemologia ; Paradigma indiciário; Ciência Formativa; Epistemology - Information Science; Indicial Paradigm; Formative Science

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2006v11nesp1p1



Direitos autorais 2007 Eliany Alvarenga de Araújo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)