A Classificação de Livros de William Torrey Harris: influências de Bacon e Hegel nas classificações de biblioteca

Rodrigo de Sales

Resumo


Os estudos das classificações de biblioteca comumente dialogam com a contextualização de abordagem histórica e com as ideias classificatórias próprias da Filosofia. No século XIX, o filósofo e educador norte-americano William Torrey Harris desenvolveu uma classificação de livros para a Escola Pública de St. Louis, que trouxe em seu cerne influências tanto de Francis Bacon como de Georg Wilhelm Friedrich Hegel. O objetivo do presente ensaio é analisar a classificação de Harris, refletindo acerca de suas bases teórica e filosófica. Para tanto, adotou-se um olhar crítico-descritivo para a realização da análise. Como resultado, foi possível apresentar algumas influências de Bacon e de Hegel na classificação Harris.

Palavras-chave


Classificação de livros; Classificação de biblioteca; William Torrey Harris; Francis Bacon; Hegel

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANDRADE, J. A. Reis. de. Bacon: vida e obra. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

BARBOSA, A. P. Teoria e prática dos sistemas de classificação bibliográfica. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Bibliografia e Documentação, 1969. 441 p. (Obras Didáticas; 1).

COMAROMI, John Phillip. The eighteen editions of the Dewey Decimal Classification. Albany, NY: Forest Press Division, Lake Placid Education Foundation, 1976.

FERRER, D. Espécies, classificação e evolução em Hegel. Revista Eletrônica Estudos Hegelianos, ano 6, n 11, jul-dez/2009, pp. 32-56.

FOSKETT, A.C. A abordagem temática da informação. Tradução de Antônio Agenor Briquet de Lemos. São Paulo: Polígono; Brasília: Ed.UnB, 1973.

HARRIS, W. T. Book classification. Speculative Philosophy, St. Louis, v. 4, p. 114-129, 1870.

HARRIS, W. T. Hegel’s logic: a book on the genesis of the categories of the mind: A critical exposition. Chicago: S.C. Griggs, 1890.

HEGEL, G. W. F. Ciência da Lógica: excertos. Tradução de Marco Aurélio Werle. São Paulo: Barcarolla, 2011.

La MONTAGNE, L. E. American library classification: with special reference to the Library of Congress. Handen: The Shoe String Press, 1961.

LEIDECKER, K. F. Yankee teacher: the life of William Torrey Harris. New York: The Philosophical Library, 1946. Reimpresso por: New York: Kraus Reprint, 1971.

MILLS, J. A morden outline of library classification. London, Chapman and Hall, 1960.

OLSON, H. A. A potência do não percebido: Hegel, Dewey e seu lugar na corrente principal do pensamento classificatório. Tradução de Márcia Regina Silva. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v. 2, n. 1, p. 3-15, jan./jun. 2011.

PIEDADE, M. A. R. Introdução à teoria da classificação. 2. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1983.

SALES, R. de. A organização da informação de Julius Kaiser: o nascimento do método analítico-sintético. Saarbrücken, Alemanha: Novas Edições Acadêmicas, 2014.

SCHNEIDER, G. Theory and history of bibliograph. New York: Columbia University, 1934. (Columbia University Studies in Library Service, n.1).

WIEGAND, W. A. Irrepressible reformer: a biography of Melvil Dewey. Chicago: American Library Association, 1996.

WIEGAND, W. A.. The “Amherst Method”: the origins of the Dewey Decimal Classification scheme. Libraries & Culture, Austin, v. 33, 175-194, 1998.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n50p188



Direitos autorais 2017 Rodrigo de Sales

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)