Inteligência financeira organizacional: estratégia competitiva no contexto gerencial da ACIM

Autores

Palavras-chave:

Informação, Inteligência Financeira, Nível Gerencial, Estudo de Caso, ACIM.

Resumo

Objetivo: As informações financeiras atuam como importante recurso de análise e decisão no contexto das organizações. Porém, as organizações devem considerar realizar o tratamento dessas informações de maneira estruturada de modo que estas possam ser utilizadas no nível gerencial da organização.

Método: Esta pesquisa foi realizada com os gestores da Associação Comercial e Industrial de Marília (ACIM), entidade de classe da cidade de Marília, no estado de São Paulo. Para a realização da pesquisa, foi utilizado o método de estudo de caso, identificando assim importantes percepções dos sujeitos, bem como aspectos positivos e negativos relacionados a informações enquanto recursos no contexto da ACIM.

Resultado: Como resultado, construíram-se parâmetros estruturados para a realização do processo de inteligência financeira organizacional considerando toda a estrutura identificada na ACIM.

Conclusões: A pesquisa recomenda que outros aspectos relacionados com a informação, como a gestão do conhecimento e a construção de redes de conhecimento sejam construídos na ACIM, e com isso, a entidade pode fazer um melhor uso desse recurso de maneira estruturada.

Biografia do Autor

Carlos Francisco Bitencourt Jorge, Universidade de Marília, Administração (Grupo de Pesquisa Organizações Competitivas e Inovadoras), Marília, Brasil

Pós-Doutor em Ciência da Informação na área de concentração Informação, Tecnologia e Conhecimento pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp/SP).Doutor em Ciência da Informação com enfoque em Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva em Organizações Complexas pela Unesp/Marília. Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp/Marília). Especialista em Administração de Marketing e Propaganda pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) , 2008. Graduado em Administração de Empresas pelo UNIVEM, 2007. Realizou doutoramento sanduíche como pesquisador internacional em Westminster College nos Estados Unidos da América, desenvolvendo pesquisas com enfoques em Inteligência Organizacional, Gestão do Conhecimento, Gestão da Informação e Gamification para Organizações complexas. Membro na Strategic and Competitive Intelligence Professionals (SCIP). Docente do curso de Administração da Univesidade de Marília (UNIMAR). Pesquisador do Grupo de Pesquisa Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional.

Ana Cláudia Rossetto, Universidade de Marília, Administração (Grupo de Pesquisa Organizações Competitivas e Inovadoras), Marília, Brasil

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Marília.
Universidade de Marília, Administração (Grupo de Pesquisa Organizações Competitivas e Inovadoras), Marília, Brasil

Ana Clara da Silva Ortega, Universidade de Marília, Administração (Grupo de Pesquisa Organizações Competitivas e Inovadoras), Marília, Brasil

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Marília.
Universidade de Marília, Administração (Grupo de Pesquisa Organizações Competitivas e Inovadoras), Marília, Brasil

Bruno Bastos de Oliveira, Docente do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade de Marília.Universidade de Marília, Direito (Grupo de Pesquisa Organizações Competitivas e Inovadoras), Marília, Brasil

Universidade de Marília, Direito (Grupo de Pesquisa Organizações Competitivas e Inovadoras), Marília, Brasil

Bianca Stephanie O. da Costa dos Santos, Faculdade Católica Paulista

Bacharel em Ciências Contábeis FACAP

Francisca Miquelle Siqueira Cardoso, Universidade Estadual Paulista (Unesp

Mestranda em Ciência da Informação

Referências

ALVES, M. T. V. D.;LUNGO, D. I. M. Utilidade da informação financeira na tomada de decisão: a percepção de gestores de PMEs de Luanda e de Lisboa. Revista Contabilidade e Controladoria, [S.l.], v. 5, n. 2, sep. 2013. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/rcc/article/view/31419/21331. Acesso em: 25 jan. 2021.

ALVES, N. J. F.et al. Relato integrado e o formato da informação financeira para evidenciar a criação de valor das empresas do Programa Piloto. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, v. 5, n. 3, p. 99-122, 30 ago. 2017.Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/recfin/article/view/34070. Acesso em: 25 jan. 2021.

AMERICAN MARKETING ASSOCIATION (AMA). Dictionary of marketing terms, 2007.Disponível em: https://www.ama.org/the-definition-of-marketing-what-is-marketing. Acesso em: 20 mai. 2020.

AMORA, C.DE O. Inteligência económica: modelos empresariais e estatais. 2011. 54f. Dissertação (Mestrado em Gestão) – Business School, Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa, 2011. Disponível em: https://repositorio.iscte-iul.pt/bitstream/10071/4704/1/tese25mai%20-%2020082011.pdf. Acesso em: 15 de jun. 2020.

BARBOZA, P. et al. Evaluation of epidemic intelligence systems integrated in the early alerting and reporting project for the detection of A/H5N1 influenza events. PLoS One, v.8, n.3, p.1-9, 2013. DOI:10.1371/journal.pone.0057252Disponível em:https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0057252.Acesso em: 13 jun. 2020.

BARBOSA, J. D.; TEIXEIRA, R. M. Apesar dos pesares, vale a pena ser pequeno empresário? Traçando perfil e descobrindo motivos.In:Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Londrina. Anais[...]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, p. 14-30, 2001.

BOUTHILLIER, F.; SHEARER, K. Assessing competitive intelligence software: A guide to evaluating CI technology. New Jersey: Information Today, 2003. 193p.

CHEN, X.; CHUGHTAI, A. A.; MACINTYRE, C. R. Application of a Risk Analysis Tool to Middle East Respiratory Syndrome Coronavirus (MERS‐CoV) Outbreak in Saudi Arabia. Risk Analysis, v.40, n.5, p.915-925, 2020. DOI: 10.1111/risa.13472.Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/risa.13472. Acesso em:16 de jun. 2020.

CHOO, C. W. A Organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC Editora, 2003. 426p.

CRONIN, B.; DAVENPORT, E. Social intelligence. In: WILLIAMS, M. (Org.). Annual Review of Information Science and Technology. Medford, NJ: LearnedInformation,1993.

DAVENPORT, T.; PRUSAK, L. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998. 316p.

DESENVOLVIMENTO de Entidades Empresariais. Brasília: CACB, SEBRAE, 2005.

FACESP, Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo. RA 15 – Marília. São Paulo, 2021. Disponível em: https://www.facesp.com.br/regiao/MTU= . Acesso em: 25 jan. 2021.

FLEISHER, C. S. An introduction to the management and practice of competitive intelligence (CI). In: FLEISHER, C. S.; BLENKHORN, D. L. (Orgs.). Managingfrontiers in competitive intelligence. Westport (Conn): Quorum Books, 2001. 317p.

GALDINO, J. F. Reflexos da Era do Conhecimento e da 4a Revolução Industrial na Defesa. Revista de Tecnologia da Informação e Comunicação, v.8, n.2, p.24-34.Disponível em: http://rtic.com.br/index.php/rtic/article/download/102/100 . Acesso em: 21 jun. 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, A. C.Como elaborar projetos de pesquisa.4.ed.São Paulo: Atlas, 2002.

HABER-VEJA, A.; MÁS-BASNUEVO, A.Inteligencia organizacional: conceptos, modelos y metodologías. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v.18, n.38, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2013v18n38p1/25954. Acesso em: 20 jun. 2020.

HIPÓLITO, A. Inteligência Financeira para Gestores de Escritório de Advocacia. 2010. Disponível em:https://www.estrategianaadvocacia.com.br/artigos2.asp?id=444#.XsWQYERKipo. Acesso em 20 mai. 2020.

JORGE, C. F. B. Análise de fatores críticos na gestão do conhecimento e no processo de inteligência em organizações complexas. 2017. 511f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2017. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/152376. Acesso em: 15 de jun. 2020.

JORGE, C. F. B.; VALENTIM, M. L. P. A importância do mapeamento das redes de conhecimento para a gestão da informação e do conhecimento em ambientes esportivos: um estudo de caso no Marília Atlético. Perspectivas em Ciência da Informação, [S.l.], v. 21, n. 1, p. 152-172, 2016. Disponívelem:http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/2533. Acesso em: 03 fev. 2020.

JORGE, C. F. B.; ARÁUJO, A.S. Análise espacial no processo de inteligência competitiva como estratégia para a construção de produtos e serviços de inteligência voltados às organizações. Ciência da Informação, v. 48, n. 1, p. 218-234, 2019. Disponívelem:http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4287/4107. Acesso em: 17 jun. 2020.

LESCA, H. Veille stratégique: La méthode L.E.SCAnning®. Editions EMS. 180 p. 2003.

MANTERO, J. et al. Enhanced epidemic intelligence using a web-based screening system during the 2010 FIFA World Cup in South Africa. Eurosurveillance, v.19, n.18, pii 20796, 2014. Disponível em: http://www.eurosurveillance.org/ViewArticle.aspx?ArticleId=20796. Acesso em: 16 jun. 2020.

MARCONE, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica.5.ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARÓSTICA, E.; MARÓSTICA, N.A.C.; BRANCO, V.R.C. Inteligência de Mercado. São Paulo: Cengage Learning, 2015.

MÁS-BASNUEVO, A. Modelo para el desarrollo de un sistema de inteligencia organizacional en la delegación del Ministerio de Ciencia, Tecnología y Medio Ambiente en Holguín. ACIMED: Revistas Médicas Cubanas, v.13,n.4, 2005. Disponível em: http://scielo.sld.cu/pdf/aci/v13n6/aci080605.pdf. Acesso em: 20 de Jun. 2020.

MILLER, J. Millennium intelligence:Understanding and conducting competitive intelligence in the digital age. New Jersey:Information Today, 2001, 283p.

MORAES, C. R. B.; FADEL, B. Cultura organizacional em cenários de mudança. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, fev. 2007. Disponível em:https://brapci.inf.br/index.php/article/download/7539. Acesso em: 20 jun. 2020.

PÉREZ- MONTORO, M. Identificación y representación del conocimiento organizacional: la propuesta epistemológica clásica. [S.l.]: IN3 - Internet Interdisciplinary Institute, 2004. Disponível em: http://www.uoc.edu/in3/dt/20390/index.html. Acesso em:12 jun. 2020.

PORTER, M.E. Competitive strategy: Techniques for analyzing industries and competitors. New York: The Free Press, 1980. 396p.

PRESCOTT, J.E. The evolution of competitive intelligence: Designing a process for action. Proposal Management: APMP Professional Journal, v.21, n.4, 1999.

ROTUREAU, B. et al.International epidemic intelligence at the Institut de Veille Sanitaire, France. Emerging infectious diseases, v.13, n.10, 1590-1592, 2007. Disponível em: https://wwwnc.cdc.gov/eid/article/13/10/07-0522_article. Acesso em: 14 jun. 2020.

SILVA, P. A. G.; ALVES, P. A. P. As novas tecnologias como veículo de transmissão da informação financeira. Rev. contab. finanç., São Paulo, v. 12, n. 27, p. 24-32,Dec.2001.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-70772001000300002&lng=en&nrm=iso. Acesso em 25 jan.2021.

SOUZA, T. F. C.; BORGES, M. E. N. Fontes de informação financeira no Brasil. Ci. Inf., Brasília, v.28, n.1, p.37-48, Jan. 1999. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19651999000100006&lng=en&nrm=iso. Acesso em 25 jan. 2021.

TONI, K. C. W.; ALVARES, L. M. A. R. Educação Corporativa na perspectiva da Inteligência Organizacional. Informação & Informação, [S.l.], v. 21, n. 3, p. 228-257, abr. 2017. ISSN 1981-8920. DOI: 10.5433/1981-8920.2016v21n3p228.Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/21728. Acesso em: 30 jun. 2020.

VALENTIM, M. L. P. Inteligência competitiva em organizações: dado, informação e conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.3, n.4, ago. 2002. Disponível em:https://brapci.inf.br/index.php/res/download/43613. Acesso em: 15 mai. 2020.

VALENTIM, M. L. P. Processo de inteligência competitiva organizacional.In: VALENTIM, M. L. P. (Org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2.ed. Marília: FUNDEPE Editora, 2006. 282p.; p.9-24

VALENTIM, M. L. P; GELINSKI, J. V. V. Gestão do conhecimento corporativo. In: VALENTIM, M. L. P. (Org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2.ed. Marília: FUNDEPE Editora, 2006.

WILBURN, J. et al. Identifying potential emerging threats through epidemic intelligence activities—looking for the needle in the haystack? International Journal of Infectious Diseases, v.89. DOI: 10.1016/j.ijid.2019.10.011. Disponível em:https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1201971219304047. Acesso em 17 jun. 2020.

YIN, R. K.Estudo de caso: planejamento e métodos. 2.ed. São Paulo: Bookman, 2003.

Publicado

2021-04-21

Como Citar

Jorge, C. F. B., Rossetto, A. C., Ortega, A. C. da S., Oliveira, B. B. de, Santos, B. S. O. da C. dos, & Siqueira Cardoso, F. M. . (2021). Inteligência financeira organizacional: estratégia competitiva no contexto gerencial da ACIM. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 26, 01-37. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/77513

Edição

Seção

Estudos de Caso