Práticas de citação na Organização e Representação do Conhecimento no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e78062

Palavras-chave:

Estudos de citação, Práticas de citação, Razão das citações, Brasil, Concepção Sociocultural

Resumo

Objetivo: Analisar as formas de produção e os elementos de distinção das práticas de citação no domínio da Organização e Representação do Conhecimento no Brasil de 2015 a 2018. Os objetivos específicos são: mapear os autores mais produtivos e citados do período no domínio de Organização e Representação do Conhecimento e identificar as razões de citação dos autores mais citados do período a partir de suas contribuições científicas.

Método: Configura-se como uma contribuição de natureza bibliográfica e descritiva. Utiliza-se o método cientométrico por meio das técnicas de análise de conteúdo e de assunto para demonstrar as motivações das práticas de citações dos pesquisadores vinculados ao domínio da Organização e Representação do Conhecimento.

Resultado: Evidencia-se a predominância de citação em pesquisadores nacionais no recorte analisado, com ênfase para a autora Fujita, M. S. L. e o autor Guimarães, J. A. C. Em relação às razões de citações, destaca-se o domínio da dimensão conceitual com 93,2%, em contrapartida, a dimensão social aparece com apenas 6,8% do total das ocorrências. Na distribuição das razões das citações por categorias podem-se destacar as ocorrências voltadas para a sustentação de declarações e informações, que receberam 1.148 menções, bem como as razões voltadas para discussões mais teóricas e conceituais, com o total de 902 razões vinculadas.

Conclusões: Em que pesem as formas de produção e as instâncias de consagração apontadas pelo binômio produção-citação a partir dos resultados, a posição dos autores mais produtivos no campo reverbera em citações, com razões plurais e motivações concentradas na sustentação de argumentos, exemplificação de situações, casos e pontos de vista, bem como de definições e esclarecimentos teóricos, conceituais e metodológicos.

Referências

ARBOIT, A. E. O processo de institucionalização sociocognitiva do domínio de Organização do Conhecimento a partir dos trabalhos científicos dos congressos da ISKO. 2014. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/123389. Acesso em: 13 jan. 2021.

BOURDIEU, P. Homo academicus. 2. ed. Florianópolis: Ed. UFSC, 2013.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Petrópolis: Vozes, 2012.

CAPES. Documento de área: Área 31: Comunicação e Informação. Brasília, 2019. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/comunicacao-pdf. Acesso em: 13 jan. 2021.

LEYDESDORFF, L.; AMSTERDAMSKA, O. Dimensions of Citation Analysis. Science, Technology, & Human Values, New York, v. 15, n. 3, p. 305-335, 1990. DOI: https://doi.org/10.1177%2F016224399001500303. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/016224399001500303. Acesso em: 15 ago. 2020.

LEYDESDORFF, L.; WOUTERS, P. Between texts and contexts: advances in theories of citation? (A Rejoinder). Scientometrics, Amsterdam, v. 44, n. 2, p. 169–182, 1999. DOI: https://doi.org/10.1007/BF02457378. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/BF02457378. Acesso em: 12 ago. 2020.

LIEVROUW, L. A. New media and the ‘pluralization of life-worlds’. New Media & Society, Los Angeles, CA, v. 3, p. 7-28, 2001. DOI: https://doi.org/10.1177%2F1461444801003001002. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1461444801003001002. Acesso em: 2 ago. 2020

MARTINS, G. K. Institucionalização cognitiva e social da Organização e Representação do Conhecimento na Ciência da Informação no Brasil. 2014. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/114036. Acesso em: 13 jan. 2021.

SILVEIRA, M. A. A.; CAREGNATO, S. E.; BUFREM, L. S. Estudo das razões das citações na Ciência da Informação: proposta de classificação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, João Pessoa, v. 7, n. 2, p. 232-250, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/119535. Acesso em: 10 mar. 2019.

SILVEIRA, M. A. A. Produção e distinção no domínio da Organização e Representação do Conhecimento no Brasil. 2016. Tese (Doutorado em Comunicação e Informação) – Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/153353. Acesso em: 2 mar. 2019.

SILVEIRA, M. A. A.; CAREGNATO, S. E. Demarcações epistemológicas dos estudos de citação: teorias das citações. Em Questão, Porto Alegre, v. 23, p. 250-275, 2017a. DOI: https://doi.org/10.19132/1808-5245233.250-275. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/72870. Acesso em: 12 mar. 2019.

SILVEIRA, M. A. A.; CAREGNATO, S. E. Demarcações epistemológicas dos estudos de citação: o fenômeno da citação. Informação & Sociedade: estudos, João Pessoa, v. 27, p. 145-154, 2017b. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/33847. Acesso em: 15 mar. 2019.

THOMPSON, J. B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes, 1995.

Downloads

Publicado

2021-02-17

Como Citar

Melo, R. R. de, Silveira, M., & Santos, R. (2021). Práticas de citação na Organização e Representação do Conhecimento no Brasil. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 26, 01-22. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e78062

Edição

Seção

Artigo