Vantagens e desvantagens da revisão por pares aberta: consensos e dissensos na literatura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.78583

Palavras-chave:

Revisão por pares aberta, Vantagens e desvantagens, Comunicação científica, Ciência aberta, Revisão por pares

Resumo

Objetivo: a abertura do processo de avaliação por pares é um assunto emergente no movimento da ciência aberta e costuma dividir opiniões na comunidade científica, especialmente entre os seus atores diretos como os editores, autores, avaliadores. Dessa forma o estudo objetiva identificar e analisar as vantagens e desvantagens da revisão por pares aberta apresentadas nos estudos publicados em língua portuguesa a respeito do tema.

Método: trata-se de um estudo bibliográfico de natureza exploratória e descritiva, com abordagem qualitativa. O corpus da pesquisa é composto por artigos publicados em periódicos ou trabalhos apresentados em eventos acadêmicos, em língua portuguesa, que abordam o sistema aberto de avaliação por pares. Das 360 pesquisas recuperadas, apenas onze atenderam ao propósito do presente estudo as quais foram analisadas.

Resultado: foram identificadas quatro categorias (Transparência, Qualidade, Reconhecimento e Ética) e 45 considerações entre vantagens e desvantagens do processo. O número de vantagens (36) da revisão por pares aberta é maior do que o das desvantagens (9). A categoria ‘Qualidade’ é mais representativa tanto nas vantagens (45%), quanto nas desvantagens (75%). Considerações quanto ao fato de trazerem “Comentários mais construtivos, consistentes e coerentes” preponderam nas vantagens mencionadas, e outras relacionadas a “Interferência na relação entre pesquisadores e nos seus projetos acadêmicos” são mais usuais nas desvantagens indicadas pelos autores.

Conclusões: a revisão por pares no contexto da ciência aberta apresenta, para além dos desafios, grandes possibilidades de aprimorar a produção científica no sentido de torná-la mais transparente, ética e participativa devendo ser considera pela comunidade acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBAGLI, Sarita. Ciência aberta em questão. In: ALBAGLI, Sarita; MACIEL, Maria Lucia; ABDO, Alexandre Hannud (org.). Ciência Aberta, questões abertas. Brasília: IBICT; Rio de Janeiro: UNIRIO, 2015. p. 9-26.

AMARAL, Janaynne Carvalho do; PRÍNCIPE, Eloísa. Ciência Aberta e revisão por pares: aspectos e desafios para a participação da comunidade em geral. Cadernos Bad, Lisboa, n. 1, p. 320-325, jan./dez. 2018.

AMSEN, Eva. What is open peer review? F1000 Research, [s. l.], 2014. Disponível em: https://blog.f1000.com/2014/5/21/what-is-open-peer-review/. Acesso em: 10 set. 2019.

ARAÚJO, Paula Carina; LOPES, Maura Paula Miranda. Análise dos periódicos contemplados no edital de 201do programa editorial do conselho nacional de desenvolvimento científico e tecnológico (CNPq) no contexto da ciência aberta. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE BIBLIOMETRIA E CIENTOMETRIA, 7., 2020, Salvador. Anais eletrônicos [...]. Salvador: UFBA, 2020. p. 47-54. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32385. Acesso em: 20 nov. 2020.

ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de; PEDRI, Patricia. Publons: uma plataforma de visibilidade para revisão por pares no âmbito da ciência aberta? Cadernos Bad, Lisboa, n. 1, p. 59-69, jan./dez. 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BORNMANN, Lutz. Evaluations by Peer Review in Science. Springer Science Reviews 1, p. 1-4, jan. 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1007/s40362-012-0002-3 Acesso em: 25 nov., 2020.

BOTOMÉ, Sílvio Paulo. Avaliação entre pares na ciência e na academia: aspectos clandestinos de um julgamento nem sempre científico, acadêmico ou de avaliação. Psicologia USP, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 335-356, jun. 2011. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/psicousp/article/view/42087/ 45761. Acesso em: 23 set. 2019.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

DeCOURSEY, Tom. Perspective: the pros and cons of open peer review. Nature, 2006. Disponível em: http://www.nature.com/nature/peerreview/ debate/ nature04991.html. Acesso em: 14 set. 2019.

FORD, Emily. Defining and characterizing open peer review: a review of the literature. Journal of Scholarly Publishing, Portland, v. 44, n. 4, p. 311-326, jan. 2013.

FREITAS, Christiana Soares de. Controvérsias sobre redes abertas de produção de conhecimento e de comunicação científica. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 472-486, nov. 2014. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3595/3074. Acesso em: 01 set. 2019.

FRESCO-SANTALLA, Ana; HERNÁNDEZ-PÉREZ, Tony. Current and evolving models of peer review. The Serials Librarian, Madrid, v. 67, n. 4, p. 373-398, 2014. Disponível em: http://eprints.rclis.org/24517/1/Models_of_Peer_Review_AFrescoSantalla_THernadez-Perez.pdf. Acesso em: 4 set. 2019.

GARCIA, Joana Coeli; TARGINO, Maria das Graças. Open peer review sob a ótica de editores das revistas brasileiras da Ciência da Informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 18., 2017, Marília. Anais eletrônicos [...]. Marília: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2017. Disponível em: http://enancib.marilia.unesp.br/index.php/xviiienancib/ENANCIB/paper/view/19. Acesso em: 01 set. 2019.

GARCIA, Joana Coeli; TARGINO, Maria das Graças. O futuro da open peer review na ciência da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 19., 2018, Londrina. Anais eletrônicos [...]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2018. Disponível em: http://enancib.marilia.unesp.br/index.php/xviiienancib/ENANCIB/paper/view/19. Acesso em: 01 set. 2019.

GARCIA, Joana Coeli; TARGINO, Maria das Graças; SILVA, Kleisson Lainnon. Adoção da open peer review no Portal de Periódicos da Universidade Federal da Paraíba. Convergências em Ciência da Informação, Aracaju, v. 1, n. 2, p. 168-174, maio/ago. 2018. Edição especial. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/conci/article/view/10269. Acesso em: 01 set. 2019.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo. Atlas. 1991.

MALHOTRA, Naresh K. Pesquisa de marketing. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MERTON, Robert K. Ensaios de sociologia da ciência. São Paulo: Editora 34, 2013.

OVERVIEW: Nature’s peer review trial. Nature, [s. l.], p. 1-3, Dec. 2006.

PRÍNCIPE, Eloísa Conceição. Revisão por pares aberta: análise das revistas open access. In: ABEC MEETING, 2018, São Paulo. Anais Eletrônicos […] São Paulo: ABEC, 2018. Disponível em: http://ocs.abecbrasil.org.br/index.php/abec-meeting/abec-meeting-2018/paper/view/180. Acesso em: 1 ago. 2019.

ROSS-HELLAUER, Tony. What is open peer review? A systematic review. [version 2; peer review: 4 approved]. F1000Research, Londres, v. 6, n. 588, ago. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2009v14n28p73. Acesso em: 10 ago. 2019.

SCIENCE-METRIX. Analytical Support for Bibliometrics Indicators Open access availability of scientific publications. Montréal: Science-Metrix, 2018 Disponível em: http://www.science-metrix.com/sites/default/files/science-metrix/publications/science-metrix_open_access_availability_scientific_publications_report.pdf . Acesso em: 15 ago. 2019.

SHANAHAN, Daniel R.; OLSEN, Bjorn R. Opening peer-review: the democracy of science. Journal of Negative Results in BioMedicine, [s. l.], v. 13, n. 2, p. 1-2, jan. 2014. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/259915520_Opening_peer-review_The_democracy_of_science. Acesso em: 15 ago. 2019.

SPINAK, Ernesto. Sobre as vinte e duas definições de revisão por pares aberta… e mais. SciELO em Perspectiva, 28 fev. 2018. Disponível em: https://blog.scielo.org/blog/2018/02/28/sobre-as-vinte-e-duas-definicoes-de-revisao-por-pares-aberta-e-mais/. Acesso em: 10 set. 2019.

STUMPF, Ida. Avaliação pelos pares nas revistas de comunicação: visão dos editores, autores e avaliadores. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 13, n. 1, p. 18-32, abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362008000100003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 28 ago. 2019.

TEIXEIRA, Juliano Machado; SIMÕES, Gabriel da Silva; OLIVEIRA; José Palazzo Moreira. Editoração colaborativa e revisão aberta de textos científicos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS MULTIMÍDIA E WEB, 17., 2011, Florianópolis. Anais Eletrônicos [...]. Florianópolis: UFSC, 2011. p. 109-112.

TENNANT, Jonathan; ROSS-HELLAUER, Tony. The limitations to our understanding of peer review. Research and Integrity Peer Review, [s. l.], n. 5, art. 6, abr. 2020. Disponível em: https://researchintegrityjournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s41073-020-00092-1/. Acesso em: 5 abr. 2021.

WERLANG, Elisabete. Revisão por pares: um estudo da gestão de avaliadores nas revistas científicas brasileiras. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) − Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107272. Acesso em: 10 set. 2019.

Publicado

2021-10-08

Como Citar

PEDRI, Patricia; ARAÚJO, Ronaldo Ferreira. Vantagens e desvantagens da revisão por pares aberta: consensos e dissensos na literatura . Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 26, n. Especial, p. 1–18, 2021. DOI: 10.5007/1518-2924.2021.78583. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/78583. Acesso em: 28 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)