Classificação facetada: proposta de categorias fundamentais para organizar teses e dissertações em uma biblioteca digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e79427

Palavras-chave:

classificação facetada, organização do conhecimento, recuperação da informação, meteorologia, fórmula PMEST

Resumo

Objetivo: Este trabalho apresenta uma proposta de categorias fundamentais, com base nos trabalhos de Ranganathan e do Classification Research Group, a serem utilizadas para a construção de uma interface de navegação facetada para uma biblioteca digital de teses e dissertações.

Método: Foi realizada uma pesquisa de natureza aplicada, de abordagem qualitativa e do tipo exploratória, que emprega como métodos a revisão de literatura, a pesquisa documental e uma análise de domínio combinando as abordagens estudo bibliométrico e estudo terminológico.

Resultado: Com base na análise de domínio realizada, bem como no referencial teórico consultado, foram criadas as seguintes categorias fundamentais: Thing, Kind, Process, Operation, Product, By-product, Space e Time.

Conclusões: As categorias fundamentais propostas neste trabalho podem contribuir significativamente para a construção de um mecanismo de busca facetada para a recuperação de teses e dissertações em uma biblioteca digital. Espera-se, com isso, eliminar as dificuldades atualmente encontradas pelos usuários ao utilizarem um campo de busca textual.

Biografia do Autor

Clayton Martins Pereira, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Doutorando em Ciência da Informação, área Informação, Tecnologia e Conhecimento, na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), onde é membro do Grupo de Pesquisa NEWSDA - Núcleo de Estudos em Web Semântica e Análise de Dados. Mestre em Engenharia Eletrônica e Computação, área Informática, pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Especialização em Gerência de Projetos de Tecnologia da Informação pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Exerce o cargo de Analista em C&T (área TI) na Coordenação de Ensino, Pesquisa e Extensão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), unidade de pesquisas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), onde atua nas áreas de Gestão da Informação e Gestão da Produção Científica. Atualmente é Administrador da plataforma de Biblioteca Digital e Membro do Comitê Assessor de Tecnologia da Informação do INPE.

Walter Moreira, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Possui graduação em Biblioteconomia pelas Faculdades Integradas Teresa DÁvila (1990), mestrado em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1998), doutorado em Ciência da Informação pela Universidade de São Paulo (2010), livre-docência em Sistemas de Organização do Conhecimento pela Universidade Estadual Paulista (2018). Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista, em Marília-SP, com atuação nos cursos de graduação em Arquivologia, em Biblioteconomia e no Programa de pós-graduação em Ciência da Informação. Desenvolve pesquisas sobre sistemas de organização do conhecimento, linguagens documentárias, terminologia, ontologias e teoria da classificação.

Eduardo Santarem, Universidade de São Paulo (USP)

Livre Docente em Informação e Tecnologia pela Universidade de São Paulo (USP), 2020. Pós-Doutorado pela Faculdade de Engenharia da Computação da Western University/Canadá, 2018. Doutor e Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP-Marília/SP; Professor Doutor no Departamento de Educação, Informação e Comunicação, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP); Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília na linha de Informação e Tecnologia. Bolsista de Produtividade em Pesquisa PQ-2 do CNPq. Coordenador do GT8 - Informação e Tecnologia, da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB). Atua na linha de pesquisa - Ambientes Digitais e Tecnologias Aplicadas a Informação e Comunicação - , com ênfase em Web Semântica, Linked Data, Big Data, Aprendizado de Maquina (Machine Learning), Dados Abertos e Acervos Digitais. Lider do NEWSDA - Núcleo de Estudos em Web Semantica e Dados Abertos. Recebeu o Prêmio de Melhor Tese pela Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB) - Ano 2011. Recebeu também Menção Honrosa no Prêmio Capes de Teses - 2011 (Ciências Sociais Aplicadas)

Referências

BEGHTOL, C. Domain analysis, literary warrant, and consensus: The case of fiction studies. Journal of the American Society for Information Science, New York, v. 46, n. 1, p. 30–44, 1995.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Portaria n. 13, de 15 de fevereiro de 2006. Institui a divulgação digital das teses e dissertações produzidas pelos programas de doutorado e mestrado reconhecidos. CAD: Catálogo de Normas e Atos Administrativos. Disponível em: http://cad.capes.gov.br/ato-administrativo-detalhar?idAtoAdmElastic=822#anchor. Acesso em 16 dez. 2019.

BROUGHTON, V. The need for a faceted classification as the basis of all methods of information retrieval. Aslib Proceedings: New Information Perspectives, Bingley, v. 58, n. 1/2, p. 49-72, 2006.

BROUGHTON, V. Henry Evelyn Bliss – the other immortal, or a prophet without honour? Journal of Librarianship and Information Science, London, v. 40, n. 1, p. 45-58, 2008. DOI: 10.1177/0961000607086620.

CAMPOS, M. L. A.; GOMES, H. E. Organização de domínio de conhecimento e os princípios ranganathianos. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, 2003.

FERREIRA, A. C.; MACULAN, B. C. M. S.; NAVES, M. M. L. Ranganathan and the faceted classification theory. Transinformação, Campinas, v. 29, n. 3, p. 279-295, 2017.

HJØRLAND, B. Domain analysis in information science: eleven approaches traditional as well as innovative. Journal of Documentation, London, v. 58, n. 4, p. 422-462, 2002.

HJØRLAND, B. Domain Analysis: A Socio-Cognitive Orientation for Information Science Research. Bulletin of the American Society for Information Science and Technology, Silver Spring, v. 30, n. 3, p. 17–21, 2004.

HJØRLAND, B. Facet analysis: the logical approach to knowledge organization. Information Processing and Management, Elmsford, v. 49, n. 2, p. 545–557, 2013.

KWASNIK, B. H. The role of classification in knowledge representation and discovery. Library Trends, Champaign, v. 48, n. 1, p. 22-47, 1999.

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. Brasília: Briquet de Lemos, 1993.

LIMA, G. A. B. O. O modelo simplificado para análise facetada de Spiteri a partir de Ranganathan e do Classification Research Group (CRG). Información, Cultura y Sociedad, Buenos Aires, n. 11, p. 57-72, 2004.

MACULAN, B. C. M. S. Taxonomia facetada navegacional: construção a partir de uma matriz categorial para trabalhos acadêmicos. 2011. 191 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

MILLS, J. Faceted Classification and Logical Division in Information Retrieval. Library Trends, Champaign, v. 52, n. 3, p. 541-570, 2004.

TENNIS, J. T. Two axes of domains for domains analysis. Knowledge Organization, Wurzburg, v. 30, n. 3/4, p. 191-195, 2003.

Downloads

Publicado

2021-04-27

Como Citar

Pereira, C. M. ., Moreira, W., & Segundo, J. E. S. . (2021). Classificação facetada: proposta de categorias fundamentais para organizar teses e dissertações em uma biblioteca digital. Encontros Bibli: Revista eletrônica De Biblioteconomia E Ciência Da informação, 26, 1-21. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e79427