Competência leitora na cultura digital e a biblioteca escolar: a contribuição do letramento informacional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2022.e79956

Palavras-chave:

Biblioteca escolar, Leitura, Cultura digital, Letramento informacional, Competência leitora

Resumo

Objetivo: O artigo pretende discutir sobre a contribuição da biblioteca escolar no contexto da leitura atual.  A transição da leitura do formato impresso para o digital tem provocado discussões entre pesquisadores da área sobre a influência da cultura digital no cérebro humano, visto que a leitura em tela e o uso dos recursos digitais fragmentam o conteúdo e a atenção dos leitores.  Método: Por meio da análise de vídeos do youtube realizados por bibliotecas e bibliotecários no Brasil, durante parte do período de pandemia do coronavírus SARS-CoV-2, os dados mostram que as bibliotecas escolares do Brasil, tradicionalmente, estimularam a leitura e continuam a fazê-la na sociedade contemporânea, mas além disso, preocupam-se também com a formação científica dos estudantes e o desenvolvimento de competências relacionadas à busca, à seleção, ao uso e à comunicação das informações. Resultado: A formação de leitores de 0 a 10 anos, proposta por Wolf (2019), foi comparada com os conteúdos de letramento informacional, transpostos por Gasque (2012), para a educação básica, considerando os parâmetros curriculares vigentes na época. Conclusões: O resultado mostra compatibilidade entre ambos (digital e impresso). A leitura profunda[1] em diferentes gêneros e formatos é considerada uma das competências a ser desenvolvida nesse processo. Nesse sentido, conclui-se que a coexistência entre o mundo digital e físico é essencial para que se possa contribuir para a formação intelectual e leitora dos estudantes.      

Biografia do Autor

Kelley Cristine Gonçalves Dias Gasque, Universidade de Brasília

Professora Associada da Faculdade de informação da Universidade de Brasilia

Andrea Pereira Santos, Universidade Federal de Goiás

Professora Adjunta do Curso de Biblioteconomia e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFG

Referências

AMERICAN ASSOCIATION of SCHOOL LIBRARIANS; ASSOCIATION for EDUCATIONAL COMMUNICATIONS AND TECHNOLOGY. Information Literacy Standards for Student Learning. Chicago: American Library Association, 1998. Disponível em: http://www.ala.org/ala/aasl/aaslproftools/informationpower/InformationLiteracyStandards_final.pdf. Acesso em: 5 maio 2007.

ABREU, Márcia. Diferença e desigualdade: preconceitos em leitura. In: MARINHO, Marildes (org.) Ler e navegar: espaços e percursos da leitura. Campinas: Mercado das Letras, 2001. p. 139-157.

BARON, Naomi S. Words onscreen: the fate of reading in a digital world. New York, NY: Oxford University Press, 2015.

BRAGANÇA, Aníbal. As políticas públicas para o livro e a leitura no Brasil: o Instituto Nacional do Livro (1937-1967). Matrizes, v. 02, n. 02, p. 221-246, Jan/jul. 2009

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. LEI Nº 12.244 de 24 de Maio de 2010. Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12244.htm. Acesso em: jan. 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Proposta amplia o conceito de biblioteca escolar e prorroga prazo para escolas públicas constituírem acervo. Brasília DF: Câmara dos Deputados, 2018. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2167716. Acesso em: jan. 2020.

BARTOLOMÉ, Antonio et al. Educação na cultura digital: novas ambiências de aprendizagem e implicações para a formação de professores. Perspectiva: Revista do Centro de Ciências da Educação, v. 39, n.3, p.01-22, Florianópolis jul/set. 2021

CAMPELLO, Bernadete. Biblioteca escolar: conhecimentos que sustentam a prática. Belo Horizonte: Autêntica, 2012. 143 p. (Biblioteca escolar). Inclui bibliografia. ISBN 9788575265932 (Broch.).

CARR. Nicholas. A geração superficial: o que a internet está fazendo com os nossos cérebros. Rio de Janeiro: Agir, 2011.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Unesp, 1999.

CHARTIER, Roger. Os desafios da escrita. São Paulo: UNESP, c2002. 144 p

CHARTIER, Roger; ROSA, Ernani. Cultura escrita, literatura e história: conversas de Roger Chartier com Carlos Aguirre Anaya, JesúsAnayaRosique, Daniel Goldin e AntonioSaborit. Porto Alegre: ARTMED, 2001, 189 p.

CORDEIRO, Alexander Magno et al. Revisãosistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Rio de Janeiro, v. 34, n. 6, p. 428-431, nov./dez. 2007.

COSENZA, RAMON M.; GUERRA, Leonor B. Neurociência e Educação: como o cérebro aprender. Porto Alegre: ARTMED, 2011.

DEHAENE, Stanislas. Os neurônios da leitura: como a ciência explica a nossa. Capacidade de Ler. Porto Alegre: Penso, 2018.

ECO, Umberto; CARRIÈRE, Jean-Claude. Não contem com o fim do livro. Rio de Janeiro: Record, 2010.

FARIAS, M. A. DE F.; SANTOS JÚNIOR, G. P.; MORAES, H. L. B.; NASCIMENTO, S. M. DO. De ensino presencial para o remoto emergencial: adaptações, desafios e impactos na pós-graduação. Interfaces Científicas - Educação, v. 10, n. 1, p. 180-193, 6 set. 2020.

FIALHO, Janaina. Experiência com estudantes do ensino médio através da pesquisa escolar orientada. Perspectivas em Ciência da Informação, [S.l.], v. 18, n. 1, p. 15-25, mar. 2013. ISSN 19815344. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1619/1112. Acesso em: 17 fev. 2022.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Letramento informacional: pesquisa, reflexão e aprendizagem. Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação, 2012.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Centro de recursos de aprendizagem: biblioteca escolar para o século XXI. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 11, n. 1, p. 183-153, jan./abr. 2013.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias.; SILVESTRE, Flor de Maria. Competência leitora nas bibliotecas escolares. Em Questão, Rio Grande do Sul, v. 23, p. 79-105, 2017.

JONES-JANG, SM, MORTENSEN, T., LIU, J. A alfabetização midiática ajuda na identificação de notícias falsas? A alfabetização informacional ajuda, mas outras alfabetizações não. American Behavioral Scientist, v. 65, n.2, p. 371–388, 2021. https://doi.org/10.1177/0002764219869406

KANDEL, Eric. Em busca da memória: o nascimento de uma nova ciência da mente. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

LANZI, Lucirene Andréa Catini; VIDOTTI, Silvana A. B. Gregório; FERNEDA, Edberto. A biblioteca escolar e a geração nativos digitais: construindo novas relações. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

LYONS, Martyn. Livro: uma história viva. São Paulo: Senac, 2011.

MANDEL, Ladislas. Escritas: espelho dos homens e das sociedades. São Paulo: edições Rosari, 2006.

MANGUEL, Alberto. Uma história da leitura. São Paulo: Companhia das letras, 1997.

MARTIN, CRYSTLE; STEINKUEHLER, CONSTANCE. INFORMATION LITERACY AND ONLINE READING COMPREHENSION: TWO INTERCONNECTED PRACTICES. GLS'11: PROCEEDINGS OF THE 7TH INTERNATIONAL CONFERENCE ON GAMES. SOCIETY CONFERENCE, JUNHO 2011, P. 169–173.

NUNES, Maristela Aparecida; LIRA, Aliandra Cristina Mesomo; GEHRKE, Marcos. A biblioteca escolar e as crianças: novos conceitos, velhos desafios. Acta Scientiarum. Education, v.43, p.1-10, 2021

RODRIGUES, Keila da Silva Santos; JUSSANI; Ailton Conde. Competência leitora e políticas públicas: possibilidades. Revista Internacional de Debates da Administração Pública, São Paulo, SP, v.3, n.1, p.18-32, Jan–Dez, 2018.

PAE, Hye K. Script effects as the hidden drive of the mind, cognition, and culture. Springer, Cham, 2020.

PAL, Tapas; ALAM, Ashfaque. Emerging Trends in School Library Products and Services: A Paradigm Shifting in 21st Century. Intellectual Quest, v.13, 2020.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. Leitura na escola e na biblioteca. 12. ed, Campinas, SP: Leitura crítica, 2013.

SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002.

SPISAK, J. R. School Librarian Perceptions of the Importance of Information Literacy. School Libraries Worldwide, [S. l.], v. 26, n. 1, 2021. Disponível em: https://journals.library.ualberta.ca/slw/index.php/slw/article/view/8253. Acesso em: 18 feb. 2022.

UJVARI, Stefan Cunha. História das epidemias. São Paulo: Contexto, 2020.

VALIO, Else B. Biblioteca escolar: uma visão histórica. Transinformação, v. 2, n.1, p.15-24, 1990.

WOLF, Maryanne. O cérebro no mundo digital: Os desafios da leitura na nossa era. São Paulo: Contexto, 2019.

Downloads

Publicado

2022-05-27

Como Citar

GASQUE, . C. G. D.; SANTOS, . P. Competência leitora na cultura digital e a biblioteca escolar: a contribuição do letramento informacional. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 27, n. 1, p. 1–22, 2022. DOI: 10.5007/1518-2924.2022.e79956. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/79956. Acesso em: 9 dez. 2022.