Narrativas de homens trans: uma análise discursiva no Facebook

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e84517

Palavras-chave:

Homens trans, Mídias sociais, Facebook, Análise do discurso

Resumo

Objetivo: a presente pesquisa analisa o uso de uma mídia social como ferramenta de ativismo para um grupo politicamente situado na margem do cenário político atual do Brasil. O trabalho objetiva revelar como as narrativas de homens trans vêm sendo construídas em postagens do grupo do Facebook Homens trans e simpatizantes”.

Método: utiliza o método Análise do Discurso, com abordagem qualitativa.

Resultado: identificou-se que as narrativas perpassaram por questões de família, saúde e preconceito. O contexto das narrativas de homens trans continuou o mesmo em relação a estudos anteriores, quando não, piorou em questão de positividade das mensagens, o que influi, diretamente, no modo como esses sujeitos são compreendidos e atuam em sociedade.

Conclusões: conclui-se ressaltando a importância do grupo analisado para o caso dos homens trans e o potencial das mídias sociais no processo de ativismo, como forma de sociabilidade em ambientes informacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Fernandes Brito, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Doutor em Ciência da Informação - Área de concentração: Informação, Tecnologia e Conhecimento pela Universidade Estadual Paulista (Unesp 2019- ). Mestre em Ciência da Informação - Área de concentração: Gestão da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC 2017-2019). Bacharel em Biblioteconomia pela Unesp (2015). Aperfeiçoamento em Língua Portuguesa pela WR Educacional (2016). É Membro dos Grupos de Pesquisas Novas Tecnologias em Informação (GPNTI- Unesp) sendo bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Desenvolvimento Pessoal (CAPES) da linha de pesquisa Produção e organização da Informação e do grupo de pesquisa Informação, Tecnologia e Inovação (ITI RG) vinculado a UFSC. Além disso é membro do grupo de pesquisa Diplomática e Arquivística (UFF/Unesp). No âmbito da Atuação Profissional: Atuou durante 04 anos como Professor na Universidade Aberta a Terceira Idade (UNATI) promovido pela Unesp de Marília . Foi Professor, Bibliotecário e Documentalista do Centro de Ensino Superior de Primavera (CESPRI) (2016 ) e Professor de Literatura em Língua Portuguesa na Associação Cultural e Educativa de Primavera (ACEP)- Sistema Positivo.(2016). Atualmente é Professor Bolsista nas disciplinas de Metodologia Cientifica e Métodos Qualitativos aplicados à Ciência da Informação para os cursos de Arquivologia e Biblioteconomia.

Daniel Martínez-Ávila, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Professor Assistente Doutor da Universidad Complutense de Madrid desde setembro de 2021 e Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da Universidade Estadual Paulista (UNESP). Possui graduação em Biblioteconomía y Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2005), Licenciado en Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2007), Mestrado em Investigación en Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2009), e Doutorado internacional pelo Programa Oficial de Doctorado en Documentación pela Universidad Carlos III de Madrid (2012). Foi Pesquisador e Instrutor Adjunto na University of Wisconsin-Milwaukee até setembro de 2014 e Professor Assistente Doutor da Universidad Carlos III de Madrid até agosto de 2013 e desde setembro de 2019 até agosto de 2021. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Organização da Informação. Membro do International Society for Knowledge Organization (ISKO) Scientific Advisory Board.

Rafaela Carolina Silva, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Doutoranda e Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Unesp Marília, na Linha de Pesquisa Gestão, Mediação e Uso da Informação. Bolsista FAPESP. Foi bolsista CAPES. Membro do Grupo de Pesquisa Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional (ICIO). Membro do Grupo de Pesquisa Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional (ICIO). Membro do Centro Referencial de Propriedade Intelectual e Inovação em Ciência da Informação (CERPII). Fez estágio de pesquisa no exterior na Robert Gordon University, Escócia, Reino Unido (Setembro a Dezembro de 2016). Especialista em Psicopedagogia Institucional pela FUNDEPE, Marília/SP. Graduada em Biblioteconomia, onde também foi bolsista FAPESP. Atualmente dedica-se à pesquisa científica, trabalhando principalmente na interdisciplinaridade dos temas: Bibliotecas híbridas; Conceito de hibridez em bibliotecas; Desenvolvimento social; Gestão da informação; e Desenvolvimento de comunidades.

Referências

ADLER, M. D.; CAMPBELL, D. G.; PATRICK K. Resistance and possibility: rethinking the concept of subject access from Queer theoretical perspectives. Proceedings of the American Society for Information Science and Technology, v. 51, n. 1, p.1-3, 2014. DOI: https://doi.org/10.1002/meet.2014.14505101014. Acesso em: 17 out. 2022.

ALMEIDA, G. Homens trans: novos matizes na aquarela da masculinidade? Estudos Feministas, v. 20, n. 12, p. 513-523, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2012000200012&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 13 nov. 2019.

ARÁN, M. A. Transexualidade e a gramática normativa do sistema sexo-gênero. Ágora, v. 9, n.1, p. 49-63, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-14982006000100004&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 19 dez. 2019.

ARRUDA, A. M. A.; ARAÚJO, R. F. Travestis e pessoas transexuais na mídia alagoana: análise do discurso em portais online. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 17, p. 1-20, 2021. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/165919. Acesso em: 17 out. 2022.

ÁVILA, S. N. FTM, transhomem, homens trans, trans, homem: a emergência de transmasculinidades no Brasil contemporâneo. 2014. 243 p. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Disponível em: https://www.academia.edu/28328771/FTM_transhomem_homem_trans_trans_homem_A_emerg%C3%AAncia_de_transmasculinidades_no_Brasil_contempor%C3%A2neo. Acesso em: 24 nov. 2022.

BRANDÃO, H, H. N. Introdução à Análise do Discurso. 2. ed. Campinas: Unicamp, 2004.

BRITO, J. F. Arquitetura da Informação em websites de turismo LGBTQ. 2018. 202 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019.

BRITO, J. F.; MARTÍNEZ-ÁVILA, D. Vivências cotidianas de homens trans no Facebook: quais narrativas?. In: ROMEIRO, N. L.; MARTINS, C. W.; SANTOS, B. A. dos (ed.). Do invisível ao visível: saberes e fazeres das questões LGBTQIA+ na Ciência da Informação. Florianópolis: Rocha Gráfica e Editora, 2019. p. 501-517.

BROWNE, K.; NASH, C. J. Queer methods and methodologies: intersecting Queer theories and Social Science research. Farnham: Ashgate, 2010.

BOITA, T.; BAPTISTA, J. T.; HABIB, I.; SABARÁ, D. Museologia Comunitária LGBT+: Museu Transgênero de História da Arte e Ponto de Memória Aquenda as Indacas no ensino de Museologia. Museologia & Interdisciplinaridade, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 18–28, 2022. DOI: 10.26512/museologia.v11i21.41417. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/41417. Acesso em: 30 nov. 2022.

BUDD, J. Discourse analysis and the study of communication in LIS. Library Trends, v. 55, n. 1, p. 65-82, 2006.

CAMARGO, L. S. de A. de; VIDOTTI, S. A. B. G. Arquitetura da Informação: uma abordagem prática para o tratamento de conteúdo e interface em ambientes informacionais digitais. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

CAMPBELL, D. G. A Queer eye for th faceted guy: how a universal classification principle can be applied to a distinct subculture. Advances in Knowledge Organization, v. 9, p.109-113, 2004.

CAMPBELL, D. G. Queer Theory and the creation of contextual subject access tools for gay and lesbian communities. Knowledge Organization, v. 27, n. 3, p. 122-131, 2000.

CAMPBELL, D. G. RDA and RDF: a discourse analysis of two standards of resource description. NASKO, v. 3, p. 207-216, 2011. DOI: https://doi.org/10.7152/nasko.v3i1.12804. Acesso em: 17 out. 2022.

CAMPBELL, D. G. The birth of the new web: a Foucauldian reading of the semantic web. Cataloging & Classification Quarterly, v. 43, n. 3-4, p. 9-20, 2007. DOI: 10.1300/J104v43n03_01. Acesso em: 17 out. 2022.

CASTELLS, M. Sociedade em rede. 17. ed. São Paulo: Paz & Terra, 2016.

CATARINO, M. E.; BAPTISTA, A. A. Folksonomias: características das etiquetas na descrição de recursos da Web. Informação & Informação, v. 14, n. 1, p. 46-67, 2009.

CONNELL, R. W. Políticas da Masculinidade. Educação e Realidade, v. 20, n. 2, p. 185-206, 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71725/40671. Acesso em: 24 nov. 2022.

DANTAS, M. L. G.; NETO, A. de F. P. O discurso homofóbico nas redes sociais da internet: uma análise no facebook “Rio sem Homofobia-Grupo Público”. Cadernos do Tempo Presente, v. 19, p. 27-41, 2015. Disponível em: http://www6.ensp.fiocruz.br/repositorio/sites/default/files/arquivos/DiscursoHomofobico.pdf. Acesso em: 16 jan. 2020.

DIRKS, D. A. Transgender people at four big ten campuses: a policy discourse analysis. Review of Higher Education, v. 39, n. 3, p. 371-393, 2016. DOI: 10.1353/rhe.2016.0020. Acesso em: 17 out. 2022.

EVANGELISTA, I. V.; BARROS, T. H. B. Uma análise do discurso sobre a temática acesso aberto nos anais do edicic ibérico no período de 2013 a 2017. Biblios, n. 78, p. 17-34, 2020. DOI: 10.5195/biblios.2020.800. Acesso em: 17 out. 2022.

EVANGELISTA, I. V.; BARROS, T. H. B.; MORAES, J. B. E. Uma análise do discurso da dimensão cultural da ISKO. Informação & Sociedade, v. 28, n. 2, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.1809-4783.2018v28n2.38123. Acesso em: 17 out. 2022.

FACEBOOK. Sobre. 2019. Disponível em: https://pt-br.facebook.com/pg/FacebookBrasil/about/. Acesso em: 20 fev. 2020.

FACCHINI, R. Sopa de letrinhas?: movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90: um estudo a partir da cidade de São Paulo. 2002. 241 p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000249896. Acesso em: 27 mar. 2022.

FAIRCLOUGH, N. Analysing discourse: textual analysis for social research. Londres: Routledge, 2003.

FOUCAULT, M. A história da sexualidade: a vontade de saber. 22. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2012.

FOUCAULT, M. L’archéologie du savoir. Paris: Gallimard, 1969.

FOUCAULT, M. Sobre a arqueologia das ciências: resposta ao círculo epistemológico. In: LIMA, L. da C. (ed.). Estruturalismo e teoria da linguagem. Petrópolis: Vozes, 1971. p. 19-55.

FOUCAULT, M. Estratégia, poder, saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

FRANÇA, M. N.; CARVALHO, A. M. G. de. Monitoramento de mídias sociais em bibliotecas universitárias públicas federais. Informação & Tecnologia, v. 4, n. 2, p. 260-283, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/itec/article/view/40199/21049. Acesso em: 15 mar. 2020.

GARCIA, V. C.; REDIGOLO, F. M.; BARROS, T. H. B.; MORAES, J. B. E. Política de indexação e seus sentidos: um estudo a partir da análise do discurso. Informação & Informação, v. 24, n. 1, p. 169-189, 2019. DOI: 10.5433/1981-8920.2019v24n1p169. Acesso em: 17 out. 2022.

GREENBLATT, E. The treatment of LGBTIQ concepts in the Library of Congress Subject Headings. In: GREENBLATT, E. Serving LGBTIQ library and archives users: essays on outreach, service, collections and access. Jefferson: McFarland, 2011. p. 212-228.

HABIB, I. G. Corpos transformacionais: os estados corporais e as políticas dos corpos transgêneros na cena contemporânea. In: ENCONTRO CIENTÍFICO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA, 6., 2019., Salvador. Anais... Salvador: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Artes Cênicas., 2019. p. 1072-1086. Disponível em: https://proceedings.science/anda/anda-2019/papers/corpos-transformacionais--os-estados-corporais-e-as-politicas-dos-corpos-transgeneros-na-cena-contemporanea. Acesso em: 03 dez. 2020.

HALLIWELL, S. D.; DU PLESSIS, C.; HICKEY, A.; GILDERSLEEVE, J.; MULLENS, A. B.; SANDERS, T.; CLARK, K. A.; HUGHTO, J. M. W.; DEBATTISTA, J.; PHILLIPS, T. M.; DAKEN, K.; BROMDAL, A. A Critical Discourse Analysis of an Australian incarcerated trans woman's letters of complaint and self-advocacy. ETHOS, v. 50, n. 2., p. 208- 232, 2022. DOI 10.1111/etho.12343. Acesso em: 17 out. 2022.

HART, C. Critical discourse analysis and metaphor: toward a theoretical framework. Critical Discourse Studies, v. 5, n. 2, p. 91-106, 2008. DOI: 10.1080/17405900801990058. Acesso em: 17 out. 2022.

JACOBSEN, K.; DEVOR, A.; HODGE, E. Who counts as trans? A Critical Discourse Analysis of trans tumblr posts. Journal of Communication Inquiry, v. 46, n.1, p. 60–81, 2022. DOI: https://doi.org/10.1177/01968599211040835. Acesso em: 17 out. 2022.

LADEIA, M.; CASTRO, T. A Museologia LGBT existe? reconstruindo os passos do movimento LGBT+ junto à museologia brasileira. Museologia & Interdisciplinaridade, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 231–248, 2022. DOI: 10.26512/museologia.v11i21.41439. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/41439. Acesso em: 22 out. 2022.

LAZARTE, L. Ecologia cognitiva na sociedade da informação. Ciência da Informação, v. 29, n. 2, p. 43-51, 2000. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/886. Acesso em: 15 out. 2019.

LIMA, L. de M.; MORAES; J. B. E. de; MARTÍNEZ-ÁVILA, D. A genealogia do conceito de Ciência da Informação no Brasil: uma análise discursiva a partir de periódicos fundacionais na área. In: GUIMARÃES, J. A. C.; DODEBEI, V. Organização do Conhecimento e diversidade cultural. Marília: ISKO-Brasil; FUNDEPE, 2015. p. 210-218.

MARTÍNEZ-ÁVILA, D. Problems and characteristics of Foucauldian Discourse Analysis as a research method. In: SMIRAGLIA, R. P.; LEE, Hur-Li. Cultural Frames of Knowledge. Würzburg: Ergon, 2012. p. 99-110.

MARTÍNEZ-ÁVILA, D.; FOX, M. J. The construction of ontology: a discourse analysis. In: Smiraglia, R. P.; HUR-LI, L. Ontology for Knowledge Organization. Würzburg: Ergon, 2015. p. 13-37.

MARTÍNEZ-ÁVILA, D.; SMIRAGLIA, R. P.; LEE, Hur-Li; FOX, M. What is an author now? Discourse Analysis applied to the idea of an author. Journal of Documentation, v. 71, n. 5, p. 1094-1114, 2015. DOI: https://doi.org/10.1108/JD-05-2014-0068. Acesso em: 17 out. 2022.

MUSOLFF, A. The study of metaphor as part of critical discourse analysis. Critical Discourse Studies, v. 9, n. 3, p. 301-310, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/17405904.2012.688300. Acesso em: 17 out. 2022.

NERY, J. W.; COELHO, M. T. A. D.; SAMPAIO, L. L. P. João W. Nery - a trajetória de uma trans homen no Brasil: do escritor ao ativista. Periódicus, v. 1, n. 4, p. 169-178, nov. 215 – abr. 2016. DOI: https://doi.org/10.9771/peri.v1i4.15430. Acesso em: 24 nov. 2022.

NUNAN, A. Homossexualidade: do preconceito aos padrões de consumo. Rio de Janeiro: Caravansarai, 2003.

PEREIRA, P. L. N.; GAUDENZI, P.; BONAN, C. Masculinidades trans em debate: uma revisão de literatura sobre masculinidades trans no Brasil. Saúde e Sociedade, v. 30, n. 3, p. 1-15, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sausoc/a/MxvJdzwBN5bjMYXH6jndRpF/. Acesso em: 24 nov. 2022.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. Porto Alegre, Brasil: Sulina, 2009. Disponível em: http://www.pontomidia.com.br/raquel/arquivos/redessociaisnainternetrecuero.pdf. Acesso em: 01 fev. 2020.

RIBEIRO, S. de S.; GOMES, M. C. A. Práticas sociodiscursivas de resistência motivadas pela iterabilidade de violências: análise discursivo-crítica dos relatos de homens trans estudantes. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 59, n. 3, p. 1784-1808, 2020. DOI: 10.1590/01031813814331620201005. Acesso em: 17 out. 2022.

RIGHETO, G. Competência da Informação de pessoas trans da cidade de Florianópolis. 2018. 353 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

ROHDEN, F. O corpo fazendo a diferença. Mana, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 127-141, 1998. DOI: 10.1590/S0104-93131998000200007. Acesso em: 24 nov. 2022.

ROMEIRO, N. L. Vamos fazer um escândalo: a trajetória da desnaturalização da violência contra a mulher e a folksonomia como ativismo em oposição a violência sexual no Brasil. 2019. 168 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

SCOTT, J. W. “Experiência”. Falas de Gênero, n. 13, p. 42-73, 2001.

SHOOK, A. G.; TORDOFF, D. M.; CLARK, A.; HARDWICK, R.; ST. PIERRE NELSON, W.; KANTROWITZ-GORDON, I. Trans youth talk back: a Foucauldian Discourse Analysis of transgender minors' accounts of healthcare access. Qualitative Health Research, v. 32, n. 11, p. 1672-1689, 2022. DOI: 10.1177/10497323221114801. Acesso em: 17 out. 2022.

SILVA, F. C. C. da; BLATTMANN, U. A colaboração e a interação na web 2.0. Revista ACB, v. 12, n. 2, p. 191-215, 2007. Disponível em: http://www.aulasemparedes.com.br/wp-content/uploads/2014/09/Colaboracao-e-interacao-na-web-2_0.pdf. Acesso em: 10 fev. 2020.

SILVA, J. B.; SIMIÃO, J. H.; SILVA, M. R. Entre o mercado religioso e a fé inclusiva: igrejas LGBT como nicho de mercado. In: CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE COMUNICAÇÃO ECLESIAL, 2017, Marília. Anais… Campinas: Universidade Metodista de São Paulo; PUC: Campinas, 2017. p. 1-16. Disponível em: https://portal.metodista.br/eclesiocom/2017/arquivos/JefersonBatistadaSILVA_JhonatasHenriqueSIMIO_MarianaRodriguesdaSILVA.pdf. Acesso em: 11 dez. 2019.

SILVA, R. C. da; LIMA, L. de M.; SUENAGA, C. M. K.; MARTÍNEZ-ÁVILA, D.; MORAES, J. B. E. de. Bibliotecas híbridas: uma análise discursiva da Biblioteca Central de Liverpool. Ibersid: Revista de Sistemas de Información y Documentación, v. 11, n.1, p. 75-82, 2017. DOI: https://doi.org/10.54886/ibersid.v11i1.4330. Acesso em: 17 out. 2022.

TEDESCO, C. de S. “Nós somos complexos”: historiografia Queer na contemporaneidade – uma análise da operação historiográfica no National Museum: LGBT History and Culture. 2018. 85 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licensiatura em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/218454/001123195.pdf?sequence=1. Acesso em: 24 nov. 2022.

TERRA, M. V. S. C.; SABBAG, D. M. A. Ciência da Informação e Organização do Conhecimento no Brasil à luz da reflexão epistemológica francesa de análise do discurso. InCID, v. 12, n. 2, p. 52-69, 2021. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v12i2p52-69. Acesso em: 17 out. 2022.

UCHÔA, L. F. P. Transmasculinidade e os desafios cotidianos. Revista Educação, v. 12, n. 1, 2017. Disponível em: http://revistas.ung.br/index.php/educacao/article/viewFile/2884/2131. Acesso em: 24 nov. 2022.

VIEIRA JUNIOR, L. A. (2018). “Quantas curtidas merece essa trans?”: a recepção da transexualidade nas mídias digitais. 2018. 280 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual Paulista, Marília, 2018.

WEST, A.; WADA, K.; STRONG, T. Authenticating and legitimizing transgender and gender non-conforming identities online: a discourse analysis. Journal of LGBTQ Issues in Counseling, v. 15, n. 2, p. 195-223, 2021. DOI: 10.1080/15538605.2021.1914275. Acesso em: 17 out. 2022.

ZITZ, C.; BURNS, J.; TACCONELLI, E. Trans men and friendships: a Foucauldian discourse analysis. Feminism & Psychology, v. 24, n. 2, p. 216-237, 2014. DOI: 10.1177/0959353514526224. Acesso em: 17 out. 2022.

Publicado

2023-02-08

Como Citar

BRITO, Jean Fernandes; MARTÍNEZ-ÁVILA, Daniel; SILVA, Rafaela Carolina. Narrativas de homens trans: uma análise discursiva no Facebook. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, p. 1–26, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e84517. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/84517. Acesso em: 23 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)