Charge, documento visual ácido: uma análise crítica do discurso das falas do presidente Jair Bolsonaro e a Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.89477

Palavras-chave:

Neodocumentação, Charges, Discurso, Informação visual, Covid-19-Brasil

Resumo

Objetivo: Discute a charge como documento sob a perspectiva neodocumentalista que examina os efeitos sociais, econômicos e políticos na realidade brasileira, sobretudo, nas falas do Presidente Jair Bolsonaro e a Covid-19.

Método: De natureza qualitativa, a investigação alia a pesquisa documental e bibliográfica, sob a perspectiva da Análise Crítica do Discurso (ACD) em que se analisou as charges nos jornais a Gazeta, O Liberal e Diário Catarinense e também sites como o Dom Total, Blog do Brito dos chargistas Carlos Britto, Jota Bosco, Amarildo, Duke e Zé Dassilva.

Resultado: A charge foi analisada como um elemento catalisador de informação que trabalha com a concepção de compartilhamento de informações visuais e imagéticas, como formas interdisciplinares que podem ser analisadas a partir dos sentidos que lhes são atribuídos, portanto, uma importante fonte de informação social para ser pensada na CI. Na literatura sobre CI, a charge ainda é considerada como um documento material e reduzida ao tratamento técnico da informação, que contribui sobremaneira para o campo da CI.  

Conclusões: Em suma, nossa análise concluiu que a charge é também um neodocumento uma evidência documental que representa a informação e que precisa ser tratada e armazenada para futuras pesquisas, como um tipo de informação simbólica, que suscita diálogos críticos sobre o tempo e a memória. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Oliveira, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Doutoranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (PPGCI-UNESP). Mestra em Ciências da Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura. Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Pará

Jetur Castro, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Doutorando em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (PPGCI-UNESP). Mestre em Ciências da Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará (PPGCOM/UFPA). Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Pará

Luiz Cezar Silva dos Santos, Federal University of Para

Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia - PPGCom/ILC/UFPA. Pós-Doutor em Comunicação e Consumo pelo PPGCOM/ECA/USP. Doutor em História pela PUC/SP. Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. Graduado em Comunicação Social - habilitação em Publicidade e Propaganda - pela Universidade Federal do Pará/UFPA.

Referências

AGOSTINHO, Aucione Torres. A Charge. São Paulo: ECA/USP, 1993.

ALVARES, Camila; FRANCO, Sandra Aparecida Pires. O gênero charge: humor e crítica para a formação de leitores. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 13, n.32, 2016. Disponível em: http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/article/view/974/1249. Acesso em: 16 maio. 2021.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Teorias e tendências contemporâneas da Ciência da Informação. Inf. Pauta, v. 2, n. 2, 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/20162/71589. Acesso em: 16 maio. 2021.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila; VALENTIM, Marta Ligia Pomim. A Ciência da Informação no Brasil: mapeamento da pesquisa e cenário institucional. Bibliotecas. Anales de Investigación, v. 15, n. 2, p. 232-259, 2019.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Development of an Iberoamerican informational thinking. Iberoamerican Journal of Science Measurement and Communication, v. 1, n. 2, p. 1-3. 2021. https://doi.org/10.47909/ijsmc.87

ARBACH, Jorge Mtanios Iskandar. O fato gráfico: o humor gráfico como gênero jornalístico. 2007. Tese (Doutorado em Estudo dos Meios e da Produção Mediática) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27153/tde-22072009-182433/pt-br.php. Acesso em: 31 ago. 2018.

AZEVEDO, Reinaldo. Bolsonaro sobre 474 mortos: "E daí?" E o tédio mortal do ministro Teich. Portal UOL, 28 abr. 2020. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/colunas/reinaldo-azevedo/2020/04/28/bolsonaro-sobre-474-mortos-e-dai-e-o-tedio-mortal-do-ministro-teich.htm?aff_source=56d95533a8284936a374e3a6da3d7996. Acesso em: 30 jul. 2020.

BAND JORNALISMO. Bolsonaro diz que não é coveiro para comentar previsão de mortes por coronavirus. 21 abr. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IrKpqx74BWY. Acesso em: 30 jul. 2020.

BARBOSA, Rafaella Carvalho. Aproximações entre charges e memes em ambientes digitais. 9ª Arte, v. 8, n. 1. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/nonaarte/article/view/167472. Acesso em: 28 abr. 2021.

BLOG DO AMARILDO, 2020. Ema bicou o presidente. Julho de 2020. Disponível em: https://amarildocharge.wordpress.com/2020/07/17/ema-bicou-o-presidente/. Acesso em: 01 mai. 2021.

BLOG DO BRITO, 2020. Milícia no divã: desgraça. 25 dezembro de 2020. Disponível em: http://blogdobrito.com.br/author/brito_admin/page/9/. Acesso em: 01 mai. 2021.

BORNEMANN, Neila Barbosa de Oliveira; COX, Maria Inês Pagliarini. “Vote tiririca, pior que tá não fica”: a construção de efeitos de sentido em charges, Revista Signótica, Goiás, v.23, n.2, 2011. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/index.php/sig/article/view/17530. Acesso em 28 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Boletim epidemiológico. Brasília, DF, mar. 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/marco/24/03--ERRATA---Boletim-Epidemiologico-05.pdf. Acesso em: 29 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da saúde. Ultimas noticias. Brasil registra 71.886 casos de coronavírus e 5.017 mortes da doença. 28 abr. 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46806-brasil-registra-71-886-casos-de-coronavirus-e-5-017-mortes-da-doenca. Acesso em: 05 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Brasil registra 135.106 casos de coronavírus e 9.146 mortes pela doença. Brasília, DF, maio 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46852-brasil-registra-135-106-casos-de-coronavirus-e-9-146-mortes-pela-doenca. Acesso em: 29 jul. 2020.

BRASIL. Presidente (Jair Messias Bolsonaro). Discurso feito a evento em Miami. Miami, 10 mar. 2020. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/videos/index.htm?id=bolsonaro-diz-que-coronavirus-e-fantasia-04024C1B326ADCB96326&aff_source=56d95533a8284936a374e3a6da3d7996. Acesso em: 29 jul. 2020.

BRASIL. Presidente (2019 – 2020: Jair Messias Bolsonaro). Pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro. Brasília, 24 mar. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Vl_DYb-XaAE. Acesso em 06 ago. 2020.

BRASIL. Presidente (2019 – 2020: Jair Messias Bolsonaro). 5ª Pronunciamento oficial do Presidente da República. Brasília, 31 mar. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=16RR2rG_AKA. Acesso em 05 ago. 2020.

BRIET, Suzanne. O que é a documentação?. Brasília, DF: Briquet Lemos, 2016.

BUCKLAND, Michael. The Physical, Mental and Social Dimensions of Documents. Proceedings from the Document Academy, v. 3, n. 1, 2016. Disponível em: https://ideaexchange.uakron.edu/docam/vol3/iss1/4/. Acesso em: 06 jul. 2022.

BUCKLAND, Michael. Document theory. Knowledge organization, v. 45, n. 5, p. 425-436, 2018.

CNN BRASIL. Com 474 novas mortes, Brasil registra mais vítimas da COVID-19 que a China. São Paulo, 28 abr. 2020. Disponível: https://www.cnnbrasil.com.br/saude/2020/04/28/com-474-novas-mortes-brasil-ja-tem-mais-vitimas-fatais-da-covid-19-que-a-china. Acesso em: 05 ago. 2020.

CORREIO BRAZILIENSE. 'OMS’ demorou'' diz mandetta sobre decreto de pandemia do coronavírus. Brasília, 01 mar. 2020. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2020/03/11/interna-brasil,833580/oms-demorou-diz-mandetta-sobre-decreto-de-pandemia-do-coronavirus.shtml. Acesso em 05 ago. 2020.

CORREIO BRAZILIENSE. Bolsonaro mostra caixa de cloroquina e diz que fica no cargo até 2022. Brasília, 19 jul. 2020. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2020/07/19/interna_politica,873526/bolsonaro-mostra-caixa-de-cloroquina-e-diz-que-fica-ate-2022.shtml. Acesso em: 15 ago. 2020.

DOM TOTAL. Depois de bicado, Bolsonaro oferece Cloroquina. 24 julho de 2020. Disponível em: https://domtotal.com/charge/3000/2020/07/depois-de-bicado-bolsonaro-oferece-cloroquina-para-ema/. Acesso em: 01 mai. 2021.

DOM TOTAL. E daí?: chargista do Duke. 29 abril de 2020. Disponível em: https://kikacastro.com.br/2020/04/29/edai-bolsonaro-coronavirus-charges-jornais/. Acesso em: 29 abr. 2021.

FERRAZ, Gabriel Pinelli. A representação social de Dilma Rousseff: uma análise das charges que a retratam na Folha de S. Paulo. 2013. 190 f, Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17031. Acesso em: 28 jul. 2020.

FOLHA DE SÃO PAULO. Brasil bate recorde de mortes por coronavírus em 24 h, com 474, e passa o total da China. País se torna o 9º com mais vítimas no mundo. 28 abr. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/04/brasil-bate-recorde-de-mortes-por-coronavirus-com-474-novos-obitos-e-ultrapassa-china.shtml. 05 ago. 2020.

GATTO, Ana Clara. Análise documental de imagem: uma leitura das contribuições semióticas. Revista Digital Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 16, n. 1, jan./abr. 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8650508/pdf. Acesso em: 28 jul. 2020.

GAUCHAZH. Gilmar Fraga: fantasia (charge). 13 março de 2020. Disponível em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/opiniao/noticia/2020/03/gilmar-fraga-fantasia-ck7pbvcae03zz01pqgph2093v.html. Acesso em: 29 mar. de 2021.

GINMAN, Mariam; VON UNGERN-STERNBERG, Sara. Cartoons as informations. Journal of Information Science, v. 29, n.1, 2003. Disponível em: https://journals-sagepub-com.ez87.periodicos.capes.gov.br/doi/10.1177/016555150302900109. Acesso em 28 abr. 2021.

GOMES, Thulio Pereira Dias. Temas e questões em análise documentária de charge. 2013. 65 f. Trabalho de Conclusão de Curso – (Graduação em Bibliotecono- mia). Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2013.

GOMES, Thulio Pereira Dias. A charge é o assunto: análise documentária de charge. 2015. 170f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Rio de Janeiro, 2015.

GONZÁLEZ DE GOMES, Maria Nélida. A documentação e o Nedocumentalismo. In: CRIPPA, Giulia; MOSTAFA, Solange Puntel (Org.). Ciência da Informação e Documentação. Campinas, SP: Editora Alínea, 2011.

A GAZETA. Charge do Amarildo: fantasia e o coronavírus na terra do nunca. Março de 2020. Disponível em: https://www.agazeta.com.br/charge/charge-do-amarildo-fantasia-e-o-coronavirus-na-terra-do-nunca-0320. Acesso em: 29 mar. 2021.

A GAZETA. Charge do Amarildo: fantasia e o coronavírus na terra do nunca. 08 maio de 2020. Disponível em: https://www.agazeta.com.br/charge/charge-do-amarildo-exame-de-vista-0520. Acesso em 29 mai. de 2021.

LE COADIC, Yves-François. A ciência da informação. Brasília (DF), Briquet de Lemos, 2004.

LIMA, Marília Dalva Teixeira de. A construção de sentido no gênero charge: o discurso humorístico da crítica social no Brasil na Eras FHC e Lula. 2012. Dissertação (Mestrado em Linguística) João Pessoa- PB: – Programa de Pós Graduação em Linguística, Universidade Federal da Paraíba. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6414. Acesso em: 24 abr. 2021.

LUND, Niels Windfeld. Document theory. Annual Review of Information Science and Technology Today, v. 43, n.1, 2009. Disponível em: https://asistdl.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/aris.2009.1440430116. Acesso em: 24 abr. 2021.

LUND, Niels Windfeld. Document, text and medium: concepts, theories and disciplines. Journal of Documentation, v. 66, n. 5, 2010. Disponível em: emerald.ez87.periodicos.capes.gov.br/insight/content/doi/10.1108/00220411011066817/full/html. Acesso em: 26 abr. 2021].

LUZ, Rosemári Pereira da. A Prática da Leitura de Charges na Esfera Jornalística e na Internet. In: Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor pde: produções didático-pedagógicas. v. 2, Paraná: Secretaria de Estado da Educação 2014. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_uel_port_pdp_rosemari_pereira_da_luz.pdf. Acesso em: 27 jul. 2020.

MARINGÁ NEWS. Não sou coveiro: Charge de Jota Bosco. 22 abril de 2020. Disponível em: https://angelorigon.com.br/2020/04/22/charge-1609/. Acesso em 29 abr. 2021.

OLIVEIRA, Francisca Verônica Araújo; FERREIRA, Fernanda Castro. Efeitos de sentindo em charges políticas: uma análise discursiva. MEMENTO - Revista de linguagem cultura e discurso, Minas Gerais, v. 6, n. 2, jul./dez. 2015. Disponível em: http://periodicos.unincor.br/index.php/memento/article/viewFile/2526/pdf_59. Acesso em 15 ago. 2020.

MAGGIONI, Fabiano. A charge jornalística: estratégias de imagem em enunciações de humor cômico. 2011. 129 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, 2011.

MOTA, Célia Maria Ladeira; ALMEIDA, Paulo Henrique Soares de. A charge na representação do cotidiano do século xix: análise da semana illustrada. Revista mídia e cotidiano, Niterói – Rio de Janeiro, v. 8, n. 8, 2016. Disponível em: https://periodicos.uff.br/midiaecotidiano/article/view/9769. Acesso em: 05 ago. 2020.

MOTA, Nilce Helena da; NOGUEIRA, Teresinha de Fátima. Gênero charge – crônica visual, um texto provocador. In: XII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VIII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: Universidade do Vale do Paraíba, 2008. Disponível em: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2008/anais/arquivosEPG/EPG01354_01_O.pdf. Acesso 05 ago. 2020.

MIANI, Rozinaldo Antonio. Charge: uma prática discursiva e ideológica. 9ª Arte (São Paulo), v. 1, n. 1, p. 37-48, 2012.

MINOIS, George. História do riso e do escárnio. São Paulo: Ed. Unesp, 2003.

NSC TOTAL. Charge do Zé da Silva: o garoto propaganda da cloroquina. 08 julho de 2020. Disponível em: https://www.nsctotal.com.br/noticias/charge-do-ze-dassilva-o-garoto-propaganda-da-cloroquina. Acesso em: 5 ago. 2020.

OLIVEIRA, Francisca Verônica Araújo; FERREIRA, Fernanda Castro. Efeitos de sentido em charges políticas: uma análise discursiva. Revista de linguagem, cultura e discurso, v. 6, n. 2, jul./dez. 2015. Disponível em: https://core.ac.uk/reader/230543292. Acesso em 29 jul. 2020.

PORTAL G1. Brasil tem 5.017 mortes por Coronavírus; total supera o registrado na China. 28 abr. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/04/28/brasil-tem-5017-mortes-e-71886-casos-de-coronavirus-diz-ministerio.ghtml. Acesso em 05 ago. 2020.

RABELLO, Rodrigo. A dimensão categórica do documento na ciência da informação. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf, Florianópolis, v. 16, n. 31, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2011v16n31p131/17767. Acesso em: 08 jul. 2022.

RIBEIRO, Rita de Cássia Souza; CORDEIRO, Rosa Inês de Novais. A caricatura na perspectiva da representação documentária. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 8, Salvador, BA, 28 a 31 de outubro de 2007. Anais... Salvador: UFBA, 2007. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/viiienancib/paper/view/2803/1931. Acesso em: 28 jul. 2020.

ROCHA, Renata Amaral de Matos; LIMA, Bruno de Assis Freire de. O gênero charge e a construção de leitores críticos. Revista Idioma, Rio de Janeiro, n. 30, 2016. Disponível em: http://www.institutodeletras.uerj.br/idioma/numeros/30/Idioma30_a01.pdf. Acesso em: 05 ago. 2020.

RODRIGUES, Gabriela Fernanda Ribeiro. The Brazilian Neodocumentalist Movement: an Historical Perspective. Proceedings from the Document Academy, v. 7, n.1. Disponível em: https://ideaexchange.uakron.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1153&context=docam. Acesso em: 5 ago. 2020.

RODRIGUES, Gabriela Fernanda Ribeiro; BAPTISTA, Dulce Maria. O movimento neodocumentalista e a reaproximação entre ciência da informação e documentação: uma perspectiva histórico-conceitual. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, v. 15, n. 1, 2020. Disponível em: 10.22478/ufpb.1981-0695.2020v15n1.50556. Acesso em: 5 ago. 2020.

ROMUALDO, Edson Carlos. Charge Jornalística: polifonia e intertextualidade. Maringá: Eduem, 2000. Disponível em: http://old.periodicos.uem.br/~eduem/novapagina/?q=system/files/Liv-Edson-1.pdf. Acesso em: 27 jul. 2020.

SAKAMOTO, Leonardo. Cena de culto à cloroquina mostra que ela se tornou símbolo do bolsonarismo. 20 jul. 2020. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/07/20/cena-de-culto-a-cloroquina-mostra-que-ela-se-tornou-simbolo-do-bolsonarismo.htm. Acesso e 15 ago. 2020.

SALIBA, Elias Thomé. História Cultural do Humor: balanço provisório e perspectivas de pesquisas. Revista de História, n. 172, 2017.

SALDANHA, Gustavo Silva. Uma filosofia da ciência da informação: organização dos saberes, linguagem e transgramáticas. 2012. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro / Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia.

SALDANHA, Gustavo Silva, 2013. O documento e a “via simbólica”: sob a tensão da “neodocumentação”. Informação arquivística, v. 2, n. 1. Disponível em: http://www.aaerj.org.br/ojs/index.php/informacaoarquivistica/article/view/17. Acesso em 05 ago. de 2020.

SANTANELLA, Lúcia. O que é semiótica. Brasília: Brasiliense, 2001.

SANTOS, Francisco Edvander Pires et al. Documento e informação audiovisual: bases conceituais numa perspectiva neodocumentalista. Em Questão, Porto Alegre, v. 24, n. 2, p. 235-259, maio/ago. 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.19132/1808-5245242.235-259. Acesso em: 23 abr. 2022.

SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Boletim epidemiológico, v. 51, n. 4, jan. 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/janeiro/23/Boletim_epidemiologico_SVS_04.pdf. Acesso em: 29 jul. 2020.

SOUZA, Isabel Cristina de Oliveira. A charge como Fonte de Representação da Informação no Desenvolvimento Político Brasileiro. 2018. 195f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Instituto de Ciência da Informação, Universidade Federal da Bahia, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/27843. Acesso em: 28 jul. 2020.

SOUZA, Luciana Coutinho P. de. Charge política: o poder e a fenda. São

Paulo: PUC/SP, 1986. Dissertação (Mestrado em Comunicação e

Semiótica). Pontifícia Universidade de São Paulo, São Paulo, 1986.

VAN DIJK, Teun A. Discurso e Poder. São Paulo: Contexto, 2018.

Publicado

2023-01-03

Como Citar

OLIVEIRA, Alessandra; CASTRO, Jetur; SANTOS, Luiz Cezar Silva dos. Charge, documento visual ácido: uma análise crítica do discurso das falas do presidente Jair Bolsonaro e a Covid-19. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, p. 1–32, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.89477. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/89477. Acesso em: 18 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.