Estudo da terminologia da área disciplinar de Direito e a proposição de um Sistema de Organização do Conhecimento em Direito Penal

Autores

  • Larissa Silva Costa Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) https://orcid.org/0000-0002-6491-2258
  • Maria José Veloso da Costa Santos Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Vania Lisboa da Silveira Guedes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2022.e89652

Palavras-chave:

Direito Penal, Sistema de Organização do Conhecimento, Glossário, Ponto de Transição de Goffman

Resumo

Objetivo: Investigar a produtividade e a frequência de uso de termos nos textos de artigos de periódicos na área de Direito e propor um Sistema de Organização do Conhecimento (SOC), a saber, um protótipo de glossário especializado em Direito Penal. Método: Utiliza a abordagem quali-quantitativa, bibliográfica e exploratória. Para a composição da amostra, foram selecionados artigos na área de Direito, em língua portuguesa, publicados no triênio 2018-2020, em títulos periódicos indexados na base Qualis Periódicos classificados em estrato A1. Foi utilizado o software RankWords para contagem de palavras e aplicada a fórmula do Ponto de Transição de Goffman para a delimitação da Região de Transição. Resultado: Foram recuperados 38 artigos sobre Direito Penal publicados em 05 títulos de periódicos e, após análises dos textos, foram considerados 122 termos para composição do glossário especializado em Direito Penal. Conclusões: O objetivo central de propor um SOC em Direito Penal foi atingido, representado pela criação do protótipo de glossário especializado. Do ponto de vista metodológico, as leis, técnicas e princípios bibliométricos, especificamente o cálculo do Ponto de Transição e a delimitação da Região de Transição de Goffman, possibilitaram a validação dos termos selecionados para a composição do SOC. Por fim, entende-se que o estudo é uma contribuição para as áreas de representação e organização da informação e do conhecimento na Biblioteconomia e de Direito.

Biografia do Autor

Larissa Silva Costa, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Bacharel em Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Maria José Veloso da Costa Santos, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutora em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.Professora Adjunta do Departamento de Biblioteconomia, da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Vania Lisboa da Silveira Guedes, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Pós-Doutora e Doutora em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.Professora Associada do Departamento de Biblioteconomia, da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação IBICT/UFRJ.

Referências

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 14724: Informação e Documentação: Trabalhos Acadêmicos: Apresentação. 3. ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2011.

BELLOTO, H. L. A Terminologia das Áreas do Saber e do Fazer: O caso da arquivística. Acervo, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 47-56, jan./dez. 2007. Disponível em: http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/71/71. Acesso em: 22 abr. 2022.

BRAGA, G. M. Relações Bibliométricas Entre a Frente de Pesquisa (Research Front) e Revisões da Literatura: Estudo Aplicado a Ciência da Informação. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 2, n. l, p. 9-26, 1973. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/20/20. Acesso em: 22 abr. 2022.

BRÄSCHER, M.; CAFÉ, L. Organização da Informação ou Organização do Conhecimento?. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 9., 2008, São Paulo. [Anais...]. São Paulo: USP, 2008. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/ixenancib/paper/viewFile/3016/2142. Acesso em: 31 maio 2022.

CAMPOS, L. F. B.; VENÂNCIO, L. S. O objeto de estudo da Ciência da Informação: a morte do indivíduo. Informação & Informação, Londrina, v. 11, n. 1, jan./jun. 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2006v11n1p5. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/1720/1471. Acesso em: 22 abr. 2022.

CARLAN, E.; MEDEIROS, M. B. B. Sistemas de Organização do Conhecimento na visão da Ciência da Informação. Revista Ibero-americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 4, n. 2, p. 53-73, ago./dez. 2011. DOI: https://doi.org/10.26512/rici.v4.n2.2011.1675. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/1675/1474. Acesso em: 22 abr. 2022.

COSTA, L. S. Terminologia da área disciplinar de Direito: estudo para a proposição de um Sistema de Organização do Conhecimento em Direito Penal. 84f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação) – Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2022.

COSTA, M. E. O.; OLIVEIRA, D. A. Ciência da Informação e Bibliometria: mapeamento da produção científica em periódicos brasileiros na temática Educação a distância. Biblos: Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação, Rio Grande, v. 34, n. 01, p. 19-44, jan./jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.14295/biblos.v34i1.11133. Disponível em: https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/11133/7784. Acesso em: 22 abr. 2022.

DAHLBERG, I. Knowledge organization: a new science? Knowledge Organization, Frankfurt, v. 33, n. 1, p. 11-19, 2006.

DIREITO Privado. In: SANTOS, W. Dicionário jurídico brasileiro. Belo Horizonte: Del Rey, 2001. 340 p.

DIREITO Público. In: SANTOS, W. Dicionário jurídico brasileiro. Belo Horizonte: Del Rey, 2001. 340 p.

FADEL, F. U. C. Breve história do Direito Penal e da evolução da pena. Revista Eletrônica Jurídica, [s. l.], n. 1, p. 60-69, jan./jun. 2012. Disponível em: http://www.periodicosibepes.org.br/index.php/redir/article/view/362/pdf. Acesso em: 22 abr. 2022.

FREITAS, L. M.; ALBUQUERQUE, A. C. As abordagens da análise de domínio como aporte metodológico para a classificação arquivística. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, [s. l.], v. 10, n. 2, p.1-19, ago./dez. 2017. Disponível em: https://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/424/423. Acesso em: 22 abr. 2022.

GUEDES, V. L. S. Nominalizações deverbais em artigos científicos: uma contribuição para a análise e a indexação temática da informação. Orientador: Maria Cecília de Magalhães Mollica. 2010. 109f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: http://objdig.ufrj.br/25/teses/761461.pdf. Acesso em: 22 abr. 2022.

GUEDES, V. L. S. A bibliometria e a gestão da informação e do conhecimento científico e tecnológico: uma revisão da literatura. PontodeAcesso, Salvador, v. 6, n. 2, p. 74-109, ago. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1981-6766rpa.v6i2.5695. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/5695/4591. Acesso em: 22 abr. 2022.

GUEDES, V. L. S.; SANTOS, M. J. V. Recorrência de nominalizaçôes deverbais em resumos de cartas científicas em língua portuguesa e a indexaçâo temática. Lingüística, Montevideo, v. 29, n. 1, jun. 2013. Disponível em: http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2079-312X2013000100003. Acesso em: 26 abr. 2022.

HJØRLAND, B.; ALBRECHTSEN, H. Toward a new horizon in information science: Domain-analysis. Journal of the American Society for Information Science, [s. l.], v. 46, n. 6, p. 400-425, jul. 1995.

HJØRLAND, B. What is Knowledge Organization (KO)? Knowledge Organization, [s. l.], v. 35, issue 2/3, p. 86-101, 2008. Disponível em: https://www.nomos-elibrary.de/10.5771/0943-7444-2008-2-3-86/what-is-knowledge-organization-ko-volume-35-2008-issue-2-3?page=1. Acesso em: 22 abr. 2022.

INTERNATIONAL Standardization Organization. [Website...]. [S. l.], [20--?]. Disponível em: https://www.iso.org/standard/53657.html. Acesso em: 22 abr. 2022.

KANZLER, R. K. C.; PIGNATA, F. S. Direito Penal e Criminologia: uma inter relação. In: ENCONTRO NACIONAL DO CONPEDI BRASÍLIA – DF, 26., 2017, Florianópolis. Recurso eletrônico on-line. Florianópolis: CONPEDI, 2017. Disponível em: http://conpedi.danilolr.info/publicacoes/roj0xn13/4zay345f/5nWD9m5QPTTMq34O.pdf. Acesso em: 22 abr. 2022.

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. Tradução de Antonio Agenor Brinquet de Lemos. 2. ed. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2004. 452 p.

MEY, E. S. A.; SILVEIRA, N. C. Catalogação no plural. Brasília: Briquet de Lemos, 2009. 217 p.

MICHAELIS Moderno Dicionário da Língua Portuguesa. [Website...]. [S. l.], c2022. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/. Acesso em: 06 jan. 2022.

MOREIRA, W. Sistemas de organização do conhecimento: aspectos teóricos, conceituais e metodológicos. 2018. 164 f. Tese (Livre-Docência em Sistemas de Organização do Conhecimento) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São Paulo, 2018. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/190878/000908213.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 22 abr. 2022.

QUALIS. In: PLATAFORMA SUCUPIRA. [Website...]. [S. l.], c2016. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.jsf;jsessionid=t8CYE009PWAvBULDFFr8TjeF.sucupira-204#. Acesso em: 22 abr. 2022.

SANTOS, F. C. L. Coerência na representação temática de artigos científicos indexados no Repositório de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz. Orientador: Maria Cecilia Magalhães Mollica. 2017. 258 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/25837/2/Coer%c3%aanciaRepresenta%c3%a7%c3%a3oTem%c3%a1ticaArtigos.pdf. Acesso em: 26 abr. 2022.

SANTOS, M. J. V. C. Correspondência científica de Bertha Lutz: um estudo de aplicação da lei de zipf e ponto de transição de goffman em um arquivo pessoal. PontodeAcesso, Salvador, v. 3, n. 3, p. 317-326, dez. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1981-6766rpa.v3i3.3628. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/3628/2751. Acesso em: 22 abr. 2022.

SANTOS, M. J. V. C. Adolpho Lutz e a medicina tropical: análise bibliométrica de cartas como gênero do discurso científico. Orientador: Regina Maria Macedo da Costa Dantas. 2016. 150 f. Tese (Doutorado em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia) – Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza, Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: http://objdig.ufrj.br/10/teses/878421.pdf. Acesso em: 26 abr. 2022.

SANTOS, W. Dicionário jurídico brasileiro. Belo Horizonte: Del Rey, 2001. 340 p.

SIDOU, J. M. O. (org.). et al. Dicionário Jurídico: Academia Brasileira de Letras Jurídicas. 11. ed. rev. atual. Rio de Janeiro: Forense, 2016.

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. A pesquisa científica. In: GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (org.). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. 114 p. Disponível em: http://meiradarocha.jor.br/news/tcc/files/2017/12/Gerhardt-e-Silveira.-M%C3%A9todos-de-Pesquisa-EAD-UFRGS.pdf. Acesso em: 26 abr. 2022.

SOUSA, M. A.; ALBUQUERQUE, M. E. B. C. Informação étnico-racial: proposta de glossário sob a égide da semântica discursiva. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, [s. l.], v. 8, n. 2, p. 20-37, 2015. Disponível em: https://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/349/349. Acesso em: 22 abr. 2022.

TÁLAMO, M. F. G. M. A definição semântica para a elaboração de glossários. In: SMIT, J. W. (coord.). Análise documentária: a análise da síntese. Brasília: IBICT, 1987. 133 p. Disponível em: https://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/1011/1/An%c3%a1lise%20document%c3%a1ria.pdf. Acesso em: 22 abr. 2022.

VENOSA, S. S. Introdução ao Estudo do Direito: primeiras linhas. 2. ed. São Paulo: Editora Atlas S. A., 2009. 321 p.

Downloads

Publicado

2022-09-09

Como Citar

SILVA COSTA, .; VELOSO DA COSTA SANTOS, . J.; LISBOA DA SILVEIRA GUEDES, . Estudo da terminologia da área disciplinar de Direito e a proposição de um Sistema de Organização do Conhecimento em Direito Penal. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 27, n. 1, p. 1–21, 2022. DOI: 10.5007/1518-2924.2022.e89652. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/89652. Acesso em: 8 dez. 2022.