Notas para uma teoria crítica discursiva da informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e92925

Palavras-chave:

Teoria crítica discursiva, Informação, Agir comunicativo

Resumo

Objetivo: o artigo apresenta anotações iniciais para uma teoria crítica discursiva da informação.

Método: a teoria parte de Habermas, que considera o Discurso uma forma especial de Agir Comunicativo para construção de entendimento intersubjetivo. O Discurso é o meio que os sujeitos usam para resolver conflitos sobre algo no mundo, e para construir acordos teóricos e práticos. O Discurso entre sujeitos tem função de validação pragmática de expressões e representações do mundo da vida. Habermas observa que acordos por argumentos devem ter correspondência com o mundo objetivo.

Resultado: a partir desses pressupostos se faz o esboço de uma teoria crítica da informação. A informação é construção de significado e representação, mas é também acordo intersubjetivo sobre algo que existe no mundo.

Conclusões: assim, não existe informação fora, antes ou depois da comunicação. A informação faz parte da comunicação, nas interações mediadas pela linguagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clovis Ricardo Montenegro de Lima, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

Graduado em Medicina na Universidade Federal de Santa Catarina (1986). Mestre (1992) e Doutor (2005) em Ciência da Informação na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre (1993) e Doutor (2000) em Administração na Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Pós-doutorado no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (2010). Professor adjunto 2 da Universidade Federal de Santa Catarina (2006 a 2009). É pesquisador titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia desde 2009. Pesquisador visitante na Universiteit voor Humanistiek em Utrecht entre 2013 e 2017. 

Márcio Gonçalves, Hélio Alonso University

Docente nas Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA). Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Especialização em Gestão de Negócios em Instituições de Ensino Superior pela Universidade Estácio de Sá (UNESA) e em Pesquisa de Mercado e Opinião Pública pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Graduado em Jornalismo pela Universidade Estácio de Sá (UNESA) e Google Certified Innovator e Google For Education Certified Trainer

Mariangela Rebelo Maia, Universidade Salgado de Oliveira

Professora do Curso de Odontologia da Universidade Salgado de Oliveira - UNIVERSO (2001-2003, 2007-2019). Professora Substituta no Departamento de Odontologia Social e Preventiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ - 2019 a 2021). Coordenadora e Professora do Curso de Odontologia da Universidade Santa Úrsula (2021-atual).  Cirurgiã-dentista da Prefeitura Municipal de Teresópolis (1991-1994), chefe da Clínica de Odontologia Social da Odontoclínica Central do Exército - OCEx (1997-2000), Coordenadora dos Programas de Atenção Básica e Coordenadora de Educação Continuada do Centro de Estudos do PAM Cavalcanti (2009-2010), Assessora Técnica em Saúde do CIESZO (2003), da OSS Viva Comunidade(2010) e da OSS Fibra (2011). Cirurgiã-dentista no Espaço Comunitário de Saúde Básica do SESI - RJ, de abril de 2012 a março de 2014. Doutora em Ciência da Informação (2019) pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) em convênio com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Odontologia (Odontologia Social - Saúde Coletiva) pela Universidade Federal Fluminense (1997). Graduação em Odontologia pela Universidade Federal Fluminense (1990) e em Letras pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1999). Especialista em Implantação de Projetos na Gerência de Odontologia e Saúde do SESI/Sistema FIRJAN (2014 - 2015). Coordenadora Local de EAD (2021/22). 

Referências

ALMEIDA, Guido Antônio. Nota preliminar do tradutor. In: HABERMAS, Jurgen. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

BELKIN, Nicholas J. The cognitive viewpoint in information science. Journal of Information Science, [S. l.], v. 16, p. 11-15, 1990. Available in: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/016555159001600104. Access at: 23 nov. 2022.

CAMPOS, Milton N. Integrando Habermas, Piaget e Grize: contribuições para uma Teoria Construtivista-Crítica da Comunicação. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 966-996, 3 fev. 2014. Available in: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/18777. Access at: 23 nov. 2022.

CAPURRO, Rafael. What is information science for? A philosophical reflection was published. In: Vakkari, Pertti; Cronin, Blaise (ed.). Conceptions of Library and Information Science: historical, empirical and theoretical perspectives. London: Taylor Graham 1992, p. 82-98.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 18 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GONÇALVES, Marcio; LIMA, Clóvis R. M. Validação discursiva da informação. Linguagem & Ensino, Pelotas, v.17, n.3, p. 901-925, set./dez. 2014. Available in: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/rle/article/view/15319. Access at: 23 nov. 2022.

GONÇALVES, Marcio. Wikipédia: discurso e validade da informação. 2014. 175 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). IBICT/UFRJ, Rio de Janeiro, 2014.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria N. A informação no pensamento contemporâneo: aproximações à teoria do agir comunicativo de Habermas. In: BRAGA, Gilda Maria; PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro (org.) Desafios do impresso ao digital: questões contemporâneas de informação e conhecimento. Brasília: IBICT: Unesco, 2009a. p. 177-204.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria N. Habermas, informação e argumentação. In: PINZANI, A.; LIMA, C. R. M.; DUTRA, D. V. O pensamento vivo de Habermas: uma visão interdisciplinar. Florianópolis: NEFIPO, 2009b. p. 115-138.

HABERMAS, Jürgen. Agir comunicativo e razão descentralizada. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2002.

HABERMAS, Jürgen. Consciência moral e agir comunicativo. 2. ed. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 2003.

HABERMAS, Jürgen. Verdade e justificação: ensaios filosóficos. Tradução Milton Camargo Mota. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HABERMAS, Jürgen. Fundamentação linguística da sociologia: obras escolhidas de Jürgen Habermas. Lisboa: Edições 70, 2010.

HERMANN, Nadja. Conferência sobre Jürgen Habermas. Rio de Janeiro. 2012. Aula ministrada em 25 abril e 9 mai. 2012.

Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia/Universidade Federal do Rio de Janeiro. Apostila.

LEYDESDORFF, L. Luhmann, Habermas, and the Theory of Communication. Systems Research and Behavioral Science, [S. l.], v. 17, p. 273-288, 2000.Available in: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/%28SICI%291099-1743%28200005/06%2917%3A3%3C273%3A%3AAID-SRES329%3E3.0.CO%3B2-R. Access at: 23 nov. 2022.

LIMA, Clóvis R. M. de; CORBO, Dayo D. S. Comissão da verdade: os documentos e a validez do discurso. Informação@Profissões, Londrina, v. 2, p. 45-65, 2013. Available in: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/63817. Access at: 23 nov. 2002.

MAIA, Mariangela R. Informação sobre saúde bucal nas plataformas digitais: entre crença e ciência. 2019. 137 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). IBICT/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, 2019. Disponível em: https://ridi.ibict.br/handle/123456789/1054.

MIDDLETON, Lyndsey; HALL, Hazel, RAESIDE, Robert. Applications and applicability of Social Cognitive Theory in information science research. Journal of Librarianship and Information Science, [S. l.], v. 51, n. 4, 2018. Available in: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0961000618769985. Access at: 23 nov. 2022.

PIAGET, Jean. Biologia e conhecimento: ensaio sobre as relações orgânicas e os processos cognitivos. Petrópolis: Vozes, 1973.

SANTOS, Fabiana, S; SANTOS, Thais S. Linguística formal e linguística do discurso: continuidades e rupturas teóricas. Linguística, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 31-49, abr. 2016. Available in: https://www.linguisticario.letras.ufrj.br/uploads/7/0/5/2/7052840/santos_e_santos.pdf. Access at: 23 nov. 2022.

SIEBENEICHLER, Flávio B. Razão comunicativa e técnicas de comunicação e informação em rede. In: GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N.; LIMA, C. R.M de. (org.). Informação e democracia: a reflexão contemporânea da ética e da política. Brasília, DF: IBICT, 2010.

ZITKOSKI, Jaime J. Dicionário Paulo Freire. In: STRECK, Danilo et al. (org.). Dicionário Paulo Freire. São Paulo: Autêntica, 2010.

Publicado

2023-08-15

Como Citar

MONTENEGRO DE LIMA, Clovis Ricardo; GONÇALVES, Márcio; REBELO MAIA, Mariangela. Notas para uma teoria crítica discursiva da informação. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, p. 1–16, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e92925. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/92925. Acesso em: 21 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.