Novos desafios epistêmicos e sociais da ciência da informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e92952

Palavras-chave:

Ciência da Informação, Práxis, Epistemologias do Sul, Cultura, Práticas Informacionais

Resumo

Objetivo: Discutir as novas fronteiras de pensamentos para a Ciência da Informação, considerando as mudanças sociais, políticas, econômicas e ambientais que vêm ocorrendo na contemporaneidade e seus potenciais reflexos em termos epistemológicos e metodológicos para o campo, apontando possibilidades de renovação nessa perspectiva.

Método: Utiliza como método a pesquisa bibliográfica e documental, subsidiando uma discussão teórica-ensaística com abordagem praxiológica.

Resultado: Como resultados, de um lado o ensaio levanta alguns dos principais tópicos de mudança social contemporânea em sua relação com o campo da Ciência da Informação, e, de outro lado, aponta experiências empíricas inovadoras no âmbito das políticas e ações culturais e sociais sinalizadoras de novas práticas informacionais. Estas práticas podem trazer subsídios para a formulação de questões e abordagens mais atualizadas, contribuindo para tornar mais assertivo o escopo teórico-metodológico do campo da Ciência da Informação.

Conclusões: Destaca-se a necessidade de uma renovada troca entre teoria e prática, buscando uma abordagem praxiológica que incorpore, em seus procedimentos, formas de diálogo e colaboração com os sujeitos de pesquisa. Aponta a necessidade de uma metodologia efetivamente interdisciplinar e interseccional para a análise destes fenômenos, com um olhar comprometido com os contextos sociais locais, podendo ter como inspiração o conjunto de reflexões de diversos autores identificadas genericamente como “Epistemologias do Sul”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antônio de Almeida, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), na área de “Cultura e Política”. Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), possuindo título de mestre em Sociologia pela mesma instituição.  Livre-Docente em Ciência da Informação e Documentação pela USP. Atualmente, é professor da Universidade de São Paulo, no curso de Biblioteconomia e Ciências da Informação da FFCLRP-USP. Também é professor e orientador no programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da ECA-USP. 

Guilherme Fellipin dos Santos, Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo

Bacharel em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo. Cursando Mestrado em Ciência da Informação com ênfase em Cultura e Informação/apropriação social da informação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Publicou artigos sobre Cinema contracultural durante a Guerra Fria e World-Cinema no Brasil do século XXI. Ex-assistente de pesquisa do Centro de Estudos em Negociação Internacional do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo.

Referências

AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. São Paulo: Jandaíra, 2019.

BELTRÁN, Elizabeth Peredo. Ecofeminismo. In: SOLÓN, Pablo (org.). Alternativas sistêmicas: bem viver, decrescimento, comuns, ecofeminismo, direitos da Mãe Terra e desglobalização. São Paulo: Elefante, 2019, p. 113-143.

BEZERRA, Arthur Coimbra; ALMEIDA, Marco Antônio de. Rage against the machine learning: a critical approach to the algorithmic mediation of information. Marília (SP). Brazilian Journal of Information Science, [s.l.], v. 14, p. 06-23, 2020.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: Por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Ed. Unesp, 2004.

CANCLINI, Néstor García. Ciudadanos reemplazados por algoritmos. Guadalajara (MX): Universidad de Guadalajara/CALAS, 2019.

CARNEIRO, Sueli. Dispositivo de racialidade: A construção do outro como não ser como fundamento do ser. Rio de Janeiro: Zahar, 2023.

CENTRO NACIONAL DE MEMORIA HISTÓRICA. Medellín: Memorias de una guerra urbana. Bogotá: CNMH - Corporación Región- Ministerio del Interior - Alcaldía de

Medellín - Universidad EAFIT- Universidad de Antioquia, 2017.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CORONA-BERKIN, Sarah. Producción horizontal del conocimiento. Guadalajara (MX): Universidad de Guadalajara/CALAS, 2019.

DANOWSKI, Déborah; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Há mundo por vir? Ensaio sobre os medos e os fins. Florianópolis: Cultura e Barbárie Editora, 2017.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. Comum: ensaio sobre a revolução no século XXI. São Paulo: Boitempo, 2017

DOWBOR, Ladislau. O Capitalismo se desloca: Novas arquiteturas sociais. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2020

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpos e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante, 2017.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FUNDACIÓN RATÓN DE BIBLIOTECAS. Leer es poder: 32 años de Fundación Ratón de Bibliotecas. Medellín: Tragaluz Editores, 2016.

GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções e diálogos. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

GILROY, Paul. O Atlântico negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo: Editora 34, 2012.

HALL, Stuart. Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG; Brasília: Representação da Unesco no Brasil, 2003.

HARAWAY, Donna. Staying with the Trouble: Making Kin in the Chthulucene. Duke: Duke University Press, 2016.

HARVEY, David. Cidades rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

HOOKS, Bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2022.

HUI, Yuk. Tecnodiversidade. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. São Paulo: Cobogó, 2019.

KOPENAWA, Davi; ALLBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã Yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. Companhia das Letras, 2019.

LATOUR, Bruno. Onde aterrar? Como se orientar politicamente no Antropoceno. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2020.

MARTELETO, Regina M.; RIBEIRO, Leila B.; GUIMARÃES, Cátia. Informação em movimento: produção e organização do conhecimento. Civitas: Revista De Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 69–80, 2007.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Arte e Ensaios, São Paulo, n. 32, p. 123-151, 2016.

MELUCCI, Alberto. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Petrópolis (RJ): Vozes, 2001.

MOROZOV, Evgeny. Big Tech: a ascensão dos dados e a morte da política. São Paulo: Ubu Editora, 2018.

MOROZOV, Evgeny; BRIA, Francesca. A cidade inteligente: Tecnologias urbanas e democracia. São Paulo: Ubu Editora, 2019.

OBSERVATÓRIO DO CLIMA. 21 recados fundamentais do novo relatório do IPCC. [S.l.:s.n.], [2022?]. Disponível em: https://www.oc.eco.br/21-recados-fundamentais-do-novo-relatorio-do-ipcc/ Acesso em: 19 dez. 2022.

PICKERING, Andrew. The Ontological Turn: Taking Different Worlds Seriously. Social Analysis, [s.l.], v. 61, n. 2, 1 jan. 2017.

PRECIADO, Paul B. Um apartamento em Urano: Crônicas da travessia. Rio de Janeiro: Zahar, 2019.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

SAVAZONI, Rodrigo. O comum entre nós: da cultura digital à democracia do século XXI. São Paulo: Ed. SESC, 2018.

SENA, Eduardo Augusto. Políticas culturais, tecnologias de informação e democracia cultural: o programa VAI e a constituição da Agência Popular Solano Trindade. São Paulo: Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, 2013. (Dissertação de mestrado).

SOLÓN, Pablo (org.). Alternativas sistêmicas: bem viver, decrescimento, comuns, ecofeminismo, direitos da Mãe Terra e desglobalização. São Paulo: Ed. Elefante, 2019.

STENGERS, Isabelle. Reativar o Animismo. Caderno de Leituras, n.62, p. 1-15, 2017.

TREVISAN, João Silvério. Seis balas num buraco só: A crise do masculino. São Paulo: Objetiva, 2021.

TSING, Anna L. The Mushroom of the End of the world: on the possibility of life in the Capitalism ruin. Princeton: Princeton University Press, 2015.

Publicado

2023-05-05

Como Citar

DE ALMEIDA, Marco Antônio; FELLIPIN DOS SANTOS, Guilherme. Novos desafios epistêmicos e sociais da ciência da informação. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, n. Dossie Especial, p. 1–22, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e92952. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/92952. Acesso em: 19 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.