Análise dos planos de gestão de universidades Brasileiras e Portuguesas: uma investigação das políticas de acessibilidade e inclusão para as bibliotecas universitárias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2024.e96232

Palavras-chave:

Pessoas com deficiência, Políticas informacionais, Gestão universitária, Acessibilidade

Resumo

Objetivo: A alta incidência de pessoas com deficiência é uma questão global que preocupa a criação de políticas. O artigo tem como objetivo analisar os planos de desenvolvimento institucional de universidades no Brasil, a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ) e em Portugal, a Universidade do Porto e a Universidade de Lisboa para verificar se há políticas direcionadas à inclusão social de pessoas com deficiência, bem como se há menção da biblioteca universitária nesses planos.

Método: A metodologia utilizada é a revisão de literatura seguida de análise de conteúdo de Bardin (2009).

Resultado: Discute a preocupação com a inclusão e permanência dessas pessoas no ensino superior tanto no Brasil quanto em Portugal. Estudos sobre Regime de Informação na Ciência da Informação enfatizam a inclusão de grupos socialmente excluídos.

Conclusões: Conclui que os planos de desenvolvimento institucional incorporaram ações voltadas à acessibilidade e inclusão, incluindo orientações para que as bibliotecas sejam inclusivas em todas as esferas de acessibilidade. Nota-se que as políticas institucionais são a melhor forma de incluir pessoas em situações de vulnerabilidade social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Lima dos Santos, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda e Mestre em Ciência da Informação, pelo Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal Fluminense - PPGCI-UFF. Bacharel em Biblioteconomia, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. Experiência em organização e administração de bibliotecas públicas.

Referências

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Um desenho epistemológico da Ciência da Informação a partir de suas correntes teóricas. In: ARAKAKI, Ana Carolina Simionato; ALBUQUERQUE, Ana Cristina de (Orgs.). Questões teórico-epistemológicas para a Ciência da Informação: possibilidade e contribuições (E-Book). Coleção Educação em Ciências. Ijuí, RS: Editora Unijuí, 2020.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. ed. rev. e atual. Lisboa: Edições 70, 2009.

BRAMAN, Sandra. The emergent global information policy regime. New York: Palgrave Macmillan, 2004. Disponível em: http://people.tamu.edu/~braman/bramanpdfs/022_emergentregime.pdf. Acesso em: 11 maio 2023.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 20 maio. 2023.

DINIZ, Debora. O que é deficiência. São Paulo: Editora Brasiliense, 2012.

GONZALEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida. Política e gestão da informação: novos rumos. Ciência da Informação, v. 28, n. 2, p. 109-110, maio/ago. 1999.

IBGE. Censo 2010. Pessoas com deficiência. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/20551-pessoas-com-deficiencia.html. Acesso em: 11 maio 2023.

INSTITUTO Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Censo da educação superior 2019. Divulgação dos resultados, MEC, Brasília, out. 2020. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2020/Apresentacao_Censo_da_Educacao_Superior_2019.pdf. Acesso em: 11 maio 2023.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, 2015. Disponível em:https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/Brasil_Amigo_Pesso_Idosa/Agenda2030.pdf. Acesso em: 11 maio 2023.

PORTUGAL. Instituto Nacional de Estatística. Censos 2011. Disponível em:

https://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=ine_censos_publicacao_det&contexto=pu&PUBLICACOESpub_boui=73212469&PUBLICACOESmodo=2&selTab=tab1&pcensos=61969554. Acesso em: 11 maio 2023.

PORTUGAL. Instituto Nacional de Estatística. Censos 2021. Disponível em: https://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpgid=censos21_main&xpid=CENSOS21&xlang=pt. Acesso em: 11 maio 2023.

PORTUGAL. Leis e Decretos. Despacho nº 7031-B/2015, 24 de junho de 2015. Ministério da Educação e Ciência.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Plano de desenvolvimento institucional 2020-2024. Disponível em: https://pdi.ufrj.br/. Acesso em: 11 maio 2023.

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. O Plano de Desenvolvimento Institucional da UFF PDI – 2018-2022. Disponível em: http://pdi.sites.uff.br/wp-content/uploads/sites/196/2018/06/PDI_2018-2022_aprovado-CUV_30-05-2018.pdf. Acesso em: 11 maio 2023.

UNIVERSIDADE DE LISBOA. Programa de ação 2021-2025. Manter o rumo. Assegurar o futuro. Reitor. Luís M. A. Ferreira. Disponível em: https://www.ulisboa.pt/sites/ulisboa.pt/files/documents/files/lf_programa_de_candidatura.pdf. Acesso em: 11 maio 2023.

UNIVERSIDADE DO PORTO. Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Programa de ação. Professora Catedrática, Ana Cristina Moreira Freire. Quadriênio 2019-2023. Disponível em: https://sigarra.up.pt/fcup/pt/conteudos_service.conteudos_cont?pct_id=438780&pv_cod=41aBPj3IataB. Acesso em: 11 maio 2023.

Publicado

2024-03-02

Como Citar

LIMA DOS SANTOS, Ana Paula. Análise dos planos de gestão de universidades Brasileiras e Portuguesas: uma investigação das políticas de acessibilidade e inclusão para as bibliotecas universitárias. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 29, p. 01–19, 2024. DOI: 10.5007/1518-2924.2024.e96232. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/96232. Acesso em: 24 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.