A pesquisa em ensino de CTEM e sua interação com aspectos da educação não formal e espaços não formais

Carlos H. Coimbra-Araujo, Raquel A. Speck, Gabriela K. Ferreira, Roberta C. Bartelmebs, Danilene G. D. Berticelli, Geocris R. Santos, Marcos A. Schreiner, Helio H. L. C. Monte-Alto, Camila Tonezer, Isac G. Rosset, Arthur William de Brito Bergold

Resumo


A pesquisa na área de ensino, em particular no ensino de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM), repercute positivamente para compreender o modus operandi de profissionais da educação, dos níveis Fundamental e Médio, no ensino de Física, Química, Matemática e Computação. O desenvolvimento das CTEMs a partir de aspectos da educação não formal ou via uso de espaços não formais de ensino de ciências são extremamente importantes para complementar o currículo tradicional, auxiliando o professor e profissionais da educação para a motivação dos alunos em relação às CTEMs. De uma forma mais geral, outrossim, observa-se que o tema da educação não formal afeta diretamente o modo de se realizar divulgação científica e, em especial, popularizar a ciência em meios socialmente fragilizados. A educação não formal e os espaços não formais de ciências despontam, dessa forma, como laboratórios férteis para o desenvolvimento do próprio ensino formal, complementando-o. Nesse sentido, espaços não formais como museus científicos e eventos como as feiras de ciência são definidos, caracterizados e exemplificados.

Palavras-chave


Educação não formal; Espaço não formal de ensino; Museu de ciência; Feira de ciências

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABCMC. Centros e Museus de Ciência do Brasil. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência, 2009.

ABCMC. Centros e Museus de Ciência do Brasil. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência, 2012.

ABIB, M. L. V. S. Formação de professores de Ciências: treinamento ou cooperação? In: MATOS, C. (Org.). Conhecimento científico e vida cotidiana. São Paulo: Terceira Margem, 2003.

ARRUDA, S. M.; PASSOS, M. M.; PIZA, C. A. M; FELIX, R. A. B. O aprendizado científico no cotidiano. Ciência & Educação, Bauru, v. 19, p. 481-498, 2013.

CASCAIS, M. G. A.; TERÁN, A. F. Educação formal, informal e não formal em ciências: contribuições dos diversos espaços educativos. Novas perspectivas de ensino de Ciências em espaços não formais amazônicos. Manaus, AM: UEA Edições, 2013.

CAZELLI, S.; QUEIROZ, G.; ALVES, F.; FALCÃO, D.; GOUVÊA, M. G.; COLINVAUX, D. Tendências Pedagógicas das Exposições de um Museu de Ciência. In: GUIMARÃES, V. F; DA SILVA, G. A. (Orgs.). Implantação de Centros e Museus de Ciência. Rio de Janeiro: Casa da Ciência, 1999.

CHELINI, M.-J. E.; LOPES, S. G. B. de C. Exposições em museus de ciências: reflexões e critérios para análise. Anais do Museu Paulista... São Paulo, v. 16, n. 2, p. 205-238, dec. 2008.

CNPQ. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Disponível em: www.cnpq.br. Acesso em: 20 jun. 2015.

COIMBRA-ARAÚJO, C.; BERGOLD, A. W. B.; BERTICELLI, D. G. D.; SANTOS, G. R.; SCHREINER, M. A.; MONTE-ALTO, H. H. L. C; SPECK, R. A.; FERREIRA, G. K.; TONEZER, C.; ROSSET, I. G.; BARTELMEBS, R. C. Ações de divulgação e popularização das Ciências Exatas via ambientes virtuais e espaços não formais de educação. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 34, n. 2, p. 649-668, 2017.

DE BOER, E. G. Scientific Literacy: Another Look at Its Historical and Contemporary Meanings and Its Relationship to Science Education Reform. Journal of Research in Science Teaching, v. 37, n. 6, p. 582-601, 2000.

FALCÃO, D. Padrões de interação e aprendizagem em Museus de Ciência. 1999. Dissertação (Mestrado em Educação, Gestão e Difusão em Biociências) - Departamento de Bioquímica Médica do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ, Rio de Janeiro.

FALCÃO, D. Análise do contexto de criação de aparatos interativos em Museus de Ciência. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, VI, 2007, Florianópolis. Atas...

FALCÃO, D. A física em museus e centros de ciência. In: GARCIA, N. M. D.; HIGA, I.; ZIMMERMANN, E.; SILVA, C. C.; MARTINS, A. F. P. (Org.). A Pesquisa em Ensino de Física e a sala de aula – articulações necessárias. São Paulo: Livraria da Física Editora, 2012.

FEBRACE. Feira Brasileira de Ciências e Engenharia. Disponível em: www.febrace.org.br. Acesso em: 20 jun. 2015.

FREIRE, P. A pedagogia da autonomia. São Paulo: Cortez, 1996.

GADOTTI, M.; TORRES, C. A. Educação Popular: Utopia Latino-Americana. São Paulo: Cortez Editora, 1994.

GARCIA, T. M. F. Braga. Ensino e pesquisa em ensino: espaços da produção docente. In: GARCIA, N. M. D.; HIGA, I.; ZIMMERMANN, E.; SILVA, C. C.; MARTINS, A. F. P. (Org.). A Pesquisa em Ensino de Física e a sala de aula – articulações necessárias. São Paulo: Livraria da Física Editora, 2012.

GOHN, M.G. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, p. 27-38, jan./mar. 2006.

GOHN, M.G. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez Editora, 2010.

GONÇALVES, T. V. O. Feiras de ciências e formação de professores. In: PAVÃO, A. C.; FREITAS, D. (Org.). Quanta ciência há no ensino de ciências. São Carlos: EduFSCar, 2008.

GOUVÊA, G.; MARANDINO, M.; LEAL, M. C. Caráter Educativo dos Museus do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Access, 2003.

HARTMANN, A. M.; ZIMMERMANN, E. Feira de Ciências: A Interdisciplinaridade e a Contextualização em Produções de Estudantes de Ensino Médio. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, VII, 2009, Florianopolis. Atas...

HOPPERS, W. Non-formal education and basic education reform: a conceptual review. Paris: IIEP/UNESCO, 2006. Disponível em: http://www.unesco.org/iiep/PDF/pubs/K16.pdf. Acesso em: 22 ago. 2015.

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: O caso do ensino de Ciências, 2000. Disponível em: www.scielo.br/pdf/spp/v14n1/9805.pdf. Acesso em: 22 jun. 2015.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C. O discurso do sujeito coletivo. Um novo enfoque em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS, 2005.

LEMKE, J. L. Teaching all the languages of Science: words, symbols, images, and actions. Disponível em: http://academic.brooklyn.cuny.edu/education/jlemke/papers/barcelon.htm. Acesso em: 11 ago. 2015.

MARANDINO, M. O conhecimento biológico nos museus de ciências: análise do processo de construção do discurso expositivo. 2001. Tese (Doutoramento) - USP, São Paulo.

MARANDINO, M. A pesquisa educacional e a produção de saberes nos museus de ciência. História, Ciências e Saúde - Manguinhos, Rio de Janeiro, 2005.

MCMANUS, P. M. Thinking about the visitor's thinking. In: BICKNELL, S.; FARMELO, G. (Eds.) Museum visitor studies in the 90's. Londres: London Science Museum, 1993.

MEC. Ministério da Educação. Programa Nacional de Apoio às Feiras de Ciências de Educação Básica. Brasília: MEC, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/EnsMed/fenaceb.pdf. Acesso em: 22 ago. 2015.

MILANESE, I. A interdisciplinaridade no cotidiano dos professores: avaliação de uma proposta curricular de estágio. 2004. 154f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

MORAES, R. Debatendo o ensino de ciências e as feiras de ciências. Boletim Técnico do Procirs, Porto Alegre, v. 2, n. 5, p. 18-20, 1986.

MORIN, E. Introdução às jornadas temáticas. In: MORIN, E. A religação dos Saberes: o desafio do século XXI. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

MOSTRATEC. Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia/Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia. Disponível em: www.mostratec.com.br. Acesso em: 20 jun. 2015.

QUEIROZ, G. A colaboração entre o museu e a escola: a pesquisa, o ensino e a popularização da Ciência. In: GARCIA, N. M. D.; HIGA, I.; ZIMMERMANN, E.; SILVA, C. C.; MARTINS, A. F. P. (Org.) A Pesquisa em Ensino de Física e a sala de aula – articulações necessárias. São Paulo: Livraria da Física Editora, 2012.

QUEIROZ, G.; KRAPAS, S.; VALENTE, M. E.; DAVID, E.; DAMAS, E.; FREIRE, F. Construindo saberes na mediação na educação em museus de ciências e tecnologia: o caso dos mediadores do Museu de Astronomia e Ciências Afins/Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Ensino de Ciências, v. 2, n. 2, p. 77-82, 2002.

QUEIROZ, G.; VASCONCELLOS, M. M.; KRAPAS, S.; MENEZES, A.; DAMAS, E. Saberes da mediação na relação museu-escola: Professores mediadores reflexivos em museus de Ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 4, 2003. Anais.... Bauru: Abrapec, 2003. Disponível em: http://fep.if.usp.br/~profis/arquivos/ivenpec/Arquivos/Orais/ORAL161.pdf. Acesso em: 02 jun. 2015.

QUEIROZ, R. M.; TEIXEIRA, H. B.; VELOSO, A. S.; TERÁN, A. F.; QUEIROZ, A. G. A caracterização dos espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 8, 2011, Universidade Estadual de Campinas. Anais... Campinas: Abrapec, 2011. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R1579-2.pdf. Acesso em: 02 jun. 2015.

RICARDO, E. C. Competências, interdisciplinaridade e contextualização: dos Parâmetros Curriculares Nacionais a uma compreensão para o ensino de ciências. 2005. 248f. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) - Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da UFSC, Florianópolis.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 143-155, 2009.

SHAMOS, M. The Myth of Scientific Literacy. New Jersey: Rutgers University Press, 1995.

TRINDADE, I. L.; CHAVES, S. N. A interdisciplinaridade no “Ensino Médio”: entre o discurso oficial e a prática dos professores de ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 5, 2005, Bauru. Atas... Bauru: Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 2005.

VASCONCELLOS, M. M. N. Educação ambiental na colaboração entre museus e escolas: limites, tensionamentos e possibilidades para a realização de um projeto político-pedagógico emancipatório. 2008. Tese (Doutoramento) - UFF, Niterói.

WEINSTEIN, M.; WHITESELL, E. R.; SCHWARTZ, A. E. Museums, Zoos, and Gardens: How Formal-Informal Partnerships Can Impact Urban Students’ Performance in Science. Evaluation Review, v. 38, n. 6, p. 514-545, 2014.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2020v37n1p315

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >